RN tem 216,6 mil títulos eleitorais cancelados por falta em cadastro biométrico


STF rejeitou nesta quarta (26) pedido para que eleitores que não fizeram revisão possam votar em outubro. Cancelamentos representam 9% do eleitorado potiguar. Eleitores que não fizeram cadastramento biométrico não poderão votar nas eleições de outubro.
Divulgação/TRE
Mais de 216,6 mil pessoas tiveram os títulos cancelados no Rio Grande do Norte por não terem feito o cadastramento biométrico, exigido nas eleições de 2018, segundo informou o Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE) nesta quinta-feira (27). O estado tem 2.373.619 eleitores aptos a votar nas eleições de 2018. O primeiro turno do pleito acontece no dia 7 de outubro.
O número exato de eleitores potiguares com títulos cancelados foi de 216.615, o que representa 9% do atual eleitorado potiguar. Se todas essas pessoas se concentrassem em um único município, ele seria o segundo maior colegiado do estado e só ficaria atrás de Natal, que tem 557.109 pessoas aptas a votar.
Mossoró e Parnamirim, que têm o segundo e o maior colégio eleitoral, respectivamente, contam com 174.189 e 119.014 eleitores, segundo a Justiça Eleitoral.
Nesta quarta-feira (26), por sete votos a dois, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou um pedido apresentado pelo PSB para autorizar a votação dos eleitores que tiveram o título cancelado por não terem comparecido à revisão nem terem feito o cadastramento biométrico.
Para a maioria dos ministros, a legislação que permite o cancelamento do título de quem não comparecer à revisão do eleitorado não fere a Constituição nem prejudica os eleitores.
Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em todo o país, cerca de 3,4 milhões de eleitores tiveram título cancelado por não comparecer à revisão do eleitorado, na qual o cadastramento biométrico é realizado. Com a decisão, o Supremo confirmou o cancelamento desses títulos.
Leia a notícia completa em G1 RN tem 216,6 mil títulos eleitorais cancelados por falta em cadastro biométrico

O que você pensa sobre isso?