Polícia alemã examina carta encontrada nas explosões de Dortmund

SOCCER-CHAMPIONS-DOR-AMO_-GMQ36OM1E.1.jpg

BERLIM — A polícia alemã investiga a autenticidade de uma carta encontrada próxima ao local das explosões direcionadas ao time do Borussia Dortmund, na noite desta terça-feira. O texto, que reivindica a autoria pelo ataque, começa dizendo “Alá, o mais beneficente, o mais misericordioso”, além de mencionar o envolvimento da Alemanha na luta contra o grupo Estado Islâmico.

Links relacionados – Borussia Dortmund

A carta menciona ainda o atentado cometido em dezembro do ano passado contra uma feira de Natal em Berlim, que deixou 12 mortos, informaram o jornal “Süddeutsche Zeitung” e os canais “WDR” e ‘NDR”.

A Procuradoria Federal, que comanda a investigação, concederá uma entrevista coletiva nesta quarta-feira na cidade de Karlsruhe (oeste do país), onde fica a sua sede.

Os investigadores demonstraram prudência a respeito da carta, de acordo com o jornal “Süddeutsche Zeitung”.

“É possível que os autores do atentado tenham desejado criar uma pista falsa”, indica o jornal. A imprensa alemã informa que há uma segunda carta circulando na web que reivindica autoria do ataque. De acordo com o conteúdo desse segundo texto, publicado por um grupo antifascista, a explosão teria ocorrido em retaliação à forma como o time de futebol abordava grupos neonazistas e racistas.

Três explosões foram direcionadas ao time do Borussia Dortmund por volta das 19h15m (hora local, 14h15 de Brasília), nesta terça-feira. As bombas, que foram acionadas de forma remota, atingiram o ônibus blindado que levava os jogadores do time alemão ao seu estádio, o Singnal Iduna Park, na cidade de Dortmund.

O time enfrentaria o Monaco pelas quartas de final da Liga dos Campeões. O zagueiro espanhol Marc Bartra ficou ferido com os estilhaços de vidro e precisou operar o pulso direito. A partida foi transferida para quarta-feira, às 18h45m (13h45m de Brasília).

BORUSSIA DORTMUND DIZ QUE NÃO CEDERÁ AO TERRORISMO

O diretor geral do Borussia Dortmund, Hans-Joachim Watzke, afirmou que o time não cederá ao terrorismo. O elenco voltou aos treinos nesta quarta-feira.

“Acabo de falar com a equipe no vestiário, quero mostrar à sociedade que não cederemos ao terrorismo”, destacou, na conta oficial do Borussia Dortmund (BVB) no Twitter.

“A família do BVB sempre foi particularmente forte para superar situações difíceis. Talvez seja a situação mais difícil das últimas décadas”, completou Watzke.

O clube permanecerá “forte e unido”, destacou ainda.

Marc Bartra, ferido no ataque ao ônibus, foi operado nesta quarta-feira com sucesso, de acordo com o clube. O espanhol fraturou a mão direita e precisou retirar os estilhaços que cortaram o seu pulso.

Source: O Globo

O que você pensa sobre isso?