Sul-coreanos cruzam fronteira para o Norte de trem após uma década



SEUL — Um trem que carregava engenheiros sul-coreanos e autoridades cruzou nesta sexta-feira a fronteira do Sul para o Norte em um pesquisa conjunta de referência para reconectar trilhos ferroviários das duas Coreias. A ligação dos sistemas de estradas de ferro é um dos recentes acordos firmados entre o norte-coreano Kim Jong-un e o sul-coreano Moon Jae-in em meio aos restabelecimento dos laços diplomáticos na península.É a primeira vez desde 2007 que um trem do Sul entra no Norte. Imagens de televisão mostraram uma locomotiva das cores vermelha, branca e azul deixar a estação sul-coreana de Dorasan, o terminal mais próximo da parte ocidental da fronteira. O comboio exibia a mensagem “Iron Horse está agora correndo em direção à era de paz e prosperidade”.”Isso assinala o começo de uma coprosperidade do Norte e do Sul ao reconectar estradas de trem”, celebrou a ministra dos Transportes Kim Hyun-mee.Segundo ela, a ligação dos sistemas vai ajudar a expandir o “território econômico” do país até a Eurásia por terra. A divisão da península durante décadas de tensão havia deixado a Coreia do Sul geopoliticamente isolada do continente.Com seis eixos, o trem transportou 28 sul-coreanos, incluindo engenheiros de transporte ferroviário. Carregou também 55 toneladas de combustível e um gerador de energia elétrica. Na composição há ainda acomodações para dormir e trabalhar. Um dos vagões partiu lotado de água para banhos e lavanderia.Na chegada à estação Panmun, o primeiro terminal do Norte depois da fronteira, o comboio será ligado a um trem norte-coreano e voltará para casa.Os sul-coreanos vão se abrigar no trem enquanto inspecionam suas linhas ferroviárias por um total de 18 dias. Uma delas liga as cidades de Kaesong e Sinuiju, perto da fronteira da China, e a outra conecta o Monte Kumgang, na fronteira intercoreana, ao Rio Tumen, que cerca o Leste da Rússia.Integração incertaAs equipes percorrerão 2,6 mil quilômetros junto ao trem norte-coreano, informou a ministra. Antes da divisão da península, em 1948, havia duas linhas de ligação entre o Norte e o Sul.Como um gesto em direção à reconciliação, as duas Coreias reconectaram o sistema ferroviário ocidental em 2007 e limitaram por cerca de um ano o número de trens que transportavam bens e suprimentos para a zona industrial de Kaesong, gerida pelo Sul no Norte. A iniciativa foi tirada de serviço diante da escalada de tensão resultante do desenvolvimento nuclear de Pyongyang.O atual projeto sofreu atrasos por temores de que poderia violar sanções impostas pelas Nações Unidas à Coreia do Norte contra o programa de mísseis. O Conselho de Segurança abriu uma exceção à pesquisa conjunta na semana passada. Ainda não está claro se o órgão lliberará a execução do projeto, uma vez concluído o estudo. CoreiasSeul explica que a pesquisa mira reunir informações sobre o estado do sistema ferroviário norte-coreano e assegura que eventuais trabalhos de restauração só começariam com aval da ONU. o estudo ocorre no momento em que emergem divergências entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos, que destaca 28,5 mil militares à fronteira como parte de uma aliança estabelecida há décadas.Moon Jae-in incentiva o engajamento com o Norte e tem apostado em investimentos e projetos transfronteiriços como passos para a desnuclearização de Pyongyang.
Leia a notícia completa em O Globo Sul-coreanos cruzam fronteira para o Norte de trem após uma década

O que você pensa sobre isso?