Com o objetivo de recompor acervo do Museu Nacional, Ibama vai doar 49 peças apreendidas



RIO — Crânios com chifres e patas de animais africanos, além de um carregamento de aves e de cabeças de cervos empalhadas, chegaram ao Rio há dois meses, vindo da Alemanha. Seu destino final seria São Paulo, mas, graças a uma fiscalização do Ibama no Aeroporto Internacional do Rio, o material agora será entregue a pesquisadores do Departamento de Vertebrados do Museu Nacional. Assim como o instituto, órgãos do Brasil e do mundo têm oferecido ajuda à instituição, que perdeu quase todo seu acervo no incêndio do dia 2 de setembro. Conforme publicado na coluna de Marina Caruso, no GLOBO, o diretor do museu, Alexander Kellner negocia com o Consulado do Egito o empréstimo de itens, mas ainda não se sabe que tipo de peça virá para o Brasil. Para conseguir repor o acervo, Kellner alerta que precisa dar garantia aos parceiros de que vai reerguer o Museu Nacional. Na quinta-feira, ele esteve em Brasília, pela quarta vez este mês, pleiteando a realização de uma audiência pública em busca de recursos no orçamento e de meios para reconstruir a instituição. Links_Museu NacionalEnquanto o dinheiro necessário não vem, na próxima segunda-feira, o Ibama fará a entrega de 49 peças ao Departamento de Vertebrados. Analista ambiental e assessor da Superintendência do órgão, Caio Ferreira Marques explica que o museu passará a ser o fiel depositário do material, que poderá ser usado, por exemplo, em pesquisas de espécies e de material genético e também em exposições. Além de doar as peças, o Ibama encaminhará o caso ao Ministério Público, que vai apurar se houve comercialização ilegal de espécie.Leia a reportagem na íntegra.
Leia a notícia completa em O Globo Com o objetivo de recompor acervo do Museu Nacional, Ibama vai doar 49 peças apreendidas

O que você pensa sobre isso?