Polícia apura ligação de coronel da PM com piloto suspeito de participar de emboscada a traficante

helicoptero.jpgSÃO PAULO — A Polícia Civil de São Paulo investiga a relação entre o piloto Felipe Ramos Morais — preso na última segunda-feira por envolvimento na morte do traficante Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, líder do PCC, maior facção criminosa de São Paulo — com o tenente-coronel Edson Luiz Gaspar. Atualmente oficial da reserva da PM de São Paulo, Gaspar aparece com o piloto em diversas fotos em redes sociais, como informou reportagem da TV Globo. A Globonews já havia também noticiado que a filha do oficial da PM, Tamires Correa Gaspar, é sócia do piloto na empresa G. F. Assessoria Aeronáutica Ltda.

PCC

Felipe foi preso em um condomínio de luxo em Caldas Novas (GO). A polícia procurava um piloto de Anápolis que estava desaparecido e era suspeito de trazer drogas do Paraguai para Goiás. No entanto, Felipe foi encontrado no lugar dele, usando documento falso. Ele é suspeito de ter participado da emboscada que levou à morte Gegê do Mangue.

As fotos nas redes sociais mostram o tenente-coronel ao lado do piloto Morais em várias situações, como em passeio de barco e em churrasco à beira mar. Neta última imagem, aparece o helicóptero que teria sido usado na emboscada ao traficante e foi apreendido pela polícia.

Na época, ele informou, por meio de seu advogado, que foi contratado por Wagner Ferreira da Silva, conhecido como Cabelo Duro, líder da mesma fação criminosa e executado a tiros na frente de um hotel em São Paulo dias depois.

O piloto contou ainda que levaria passageiros do Ceará para São Paulo, mas foi obrigado a pousar pouco depois da decolagem. Em depoimento, ele negou ter simulado uma pane na aeronave e disse que viu as execuções na reserva indígena de Aquiraz, a 30 quilômetros de Fortaleza, onde os corpos foram encontrados.

À Globonews, o ex-policial disse que conheceu o piloto quando era adolescente, mas que não tem mais nenhum relacionamento com ele. Sobre a empresa em que a filha é sócia, disse que o negócio não deu certo e que a firma está inativa desde 2008 ou 2009.

helicoptero3.jpg


Leia a notícia completa em O Globo Polícia apura ligação de coronel da PM com piloto suspeito de participar de emboscada a traficante

O que você pensa sobre isso?