Satélites mandam imagem de 'despedida' de Marte


RIO – Um dos microssatélites enviados pela Nasa junto com a sonda InSight para Marte mandou de volta esta semana imagem de “despedida” do planeta, pelo qual passaram após ajudarem a acompanhar e retransmitir informações de seu pouso na última segunda-feira. Apelidados “Eve” e “Wall-E” em homenagem aos personagens principais do filme da Pixar, os equipamentos pegaram “carona” no foguete que lançou a sonda no início de maio e a seguiram em toda viagem de mais de 430 milhões de quilômetros até Marte. É a prova de que esse tipo de microssatélite, conhecido como CubeSat (corruptela em inglês para algo como “cubo satélite”), pode servir de apoio ou mesmo protagonistas de missões de exploração interplanetária.Oficialmente designados MarCO-A e MarCO-B (da sigla para o inglês “Mars Cube One”), os microssatélites, do tamanho aproximado de uma caixa de sapatos, foram equipados com rádios e antenas experimentais para se comunicarem com o controle da missão na Terra, a mais de 146 milhões de quilômetros quando do pouso da InSight em Marte. Graças a eles, os cientistas da Nasa souberam do sucesso da operação pouco mais de oito minutos depois de seu término, tempo que os sinais de rádio levaram para cruzar esta distância à velocidade da luz. Sem a dupla, eles teriam que esperar que alguma das sondas da própria Nasa ou de outras agências espaciais que estão na órbita do planeta entrasse em posição que pudessem transmitir sinais para a Terra, pois por acaso todas estavam fora de alcance justo no momento que a InSight chegou a Marte.Links Nasa Lua – Wall-E e Eve funcionaram justamente do jeito que esperávamos – comemorou Andy Klesh, engenheiro-chefe da missão MarCO junto ao Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa (JPL) em Pasadena, Califórnia. – Eles foram um excelente teste de como o CubeSats podem servir como ‘acompanhantes’ de futuras missões, dando aos engenheiros informações atualizadas durante um pouso.E apesar de não carregarem instrumentos científicos, os microssatélites enviados também mostraram que mesmo assim estes equipamentos podem ser usados para pesquisas. Ao passar por Marte, MarCO-A, ou Eve, transmitiu sinais de rádio que cruzaram a borda da atmosfera do planeta, que provocou interferências das quais os cientistas podem extrair informações sobre sua densidade e composição.- Os CubeSats têm o incrível potencial de levar câmeras e instrumentos científicos para o espaço profundo – destacou John Baker, gerente do programa de pequenas naves do JPL. – Eles nunca serão capazes de substituir sondas mais capazes que a Nasa é conhecida por desenvolver, mas são soluções de baixo custo que podem nos permitir realizar explorações de novas formas.Um das ideias dos cientistas, por exemplo, é lançar “enxames” destes microssatélites para estudar um objeto de múltiplas perspectivas e capacidades ao mesmo tempo. Estratégia que também reduziria em muito os riscos de fracasso de uma missão, pois no caso de um dos CubeSats falhar, os outros podem continuar o trabalho. Já com uma única sonda grande, um defeito em um componente pode pôr tudo perder.Um exemplo disso é a própria dupla. A imagem de “despedida” de Marte foi capturada de 1,6 mil quilômetros de distância da superfície do planeta e enviada exclusivamente por Wall-E, ou MarCO-B, já que ainda pouco antes do lançamento os cientistas verificaram que câmera similar instalada em Eve não estava funcionando e não havia mais tempo nem condições dela ser substituída ou consertada.
Leia a notícia completa em O Globo Satélites mandam imagem de ‘despedida’ de Marte

O que você pensa sobre isso?