'Sou um combatente contra a corrupção', diz Onyx sobre nova acusação de caixa dois


BRASÍLIA — O ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta quarta-feira ser um “combatente contra a corrupção”, ao rebater uma nova acusação de caixa dois da J&F, controladora da JBS. Onyx, um dos mais próximos assessores do presidente eleito Jair Bolsonaro, não fez referência direta ao suposto repasse, mas classificou a informação como “requentada”, afirmou não conhecer os delatores e disse que o “sistema” tenta envolvê-lo com corrupção.

No ano passado, Onyx confirmou ter recebido R$ 100 mil da empresa em 2014, não declarados à Justiça Eleitoral, conforme dito por delatores. No entanto, de acordo com o jornal “Folha de São Paulo”, uma planilha entregue à Procuradoria-Geral da República (PGR) indica que ele teria recebido outros R$ 100 mil em 2012, também via caixa dois. Naquele ano, Onyx não disputou a eleição, mas era presidente do DEM no Rio Grande do Sul. Bolsonaro 14 11

– Se requenta uma informação do ano passado, dado por alguém que eu não sei quem é. Se passo na rua, não sei quem é. Não conheço, nunca vi. No episódio de 2014, eu reconheci e fiz o que uma pessoa que carrega a verdade consigo deve fazer. Nada temo. Não é a primeira vez que o sistema tenta me envolver com corrupção. Alto lá. Eu sou um combatente contra a corrupção e essa é a história da minha vida – afirmou, em pronunciamento no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde a equipe de transição se reúne.

Onyx disse ainda que “não teme” a JBS e que quer fazer, junto com Bolsonaro, uma “transformação verdadeira” no Brasil:

– Eu não temo a Folha, não temo JBS, não temo a ninguém. O que eu desejo, junto com Jair Bolsonaro e toda equipe, é fazer uma transformação verdadeira no Brasil. Não me assusta.

O ministro considera que há uma tentativa de fragilizar o governo de Bolsonaro

– Eu pedi a todos que nos dessem uma trégua, (para) que nós pudéssemos organizar o governo. Depois nos cobrem pelos erros e pelos acertos, que todos os governos e todas as pessoas cometem. Agora, ficar tentando fragilizar, não vão nos fragilizar.

Onyx também foi citado na delação de executivos da Odebrecht, acusado de ter recebido R$ 175 mil em caixa dois nas eleições de 2006. O inquérito, no entanto, foi arquivado em junho pelo ministro Luix Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele fez referência ao arquivamento nesta quarta:

– Qual foi o resultado depois de um ano e cinco meses? Provei que a planilha era falsa, disse que nunca tive contato com a Odebrecht, não há um registro. Provei que o senhor Alexandrino de Alencar mentia.


Leia a notícia completa em O Globo ‘Sou um combatente contra a corrupção’, diz Onyx sobre nova acusação de caixa dois

O que você pensa sobre isso?