Witzel faz apelo para que deputados revoguem a possibilidade de venda da Cedae


RIO – O governador eleito do Rio, Wilson Witzel, fez um apelo aos deputado estaduais para que a Cedae não seja privatizada. A votação na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) que poderia revogar, definitivamente, a possibilidade de venda da Cedae foi adiada pelo segundo dia consecutivo. A emenda para impedir a privatização da empresa – oferecida como garantia no Plano de Recuperação Fiscal – é de autoria do deputado Paulo Ramos (PDT) e foi provada pela Casa em setembro. A proposta aprovada foi vetada por Pezão e voltou à Alerj. Se o veto fosse derrubado, a revogação da venda da Cedae teria poder de lei.- Queria fazer um apelo aos nossos deputados estaduais a respeito da questão da Cedae. Nós sabemos que o Rio está sob o regime de recuperação fiscal, e uma das condições impostas é a alienação da Cedae, e há o julgamento agora na Assembleia Legislativa com o veto do então governador Pezão para que ela não seja alienada. Quero dizer aos servidores da Cedae e aos deputados estaduais que, na minha campanha, sempre me manifestei contra a venda da Cedae. É uma empresa superavitária, que está dando lucro e que tem bastante crédito a receber – afirmou Witzel nesta quinta-feira. CedaeA Alerj adiou a votação do veto de Pezão a suspensão do aval à privatização da Cedae. É o segundo adiamento seguido, já que a votação estava prevista para esta quarta-feira. Integrantes da oposição decidiram por obstruir a votação, sem indicarem suas posições a respeito do tema. A postura obrigou o presidente em exercício, André Ceciliano (PT) a derrubar a sessão por falta de quórum. No total, apenas 15 deputados se manifestaram: foram 5 votos favoráveis ao veto, 2 contrários e 8 abstenções. São necessários 36 votos para considerar a sessão válida.A emenda que suspende o aval para a privatização da Cedae, dado em março de 2017, fez parte do projeto de lei que criou o programa de refinanciamento de dívidas sobre o ICMS, o Refis. O deputado Paulo Ramos (PDT) incluiu a proposta no projeto e a Alerj aceitou a indicação. Ao analisar o tema, o governador Luiz Fernando Pezão sancionou o Refis, mas vetou a emenda que citou a Cedae.Os deputados favoráveis a derrubada do veto mantiveram a tática desta quarta-feira e se negaram a votar. A cobrança é por uma mudança de postura de deputados que aprovaram a emenda, em outubro, e que mudaram de posição após a eleição.A presidência da Casa informou que o projeto deve voltar à pauta na próxima terça-feira, dia 4 de dezembro. O problema é que, na próxima semana, projetos importantes estão previstos para discussão, como o Orçamento para 2019, a renovação do Fundo de Combate à Pobreza e a prorrogação da calamidade pública financeira. Caso os vetos não sejam avaliados, a pauta ficará trancada, sem a avaliação dos demais temas.
Leia a notícia completa em O Globo Witzel faz apelo para que deputados revoguem a possibilidade de venda da Cedae

O que você pensa sobre isso?