Vice-governador de MG e Joesley Batista são presos pela Polícia Federal


RIO E SÃO PAULO — O vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade (MDB), um dos donos da JBS, Joesley Batista, o executivo da empresa Demilton de Castro e o deputado João Magalhães (MDB-MG) foram presos nesta sexta-feira por agentes da Polícia Federal (PF). Eles são alvos de uma operação que investiga um suposto esquema de corrupção no Ministério da Agricultura e na Câmara dos Deputados durante o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), entre 2014 e 2015. O empresário Ricardo Saud também é alvo de mandado de prisão*.

A operação é um desdobramento da operação Lava-Jato em Minas Gerais e teve origem na delação do doleiro Lucio Funaro. Segundo os investigadores, a JBS pagou propina para políticos e dirigentes do ministério com o objetivo de se beneficiar de mudanças na legislação e de atos normativos e licenciamentos da pasta.

Os agentes visam a cumprir, no total, 63 mandados de busca e apreensão em Minas, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba e Mato Grosso do Sul. A Polícia Federal faz também buscas no gabinete de Antonio Andrade. A operação é um desdobramento da Lava-Jato e foi batizada de Capitu.

Além do vice-governador e dos executivos, foi preso ainda Demilton Antonio de Castro. Ele é apontado como responsável por organizar um arquivo com nove mil dados de operações financeiras ilegais feitas pela JBS. Esse arquivo era chamado de “planilhão da propina”.

De acordo a Polícia Federal, o esquema de arrecadação de propina dentro do Ministério da Agricultura beneficiaria políticos do MDB que recebiam dinheiro da JBS — que pertence aos irmãos Joesley e Wesley Batista — em troca de medidas para beneficiar as empresas do grupo.

* Inicialmente, publicamos que Saud havia sido preso mas, segundo o G1, ele está fora do país. A informação foi corrigida às 7h35.

conteudos-operacao-capitu


Leia a notícia completa em O Globo Vice-governador de MG e Joesley Batista são presos pela Polícia Federal

O que você pensa sobre isso?