Presos da Lava-Jato serão monitorados em tempo real por câmeras em Bangu 8

GALERIA.pngRIO — Um convênio firmado entre a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) e a Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do Ministério Público vai permitir que as autoridades controlem, em tempo real, a movimentação de presos da Lava-Jato que estão sendo transferidos de Benfica para Bangu 8. A medida tem como objetivo evitar que alguns deles, a exemplo do ex-governador Sérgio Cabral, possam receber regalias dentro e fora de suas celas.

A Seap informou que disponibilizou, por meio de ofício à Procuradoria Geral de Justiça, o acesso às imagens de câmeras de segurança de cinco unidades prisionais monitoradas online pela Corregedoria da Seap: Penitenciária Laércio da Costa Pelegrino (Bangu 1), Presídio Gabriel Ferreira Castilho (Bangu 3B), Penitenciária Dr. Serrano Neves (Bangu 3A), Presídio Pedrolino Werling de Oliveira (Bangu 8) e Presídio José Frederico Marques (Benfica).

Bangu 8 será a primeira unidade a ser monitorada pelo Ministério Público. Esse monitoramento acontecerá em toda a unidade, inclusive nas áreas comuns com a Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, como pátio e parlatório.

A transferência de presos de Benfica para Bangu 8 começou nesta segunda-feira, com a ida de 121 detentos. Estão na lista todos os alvos da Lava-Jato como os deputados Paulo Melo e Edson Albertassi, além do filho de Jorge Picciani, Felipe Picciani.

Cenário de escândalos envolvendo mordomias a presos liderados pelo ex-governador Sérgio Cabral, o local passará, a partir desta semana, a ser exclusivamente porta de entrada do sistema prisional do Rio, de acordo com a política de reestruturação iniciada pela Secretaria de Administração Penitenciária do Estado (Seap), com o aval do comando da intervenção federal na segurança pública.

Oficialmente, a mudança é justificada pela incompatibilidade de operar como unidade de ingresso no sistema e, ao mesmo tempo, servir para abrigar presos com curso superior e presos temporários federais. Mas a principal motivação foi a sequência de denúncias sobre as facilidades oferecidas aos presos do grupo do ex-governador.

Com a reestruturação, o grupo da Calicute será integralmente transferido para a Cadeia Pública Petrolino Werling de Oliveira, mais conhecida como Bangu 8, no complexo penitenciário de Gericinó. Já se encontram nessa unidade o ex-governador Sergio Cabral (desde que voltou de Curitiba, há três semanas) e o ex-secretário de Obras de sua gestão, Hudson Braga, transferido recentemente. Todos os demais serão remanejados até sexta-feira próxima.

Ainda existe pendências judiciais mantendo alguns presos em Benfica, mas a Seap espera convencer a Vara de Execuções Penais a autorizar a completa transferência dos presos federais em uma semana, no máximo.

Único preso da Lava-Jato que vai continuar preso em Benfica é o economista Carlos Miranda, que firmou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) e pediu para concluir sua pena em regime fechado (dois anos) nesta unidade.

Com capacidade oficial para 184 presos, número que pode ser ampliado em caso de necessidade, Bangu 8 é dividida em celas para duas pessoas e uma cadeia coletiva, chamada de Maracanã. Até o momento, Cabral se encontra sozinho em uma das seis celas da galeria E de Bangu 8, que tem seis metros quadrados. As mulheres presas pela Lava-Jato também deixarão Benfica e serão levadas para a Presídio Nelson Hungria.


Leia a notícia completa em O Globo Presos da Lava-Jato serão monitorados em tempo real por câmeras em Bangu 8

O que você pensa sobre isso?