Feira da FAS tem sexta edição no próximo domingo (21), em Manaus

Evento tem entrada gratuita e conta com mais de 50 expositores. Feira da FAS, em Manaus
Divulgação
A Feira da FAS chega à sua sexta edição neste domingo (21), com mais de 50 expositores de gastronomia, jardinagem e artigos variados. O evento ocorre das 9h às 19h, na sede da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), localizada na Rua Álvaro Braga, 351, Parque 10 de Novembro. A entrada é gratuita.
Entre os produtos à mostra, estarão itens para decoração, banho, roupas, biojoias, plantas ornamentais, vasos, telhas decorativas, ilustrações personalizadas, artesanatos e afins. Já na área dedicada à culinária, o público poderá saborear linguiças artesanais, salgados veganos, dindin gourmet, pastéis, biscoitos, doces em compota, alimentos funcionais, empadas, café da manhã regional, entre outras opções.
A feira ainda reserva uma série de atividades culturais, de bem-estar e lazer para a população, como aula de yoga postural, massoterapia chinesa e espaço com jogos eletrônicos e de mesa.
Infantil
Em alusão ao “mês das crianças”, o evento terá uma programação especial para o público infantil, com sessão de cinema com pipoca, das 10h às 12h, apresentação da trupe de contação de histórias YuhRuh, às 12h30, e atividades lúdicas de educação ambiental com o projeto Pequenos Curupiras, a partir das 14h. Durante todo o dia, os pequenos também poderão participar de oficina de cupcake e se divertir com jogos, pula-pula e leituras.
Música
Assim como nas edições anteriores, a música promete ser um dos pontos altos da feira. A programação terá início às 14h30, com o show em voz e violão de Gil Valente e Carolina Bertolini, dois nomes que circulam pela cena alternativa e se destacam por suas bossas, carimbós e releituras especiais de clássicos nacionais e regionais.
A partir das 16h30, a Banda NTG assume o palco para interpretar grandes sucessos do rock’n’roll nacional e internacional. Para encerrar o evento em grande estilo, o “príncipe do brega”, Nunes Filho, realiza uma apresentação especial com muita cúmbia, salsa e brega, às 18h.
Leia a notícia completa em G1 Feira da FAS tem sexta edição no próximo domingo (21), em Manaus

Mega-Sena pode pagar prêmio estimado em R$ 2,5 milhões nesta quarta-feira

Apostas podem ser feitas até as 19h em lotéricas ou via internet. Mega-Sena pode pagar R$ 2,5 milhões nesta quarta
Marcelo Brandt/G1
O concurso 2.088 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 2,5 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) desta quarta-feira (17) no município de Santa Helena de Goiás (GO).
Para apostar na Mega-Sena
As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet. A aposta mínima custa R$ 3,50.
Probabilidades
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.
Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.
Leia a notícia completa em G1 Mega-Sena pode pagar prêmio estimado em R$ 2,5 milhões nesta quarta-feira

