Parte dos radares do BRS voltará a multar ainda este mês

RIO – Removidos no fim do ano passado, os radares do sistema BRS estão de volta e vão começar a multar, ainda no fim deste mês, os motoristas que invadirem a faixa dos ônibus e os condutores de coletivos que saírem dela. A instalação dos novos equipamentos começou há cerca de 15 dias e deverá estar concluída só em dezembro nas 21 pistas seletivas de ônibus do Rio. Mas os corredores da Avenida Presidente Vargas, no Centro, e da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, na Zona Sul, já têm, cada um, mais de dez pardais aguardando aferição do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem-RJ), para começarem a autuar.

LEIA MAIS: Prefeitura espera arrecadar pelo menos R$ 40 milhões por ano com taxas de aplicativos de transporte

Entrada do Uber no mercado fez bem à concorrência, diz estudo do Cade

Nesta terça-feira, por volta do meio-dia, uma equipe da Splice, uma das duas empresas vencedoras da licitação para instalação e operação dos radares — a outra é a Consilux —, trabalhava na Nossa Senhora de Copacabana, esquina com a Rua Rodolfo Dantas. Segundo os funcionários, a atividade se concentra na madrugada, para não prejudicar o trânsito.

Estão sendo colocados postes de sustentação para as câmeras dos radares, e a pista vem sendo preparada para instalação de cabos de rede e sensores de velocidade. Alguns equipamentos ainda estão cobertos por papelão. O Ipem-RJ informou que já foi procurado pela empresa, mas ainda não agendou a vistoria nos equipamentos. Só depois de aferidos, os radares poderão multar.

Vans irregulares na cidade

Um corredor de BRS na Rua Barata Ribeiro, em Copacabana, continua sem os radares. O mesmo acontece com o corredor da Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema, e o das ruas Estácio de Sá, João Paulo I, Dr. Satamini, Heitor Beltrão e Conde de Bonfim, na Zona Norte.

ELOGIO DE MORADORES

Moradores de Copacabana aprovam a volta dos pardais. Alguns dizem que o trânsito no bairro ficou mais confuso com a retirada dos equipamentos, principalmente nos horários de rush, e acreditam que o retorno dos radares pode ajudar a reorganizar o tráfego.

— O trânsito está muito mais engarrafado, já que os motoristas não respeitam o espaço do outro. Com os radares de volta, creio que a situação vai melhorar — aposta Raio Veira, de 51 anos, balconista em uma loja em Copacabana.

Aldo de Souza Mendes, de 45 anos, manobrista em estacionamento da Nossa Senhora de Copacabana, também reclamou dos problemas no trânsito provocados pela retirada dos radares. Ele acha que a volta dos equipamentos vai trazer mais organização ao trânsito.

— As pessoas vão respeitar mais — afirma Aldo.

Os corredores BRS foram implantados a partir de 2011 para melhorar a mobilidade em vias congestionadas e tornar mais rápidos os deslocamentos de ônibus e táxis com passageiros. A medida chegou a reduzir em 24% o tempo médio em alguns percursos. Mas, desde a retirada dos equipamentos, apenas guardas municipais estão multando.

Em dezembro, quando venceram os contratos, havia 130 equipamentos ativos nos 21 corredores, segundo a CET-Rio. Em 2017, foram aplicadas 87.559 multas por invasão dos corredores e 6.084 por evasão.


Leia a notícia completa em O Globo Parte dos radares do BRS voltará a multar ainda este mês

O que você pensa sobre isso?