Uber deixa de patrocinar desfiles do Grupo Especial do carnaval carioca



RIO – O carnaval das escolas de samba sofreu mais uma baixa. A Uber, empresa que começou a patrocinar o desfiles do Grupo Especial em 2018 e já havia acertado a renovação para 2019, comunicou à direção da Riotur na semana passada que não apoiará mais os desfiles. Com o repasse do aplicativo de transporte de passageiros, cada agremiação da elite da folia carioca recebeu R$ 500 mil no último carnaval, além da subvenção de R$ 1 milhão paga pela prefeitura do Rio. A decisão também vai afetar os desfiles da Intendente Magalhães.Na Riotur, a informação é que a prisão do deputado estadual Chiquinho da Mangueira, presidente da verde e rosa, assustou a empresa americana. Durante uma conversa informal com representantes do poder público na semana passada, membros da Uber apresentaram notícias publicadas pela imprensa sobre a prisão de Chiquinho. A empresa formalizou a retirada do patrocínio esta semana.No processo, a Uber americana anexou um dossiê com as notícias relativas a Chiquinho da Mangueira. O argumento é que o compliance da empresa desautorizou a vinculação da marca com o carnaval.O presidente da Riotur, Marcelo Alves, condenou a ação:- Eu me sinto surpreendido com essa atitude radical ainda de toda forma em função de não ter nada julgado, condenado. Eles estão tomando uma atitude por um ato de uma pessoa, que nem mais na escola está. Não podem ter uma atitude radical prejudicando todas as escolas de samba, prejudicando a cidade do Rio. Isso é uma forma equivocada. Se há uma regra interna empresarial, essa regra sempre existiu. O contrato está assinado. Uma atitude fria contra o Rio, contra o maior espetáculo da terra. Prejudicando milhares de profissionais que trabalham no desfile das escolas de samba. Alves afirmou que espera que a Uber reavalie a medida:- Espero que eles revejam. Estou tomando as providências jurídicas para que isso não fique assim. Entendemos as regras internas, mas não é assim. Foi o fato de uma pessoa. Preciso que eles reflitam sobre algo que vai causar um dano gigantesco à cidade do Rio. Eles estão tratando com a cidade do Rio de Janeiro. As medidas jurídicas estão sendo tomadas.A decisão também atinge o carnaval da Intendente Magalhães. Esses também eram utilizados. Seriam R$ 2,5 milhões para a estrutura da Intendente Magalhães.Até o momento, a prefeitura do Rio ainda não confirmou a data de pagamento da subvenção, que será novamente de R$ 1 milhão para cada escola de samba do Grupo Especial.
Leia a notícia completa em O Globo Uber deixa de patrocinar desfiles do Grupo Especial do carnaval carioca

O que você pensa sobre isso?