Expedito Junior, candidato do PSDB, é entrevistado no G1 Rondônia

Rodada de entrevistas do segundo turno das eleições 2018 com candidatos ao governo de Rondônia teve início na segunda-feira (15). Candidato ao governo de RO, Expedito Junior (PSDB), é entrevistado no G1
Mary Porfiro/Rede Amazônica
O candidato ao governo do Estado de Rondônia, Expedito Junior (PSDB), foi entrevistado ao vivo no G1 nesta terça-feira (16).
A participação do candidato faz parte da série de entrevistas que a Rede Amazônica realiza com os candidatos ao governo do Estado no segundo turno das eleições 2018, de acordo com o seguinte cronograma:
Dia 15/10: Coronel Marcos Rocha (PSL) – não compareceu
Dia 16/10: Expedito Junior (PSDB)
No primeiro turno, Expedito Junior teve 241.885 votos (31,59%). O candidato Coronel Marcos Rocha teve 183.691 votos (23,99%). A votação em segundo turno será realizada no próximo dia 28.
Expedito Junior, de 55 anos, esteve no estúdio em Porto Velho, onde foi entrevistado pela apresentadora Ana Lídia Daibes e pelo repórter do G1 Pedro Bentes. O candidato tem como vice Maurício Carvalho (PSDB).
Candidato ao governo de RO, Expedito Junior (PSDB) é entrevistado no G1
G1 – Vamos começar falando da questão do conflito agrário no interior do estado, que coloca nosso estado em um cenário bem negativo nacionalmente. Como o senhor pretende lidar com essa situação e resolver isso?
Expedito Junior – Nós temos que criar grupos de trabalho dentro de nossas polícias principalmente na Polícia Militar e Polícia Civil para nos anteciparmos a isso. E é possível, é possível nós trabalharmos com Inteligência e é lógico com investigação e acima de tudo com a tecnologia para nos anteciparmos e impedir que aconteça os conflitos agrário. Essa possibilidade existe. O Estado, nós temos pessoas preparadas, bons profissionais. Precisamos capacitá-los, prepará-los para que nós possamos nos antecipar a isso. E com certeza também, outra coisa que precisamos cobrar, precisamos também cobrar mais agilidade do Incra e também do Terra Legal, hoje, o antigo MDA, para que possamos estar resolvendo os problemas agrários da população do interior do Estado. Resolvendo o problema agrário é resolvendo a terra. Nós temos hoje, a União. Nós temos que trabalhar em algumas desapropriações de terra de algumas áreas que é possível fazer a reforma agrária. Nós precisamos estar atento a isso e trabalhando com o nosso serviço de inteligência também das policias.
G1 – Bom, candidato, agora a gente vai falar aí de um dado que não é muito agradável. Rondônia fica em terceiro lugar entre os estados com os piores números em relação a mortalidade infantil, abaixo apenas dos estados do Amapá e Maranhão, segundo dados do IBGE. EM 2017, para o senhor ter uma ideia, foram 20 mortes para cada mil nascimentos. Como, de maneira concreta, o senhor pretende resolver esse drama em um eventual governo?
Expedito Junior – Primeira coisa, nós temos que atacar verdadeiramente o saneamento básico do Estado de Rondônia. Porto Velho, por exemplo, nós temos hoje, a capital do Estado, que não tem esgoto sanitário. Nós temos 0,2% de esgoto sanitário em Porto Velho. Nós precisamos resolver o problema. Já teve por duas vezes, dois governos, o dinheiro veio para que fossem feitas as obras e infelizmente o Tribunal de Contas da União condenou as licitações que foram feitas e os recursos voltaram. Nós temos que ser rápidos, temos que ser ágeis. Nós temos que buscar também parcerias público-privadas para que nós possamos resolver o problema do saneamento básico do Estado de Rondônia, água e esgoto. A primeira reunião que eu fiz foi com os servidores da Caerd, por intermédio do seu sindicato. A primeira reunião que eu fiz com eles foi assumindo o compromisso. Primeiro, nós buscarmos uma modelagem que resolvesse o problema de água e esgoto para a população, respeitando o devido direito do servidor público da Caerd, protegendo sempre o emprego dos servidores da Caerd, esse sempre foi o nosso compromisso. E mais, só para finalizar, nós queremos buscar o entendimento junto, dialogando com os servidores da empresa Caerd.
G1 – O senhor acredita que só essas medidas vão bastar para diminuir esses índices, quando a gente fala também da questão do acompanhamento da saúde básica. Como o senhor vê isso?
