Quartéis da Polícia Militar permanecem fechados em Boa Vista (RR) e em mais seis municípios


RORAIMA — Mesmo após anúncio do presidente Michel Temer de que intervenção federal em Roraima começa a valer nesta segunda-feira, todos os quartéis da Polícia Militar permanecem fechados na capital Boa Vista e em mais seis municípios. As mulheres dos militares, que cobram do governo estadual o pagamento das remunerações, bloquearam as entradas dos batalhões. Apenas dois veículos da Polícia Militar estão circulando pelas ruas da cidade.Na capital, somente uma delegacia está funcionando para flagrantes e registros de boletim de ocorrência. Na sexta-feira, agentes penitenciários queimaram pneus em frente à Cadeia Pública de Boa Vista e fecharam a entrada da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), pasta responsável pelo sistema prisional,e colocaram cadeados nos portões do Tribunal de Justiça do estado. Os servidores cobravam os salários. Neste sábado, os agentes colocaram areia em frente ao portão da Sejuc para impedir a entrada de veículos. A Justiça estadual bloqueou de R$ 23,5 milhões na conta do governo para o pagamento do salário de outubro de policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários. Roraima – 08/12O colapso financeiro em Roraima forçou o presidente Temer a decretar intervenção federal até 31 de dezembro no estado. A governadora Suely Campos (PP) será afastada do cargo e quem assume o posto é o governador eleito, Antonio Denarium (PSL).O ato de Temer ocorre após os protestos em massa de servidores estaduais que reclamam dois meses de salários atrasados e a imigração em massa de venezuelanos no estado. O presidente se reuniu neste sábado no Palácio da Alvorada com ministros e anunciou a intervenção, que, segundo ele, foi negociada com Suely Campos. A Justiça estadual bloqueou R$ 23,5 milhões na conta do governo para o pagamento do salário de outubro de policiais civis e militares, bombeiros e agentes penitenciários.O valor terá de ser descontado do Fundo de Participação dos Estados (FPE) assim que o repasse cair na conta do estado. O bloqueio tem prioridade em relação a todos os outros que já existem.Denarium disse neste sábado que assumirá como interventor já na segunda-feira. Segundo afirmou, neste mês a prioridade será pagar os salários atrasados. Roraima enfrenta ainda uma crise migratória de venezuelanos, que se intensificou neste ano, e uma instabilidade no sistema penitenciário, que está sob intervenção federal desde 29 de novembro.— Vamos fazer de tudo para liquidar esses pagamentos. Roraima passa por uma crise financeira e política sem precedentes. Hoje temos uma crise migratória venezuelana que abalou a Saúde. Nós temos imigração descontrolada. Hoje está entrando em torno de mil venezuelanos. O estado não tem infraestrutura na Saúde, na Educação, na Segurança Pública e não tem emprego para os venezuelanos-, declarou.De acordo com ele, o governo federal acordou em fazer uma intervenção em Roraima o nomeando como interventor.— Iremos concluir a atual gestão. Como governador eleito e interventor federal,vamos apresentar um plano de recuperação fiscal do estado. Nos vamos fechar algumas secretarias, a quantidade de cargos comissionados também serão reduzidos e vamos também alienar alguns imóveis do governo, que está sem uso, como forma de capitalizar o governo e trazer todos aqueles servidores efetivos para dentro do quadro para que eles possam trabalhar e gerar um atendimento de melhor qualidade — disse. O último pagamento feito aos servidores estaduais foi o de setembro. O governo não tem dinheiro para quitar o 13º e salários de novembro e dezembro devem ficar para 2019.
Leia a notícia completa em O Globo Quartéis da Polícia Militar permanecem fechados em Boa Vista (RR) e em mais seis municípios

O que você pensa sobre isso?