Presidente do Senado não votará indicações políticas nas estatais em regime de urgência


BRASÍLIA — O presidente do Senado, Eunício Oliveira, criticou a decisão da Câmara dos Deputados de liberar indicações políticas nas empresas estatais – o que é proibido desde 2016. Segundo Eunício, a medida representa um retrocesso. Ele garantiu que não vai pautar a urgência para votar a matéria no plenário da Casa.— Não aceitaremos esse retrocesso. Somente pautarei o projeto de lei na Ordem do Dia do Senado — disse Eunício ao GLOBO.Os deputados se aproveitaram de um projeto de autoria de Eunício, que reforça as agências reguladores e fizeram a mudança, durante a tramitação da matéria da comissão especial. Além de suprimir o artigo que veda indicações de políticos, parentes e integrantes de campanhas nas agências reguladoras, os parlamentares remeteram essa alteração à lei das estatais, aprovada em 2016.Na terça-feira, os deputados rejeitaram um recurso para que o texto aprovado na comissão fosse discutido com mais tempo no plenário da Casa. Com isso, o projeto seguiu direto para o Senado.— Como autor do PL 6621/16, manifesto minha contrariedade em relação a mudança aprovada ontem pela Câmara, no texto original da proposta. Sou totalmente contra o conteúdo estranho. Defendo a Lei Geral das Agências Reguladoras, assim como defendo a Lei Geral das Estatais—– afirmou Eunício. Congresso – 28/11
Leia a notícia completa em O Globo Presidente do Senado não votará indicações políticas nas estatais em regime de urgência

O que você pensa sobre isso?