Expedito Junior – Com certeza também, com certeza também o Estado tem que estender a mão. Primeiro nós precisamos cuidar da saúde básica do Estado, embora não sendo responsabilidade do Estado e sim responsabilidade do município, sendo responsabilidade dos prefeitos, nós temos que fazer parceria. Hoje mesmo eu participei de uma de uma reunião com o conselho médico com um conselho e qual foi o nosso entendimento ali? Foi fazer um pacto a partir de 1º de Janeiro, sendo eleito governador do Estado de Rondônia, com 52 prefeitos do Estado de Rondônia, com secretário de saúde e também com todos os secretários municipais de saúde. É lógico que eu sei, por exemplo, tem um dado importante que o Tribunal de Contas nos ofereceu, para todos os candidatos, os nove candidatos ainda no primeiro turno, que só sobra para investimento na saúde só 3%. Este é um recurso que sobra para investimento. Então, eu tenho que ter capacidade para arrecadar mais, eu tenho que ter capacidade de cortar os desperdícios e, acima de tudo, eu tenho que fazer com que as obras aconteçam na área da saúde. Eu tenho que sobrar dinheiro para investir e ofertar um serviço de qualidade para a população do nosso Estado.
G1 – O senhor falou aí de parceria público-privadas. O senhor pretende implantar? Em que áreas e quais são as vantagens dessa parceria na sua opinião?
Expedito Junior – Não. Foi só na questão do saneamento básico.
G1 – Em outras áreas não?
Expedito Junior – Não. Nós temos que acreditar, valorizar os nossos servidores da Secretaria de Saúde, os nossos servidores, os médicos, enfermeiros, enfim todos servidores da Secretaria da Saúde. Agora, nós temos que abrir um franco diálogo com eles. Eles dão conta do recado, eles sabem o que querem. Agora, o Estado precisa ouvir mais, o governador precisa ouvir mais para tomar decisões acertadas. A partir da hora que eu ouvir mais, eu vou errar menos.
G1 – O senhor comentou esse dado do TCE, onde somente 3% é destinado a investimentos para área da saúde. Só que 97% é gasto, destinado para pagar o pessoal e manutenção das unidades de saúde aqui do Estado. Em 2017, para o eleitor ter uma ideia, o investimento ficou na faixa dos 3%. Como o senhor pretende ajustar essa situação?
Expedito Junior – Arrecadar. Eu tenho que arrecadar mais, sem fazer terrorismo fiscal. Eu tenho que aparelhar a nossa Secretaria da Fazenda, o fisco estadual, para que nós possamos arrecadar mais para o nosso Estado e sobrar dinheiro para que eu possa fazer frente a esses investimentos na Secretaria da Saúde. Eu sei que hoje quando você fala em arrecadação já há preocupação. Vai aumentar a carga tributária? Não se fala em aumento de Carga Tributária aqui, se fala em arrecadar com qualidade, arrecadar com tecnologia. Eu tenho conversado, eu tenho dialogado, recentemente eu me reuni com os auditores fiscais da Secretaria da Fazenda, aonde eles pedem a tecnologia e, acima de tudo, para que sejam valorizados. A valorização do nosso servidor. Eu tenho dito sempre, nós seremos o governo da valorização e não da perseguição.
G1 – Não fico claro. Como aumentar a arrecadação, candidato?
Expedito Junior – Ficou. Vamos investir no setor produtivo do nosso estado. Hoje não se pode de forma alguma deixar de investir na produção de uma cesta, por exemplo. Eu vou fazer para você aqui hoje, o café clonal está provado que se você fizer com irrigação de programas de ligação, nós vamos aumentar a nossa produção em cinco vezes mais o café e o café clonal. Então temos que fazer a distribuição de semente de arroz, feijão, de milho. Posso fazer programas para fomentar a nossa agricultura só contando agricultura. Com certeza nós vamos ter o dinheiro circulando na cidade, aonde nós vamos aumentar, onde nós vamos facilitar para que chegue até a farmácia, aos mercados, enfim o dinheiro circular na cidade, movimento na cidade, aumenta nossa arrecadação. E outra coisa, eu já falei várias vezes, nós temos que cortar os nossos desperdícios. São muitos, nós temos que diminuir o tamanho da máquina do Estado, economizando centavo por centavo. Eu tenho que economizar no telefone, no combustível, no carro que às vezes tá andando para lá e para cá sem necessidade nenhuma. Então nós temos que fazer uma administração dura o bastante, fazer uma fiscalização pesada. Nós temos que fortalecer os nossos olhos de controle que é a nossa Procuradoria, a nossa Controladoria e os nossos órgãos de controles internos para equalizar mesmo. Não têm, nós não podemos dar moleza para que, nós deixamos de arrecadar às vezes, o dinheiro ou então arrecadamos e gastamos mal. Nós temos que gastar bem, com eficiência e acima de tudo com transparência.
G1 – Bom, o senhor comentou aí o aumento na arrecadação de impostos do estado. Mas só que é importante o eleitor lembrar também que no seu plano de governo o senhor propõe a redução do ICMS, um importante imposto que o estado arrecada. Segundo dados do TCE, o ICMS corresponde a quase 80% da arrecadação do Estado. Como é que o senhor pretende em um eventual governo reduzir esse imposto e compensar ele?
Expedito Junior – É uma discussão mais com ICMS dos combustíveis. É um pedido já grande.
G1 – Candidato, o senhor propõe a redução para bens comprados dentro do Estado de Rondônia, para pesquisa mineral e também para montagem uma futura unidade de agroindústria.
