Temas para o Enem: entenda a qustão da expectativa de vida


RIO – A expectativa de vida aumenta. A população envelhece cada vez mais rapidamente. Segundo as previsões, teremos mais idosos que crianças e adolescentes no Brasil em cerca de dez anos. O que isso significa para o mercado de trabalho? De que forma isso afeta a economia? O que é preciso saber sobre a Reforma da Previdência? Como escrever sobre este tema se ele cair na próxima redação do Enem? Separamos 5 links essenciais sobre o assunto. Só clicar abaixo!

O Globo e o Descomplica têm uma parceria exclusiva: os alunos do Descomplica assinam o Globo Digital por apenas R$ 1,90/mês por seis meses. É uma oportunidade para se atualizar sobre tudo o que acontece na política, na economia, na cultura e no mundo e ainda se preparar com essas atualidades para o Enem e outros vestibulares.

Clique aqui, confira esta promoção e fique bem informado

1) Como será em 2040?

A expectativa de vida média deve aumentar em todos os países do mundo até 2040, segundo um relatório divulgado esta terça-feira por pesquisadores da Universidade de Washington. No entanto, a disparidade entre nações desenvolvidas e em desenvolvimento sobreviverá às próximas duas décadas. Mesmo que alguns países em desenvolvimento avancem significativamente no ranking,, as nações desenvolvidas monopolizam o topo do levantamento. A Espanha ocupará a liderança, com expectativa de vida chegando a 85,8 anos, seguida por Japão, Cingapura, Suíça, Portugal e Itália.

+ Veja o ranking dos países considerando a expectativa de vida daqui a 20 anos

2) O envelhecimento e o mercado de trabalho

O Brasil envelhece cada vez mais rapidamente. Em pouco mais de uma década, segundo as previsões mais recentes, o país terá mais idosos que crianças e adolescentes. Essa inversão na pirâmide etária acende um alerta para o risco de estagnação da economia e torna mais urgente uma reforma do sistema previdenciário com a perspectiva de mais pensionistas e menos jovens no mercado de trabalho. Empresas terão que se adaptar a profissionais mais velhos, que trabalharão por mais tempo, e oferecer produtos e serviços mais adequados a esse público. Governos terão que reformular políticas públicas. Esse futuro, no entanto, já chegou em quase 10% das cidades brasileiras.

+ Envelhecimento da população acende alerta

3) Cidades que já envelheceram

A realidade de Niterói, no Grande Rio; Santos, no litoral paulista; e São Caetano do Sul, na região metropolitana de São Paulo permite antecipar os desafios do envelhecimento da população que serão enfrentados por outras cidades a partir de 2031, quando o país todo terá mais idosos que crianças e adolescentes. Essa inversão já pressiona as administrações (e os orçamentos) das três cidades a desenvolver políticas diferenciadas para um público que se afasta cada vez mais do estereótipo de recluso ou sedentário. Os principais problemas — e soluções — aparecem na saúde, mobilidade urbana, lazer e reinserção no mercado de trabalho.

+ O que temos a aprender com as cidades que já envelheceram

4) Por outro lado, as oportunidades

O envelhecimento da população abre oportunidades para profissões relacionadas a cálculos previdenciários, cuidados dos mais velhos, desenvolvimento de novos medicamentos, aconselhamento de aposentadoria, planos para gestão dos recursos financeiros e atividades culturais. É o que aponta relatório do Programa de Estudos do Futuro (Profuturo) da Fundação Instituto de Administração (FIA), sobre as carreiras mais promissoras.

+ Profissões ligadas ao envelhecimento estão entre as carreiras do futuro

5) Reforma da previdência

A Previdência registra rombo crescente: o déficit dos dois sistemas (INSS e servidores públicos) saltou R$ 77 bilhões em 2008 para R$ 269 bilhões em 2017. Os brasileiros estão vivendo mais, a população tende a ter mais idosos, e os jovens, que sustentam o regime, diminuirão.

+ Entenda a proposta da Reforma da Previdência em 22 pontos


Leia a notícia completa em O Globo Temas para o Enem: entenda a qustão da expectativa de vida

O que você pensa sobre isso?