Pontos de ônibus de Mogi das Cruzes permanecem com estrutura destruída

Muitos estão do mesmo jeito que no ano passado. Secretaria de Transportes de Mogi das Cruzes diz que está em andamento uma licitação para comprar 100 novos abrigos Pontos de ônibus de Mogi das Cruzes permanecem com estrutura destruída
Reprodução/TV Diário
Para quem precisa de transporte público em Mogi das Cruzes sabe o quanto é importante ter um serviço de qualidade. E não somente com relação aos horários dos ônibus ou nas condições do veículo. É preciso também ter uma estrutura adequada para aguardar o coletivo, e o que se vê são pontos com estrutura destruída. O Diário TV mostrou alguns lugares no ano passado e a promessa era de melhoria, mas nada mudou. Pontos com bancos quebrados ou até sem bancos.
A dona de casa Carolaine Santos Silva confirma. “Não tem manutenção nenhuma. Está sempre do mesmo jeito e cada dia pior. Muitas vezes estou com meus filhos e não tem onde sentar”, desabafa. Ela falava do ponto que fica na Avenida Presidente Altino Arantes, em Jundiapeba. Em dezembro, a equipe do Diário TV mostrou a situação precária do local: vandalismo, desgaste do tempo, ferrugem e, principalmente, falta de manutenção.
Centenas de pessoas esperam ônibus diariamente naquele local e já reclamavam da falta de lugar para se sentar naquela época. O presidente da Associação de Moradores do bairro, Marcelo Morais Dantas, está abismado por nada ter sido feito mesmo depois da reportagem. “É um descaso. A gente ve que a cidade cresceu bastante, os bairros evoluíram, mas algumas coisas ainda deixam a desejar.”
O empreiteiro Joel Ferreira da Silva é outro que sofre com a espera maquele lugar. “A gente fica muito tempo em pé aguardando os ônibus via Quatinga, que demoram um pouco mais que os outros. E não tem um lugar pra sentar.”
Pelo menos ao lado da estação de Jundiapeba, nos dois pontos de ônibus a cobertura que estava em péssimo estado no ano passado foi trocada. “Algumas manutenções foram feitas, mas muito pouco. Nos lugares mais procurados não foi feito nada. Alguns pontos foram retirados. A gente vê que a necessidade é muito grande”, complementa o presidente da Associação. Os moradores não veem funcionários da Prefeitura fazendo a manutenção. “Eu nunca vi”, diz a vendedora Cleusa de Moraes.
Em Cesar de Souza a situação não é diferente. A equipe esteve na Avenida João XXIII e confirmou que o ponto de ônibus mostrado na reportagem em dezembro continua exatamente igual. A Prefeitura tinha prometido colocar os bancos, o que não foi cumprido. “Faz uns dois anos que eu pego ônibus aqui e sempre esteve assim”, conta a vendedora Vagna Bezerra. Do outro lado da rua nem ponto tem; somente uma plaquinha de identificação. O estudante Stefano de Almeida acha que é um descuido com a população o transporte público de uma maneira geral. “As passagens subindo cada vez mais e os ônibus de péssima qualidade. Ônibus fazendo barulho, não se sabe da segurança. No geral, o serviço público está bem descuidado na cidade.”
Outros lugares na cidade também estão com a situação precária. Na Estrada Felipe José de Melo, no Parque São Martinho, o ponto de ônibus é de madeira e com metade da cobertura faltando. Em frente ao Parque Leon Feffer, em Brás Cubas, metade do abrigo não tem bancos. Na Avenida Francisco Ferreira Lopes, na Vila Lavínia, o ponto não tem bancos. E na Rua Ricardo Vilela, bem no centro, a situação é a mesma.
Posição da prefeitura
A Secretaria de Transportes de Mogi das Cruzes explicou que está em andamento uma licitação para comprar 100 novos abrigos, que serão instalados em lugares com grande movimentação, definidos de acordo com estudos, ainda neste ano. O órgão disse que acompanha a situação e faz a manutenção em toda a cidade. No cado do Distrito de Jundiapeba, a informação é de que os pontos passaram por manutenção, mas alguns voltaram a ser alvo de vandalismo. Sobre César de Souza, a municipalidade falou que fará a limpeza dos pontos.
Sobre a Estrada Felipe José de Melo, a Secretaria informou que não instalou pontos feitos em madeira e que o local vai passar por vistoria. Quanto aos problemas de falta de bancos, o órgão explicou que, no momento, não tem bancos para substituição e que deve normalizar tudo com a contratação da empresa que vai ficar responsável pela manutenção de todos os abrigos.
Leia a notícia completa em G1 Pontos de ônibus de Mogi das Cruzes permanecem com estrutura destruída

O que você pensa sobre isso?