Expedito Junior – É porque você não me deixou concluir. É uma questão também de ICMS para os combustíveis, que é um grito hoje de toda a sociedade, principalmente das transportadoras, dos caminhoneiros. Você viu aí a paralisação que teve aí afora. O governo de São Paulo foi o primeiro que iniciou quando diminuiu o ICMS na taxa dos combustíveis. Agora essa questão dos minérios é hoje uma grande, uma grande preocupação. A realidade hoje é que os minérios, principalmente o ouro, não deixa nada para nós além da miséria. Tá lá no município de Espigão, você vai lá no município de Espigão hoje e o que é pior ele sai pelos vãos dos dedos. Não dá entrada, não dá entrada no Estado o nosso ouro e o nosso minério ele está saindo clandestinamente no Estado de Rondônia. Então, nós precisamos fazer uma fiscalização para que nós possamos ter o acompanhamento e, com certeza, nós vamos melhorar a nossa relação. É possível sim diminuir o ICMS.
G1 – Mas para deixar claro aqui para o eleitor, quando se propõe reduzir um importante imposto da receita estadual, como compensar ele?
Expedito Junior – Como eu já te falei, diminuindo os gastos do Estado de Rondônia, gastando bem. Nós não podemos mais permitir…
G1 – Reduzir em que áreas, candidato?
Expedito Junior – Eu disse agora, reduzir principalmente o ICMS questão do combustível.
G1 – Candidato, sobre a renúncia fiscal que em 2017 chegou a casa dos 18% da receita, equivalente a cerca de R$ 690 milhões, o senhor pretende auditar esses benefícios fiscais, fazer um pente fino, mantê-los?
Expedito Junior – Auditar, talvez, mas com certeza fiscalizar sim e fiscalizar acompanhando para saber se os benefícios que nós oferecemos, que Estado ofereceu, se esse benefício realmente chegou na conta, se está atendendo o quê… Qual é a nossa, o grande alcance nosso? A geração de emprego e renda principalmente para nossa juventude. Então, nós temos que saber realmente se a empresa que recebe o incentivo fiscal, o benefício fiscal, se realmente ela está contribuindo com seu projeto que é de gerar empregos. Nós temos empresas dessas que tem até 85%, só que ela também tem uma contribuição social. Então nós temos que saber o que se realmente aquilo que está posto no contrato, aquilo que está disposto no incentivo fiscal, que ser feito no Conder, se realmente está acontecendo. Caso esteja, nós temos que manter. E mais, nós temos que buscar mais empresas. Hoje nós somos conhecidos como exportador de commodities, hoje é o que é Rondônia, nós enviamos a nossa matéria-prima bruta para fora, e o que nós temos que fazer? Hoje nós temos que industrializar a nossa matéria-prima para gerar emprego para nossa juventude, para gerar emprego para nossa população. E o que eu tenho que fazer? Eu tenho que fazer, é lógico, melhorando o Estado primeiro, na nossa infraestrutura para que os empresários, usando incentivo fiscal que nós temos, venha, tenha os olhos voltados para o Estado de Rondônia e venha investir no nosso estado, gerando mais ainda emprego e renda para nossa população.
G1 – Candidato, agora há pouco o senhor falou de inteligência no setor de investigação das polícias. A gente sabe que as delegacias de Polícia Civil estão sucateadas, sem estrutura. Qual é o seu plano para resolver essa questão? E outra coisa, a Delegacia da Mulher não funciona 24 horas. O senhor tem algum compromisso de fazer funcionar?
Expedito Junior – A primeira coisa, lógico, a Delegacia da Mulher tem de funcionar 24 horas. Este é o nosso compromisso, é fazer plantões 24 horas para atendimento da mulher. E cuidar da mulher sobre a questão do acolhimento, que seja uma delegacia mais humanizada e que também possamos trabalhar no empoderamento da mulheres com projetos de lei para a Assembleia Legislativa, inclusive a esses programas de incentivos fiscais. Nós temos que voltar as delegacias de Polícia Civil para os bairros. Este é o nosso compromisso. Tiraram por conta da construção das Unisps. Nós queremos levar de volta às delegacias para os bairros.
G1 – Um minuto para as considerações finais.
Expedito Junior – Quero agradecer a oportunidade mais uma vez e dizer a toda a população do estado de Rondônia, se você quer a mudança do nosso Estado nós estamos propondo essa mudança ao Estado de Rondônia. Quem achar que a saúde está bem que a segurança está boa, que a nossa educação está boa, não sou eu o candidato. A mudança é outro candidato. Eu peço a oportunidade para que eu possa cumprir com todo o meu plano de governo que foi discutido na sociedade, colocar na prática a partir do dia 1º de Janeiro, governado o Estado de Rondônia, governando com transparência e, acima de tudo, governando sendo mais humano. A população exige um governador mais humano. Esse é o nosso compromisso. Nós seremos o governador da mudança o governador das transformações. Vote Expedito 45.
Initial plugin text
Leia a notícia completa em G1 Expedito Junior, candidato do PSDB, é entrevistado no G1 Rondônia

Acidente com cavalo e moto deixa uma pessoa morta em Rio Largo, AL

Uma outra vítima estava na garupa do veículo e sofreu ferimentos. Ainda não se sabe o estado de saúde. Acidente aconteceu próximo ao bairro Mata do Rolo, em Rio Largo, na região metrolitana de Maceió
Kleverton Amorim/Arquivo Pessoal
Um acidente envolvendo um cavalo e uma motocicleta deixou uma pessoa morta e outra ferida na noite desta terça-feira (16) na entrada do bairro Mata do Rolo, no município de Rio Largo, região metropolitana de Maceió.
De acordo com testemunhas, no momento do acidente, vítima que estava pilotando a moto estava com uma pessoa. Os nomes deles não foram divulgados.
A reportagem tentou contato com o Batalhão de Polícia responsável pela região, mas não obteve sucesso.
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado ao local do acidente. Ainda não se sabe o estado de saúde da vítima que sofreu ferimentos.
Veja mais notícias da região no G1 Alagoas
Leia a notícia completa em G1 Acidente com cavalo e moto deixa uma pessoa morta em Rio Largo, AL

Diretora do FMI cancela ida a encontro na Arábia Saudita, esvaziado após sumiço de jornalista

WASHINGTON – A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, adiou uma viagem ao Oriente Médio, roteiro que previa uma escala em Riad para participar de uma conferência de investimentos na capital saudita no fim deste mês. Em comunicado sucinto divulgado nesta terça-feira, o FMI resumiu-se a informar que “a viagem previamente programada da diretora para a região do Oriente Médio foi adiada” — sem mencionar motivos, nem apresentar novas datas para o roteiro de Lagarde.No sábado, a diretora do FMI disse em uma entrevista coletiva na Indonésia que não pretendia mudar os planos de viagem, mas admitiu que havia ficado “chocada” com artigos publicados na imprensa internacional sobre o desaparecimento do jornalista Jamal Khashoggi, que desapareceu após entrar no consulado saudita em Istambul, no dia 2 de outubro. Autoridades turcas, em condição de anonimato, afirmam que Khashoggi foi morto dentro do prédio e, segundo informações publicadas pelo “New York Times”, o jornalista teria sido esquartejado por 15 agentes sauditas enviados a Istambul para esse fim sob ordens da realeza saudita. saudita_conferenciaA conferência de investimentos marcada para o fim deste mês em Riad está cada vez mais esvaziada, desde o desaparecimento do jornalista crítico ao reino saudita e seu príncipe Mohammed bin Salman. Conhecida como “a Davos do deserto”, em referência à reunião anual da elite mundial dos negócios nos Alpes suíços, a conferência tem como objetivo reunir investidores internacionais na Arábia Saudita, como parte do projeto faraônico de Mohammed bin Salman de transformar o país, hoje o maior exportador de petróleo do planeta, num gigante nos setores de tecnologia e turismo.Ante o desaparecimento do jornalista e a suspeita de seu assassinato por agentes sauditas, investidores e instituições vêm recuando e cancelando sua participação na conferência, cujo site já não mais apresenta os nomes dos executivos e autoridades anunciados anteriormente.
Leia a notícia completa em O Globo Diretora do FMI cancela ida a encontro na Arábia Saudita, esvaziado após sumiço de jornalista

Internautas relatam que YouTube saiu do ar; empresa diz trabalhar para resolver problema

Internautas relataram na noite desta terça-feira (16) que a plataforma de vídeos on-line YouTube saiu do ar.
Initial plugin text
Initial plugin text
Leia a notícia completa em G1 Internautas relatam que YouTube saiu do ar; empresa diz trabalhar para resolver problema