Homem é morto no Parque 18 de Maio em Caruaru

Vítima, que não teve a idade informada, foi morta com um tiro na cabeça, segundo a Polícia Militar. Um homem, que não teve a idade informada, foi assassinado na tarde desta segunda-feira (18) no Parque 18 de Maio em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. O corpo foi levado para o Instituto de Medicina Legal (IML).
De acordo com a Polícia Militar, a vítima foi atingida por um disparo de arma de fogo e morreu no local. Ainda não há informações sobre suspeitos e nem como o crime ocorreu.
Leia a notícia completa em G1 Homem é morto no Parque 18 de Maio em Caruaru

Agricultor é alvejado na face na frente de sítio em Cacoal, RO

Vítima foi encaminhada ao hospital mais próximo e disse não ter desavenças com alguém. Caso está sendo investigado pela Polícia Civil local. Um agricultor foi atingido com um tiro na face, na noite domingo (17). Na ocasião, ele estava com o irmão em frente ao sítio onde moram na área rural de Cacoal (RO), município a 480 quilômetros de Porto Velho. A idade da vítima não foi revelada pela Polícia Militar (PM) local.
Conforme registro de ocorrência, a testemunha, irmão da vítima, contou que eles estavam juntos em frente a entrada do sítio na linha 9, quando houve um disparo de arma de fogo, que atingiu o rosto da vítima. O caso ocorreu por volta das 21h.
Pela escuridão, a testemunha disse não conseguiu ver de onde o tiro foi disparado. Afirmou, ainda, que o irmão não tem desavenças.
Uma equipe do Corpo de Bombeiros também esteve no local e socorreu a vítima até o Hospital Municipal de Urgência e Emergência (Heuro). O caso segue em investigação pela Polícia Civil.
Veja mais notícias da região no G1 Cacoal e Zona da Mata.
Leia a notícia completa em G1 Agricultor é alvejado na face na frente de sítio em Cacoal, RO

Ciro é aconselhado a buscar programa moderado na economia

BRASÍLIA — O pré-candidato à Presidência do PDT, Ciro Gomes, ainda está afinando seu programa de governo com a ajuda do economista Nelson Marconi, de perfil moderado. Embora o presidenciável já tenha dito e repetido que irá revogar o teto de gastos e a reforma trabalhista implantados na gestão de Michel Temer, Ciro tem sido aconselhado a balizar o discurso. Um interlocutor do pedetista conta que alguns pontos não são definitivos:—Eu tenho dito a Ciro que não dá para jogar toda a reforma trabalhista fora, porque ela tem coisas boas— diz.Mas ainda que esteja aberto a flexibilizar algumas posições, o programa de Ciro pende à esquerda. Em entrevista à rádio Jovem Pan, nesta segunda-feira, Ciro deu um recado ao mercado financeiro: “fique tranquilo: eu sou pelos bancos e pela produção”. Um dos principais articuladores políticos do presidenciável, no entanto, deixa claro que Ciro não fará uma carta aos banqueiros e não se curvará à banca para ganhar as eleições. Aliás, este é um dos pontos em que as conversas com a centro-direita travam.— Ciro não tem nada contra os bancos. Mas vai combater uma política pública que seja em detrimento do trabalhador. Ciro vai conversar e explicar que no capitalismo é importante que o trabalhador tenha renda. Mas não vai fazer carta aos banqueiros. O Estado tem um papel como atenuador das diferenças sociais. Quem defende o Estado mínimo não vai encontrar em nós um bom parceiro— pontua Cid.O programa de Ciro tem com um dos princípios bases retomar o crescimento da economia em paralelo à redução da desigualdade. Esse tema consta da minuta da Frente de Esquerda, que vem sendo construída conjuntamente pelo PT, PSB, PC do B e o próprio PDT. Ciro também tem falado sobre aumentar a tributação da classe mais abastada da sociedade, e taxar mais a renda do que o consumo.Uma reforma tributária de Ciro passaria pela redução dos impostos dos menos favorecidos e aumento da taxação dos ricos. Uma medida que deverá ser tomada em um eventual governo Ciro é a tributação de lucros e dividendos empresariais. No que tange à reforma da Previdência, Ciro taxa a proposta pelo atual governo como “selvageria”, e defende a criação de um regime de capitalização, no qual o cidadão teria uma conta para a qual contribuiria para sua aposentadoria. Ele também prega o fim dos privilégios de setores de alguns setores, como juízes e funcionários públicos.
Leia a notícia completa em O Globo Ciro é aconselhado a buscar programa moderado na economia

Após reforma na fachada, Biblioteca Nacional recupera características originais

RIO – Depois de cinco anos coberta por tapumes, a fachada da Biblioteca Nacional, na Avenida Rio Branco, finalmente, voltou a respirar. O prédio icônico, um dos primeiros a serem construídos na antiga Avenida Central, no início do século XX, ganhou uma reforma que devolveu à construção os ares de 1910, ano em que ele foi inaugurado. A obra custou R$ 10, 7 milhões e foi financiada pelo Fundo Nacional de Cultura, do Ministério da Cultura (Minc). A inauguração da nova fachada acontece nesta segunda-feira, às 18h. — A ideia foi retomar as características originais do prédio. Fazer a construção retomar seu esplendor e toda a sua relevância histórica é muito importante para nós. É a cidade dialogando com a sua história — comenta Helena Severo, presidente da Biblioteca Nacional. LEIA MAIS: Convento do Carmo, na Praça Quinze, é preparado para uma nova épocaLargo do Boticário terá hostel com 70 quartos e espaço de coworkingTCM vai analisar custos de obra emergencial na Praia da MacumbaA restauração, que teve duração de 18 meses, tinha como diferencial o reparo das 285 janelas de madeira, que nunca haviam recebido um conserto criterioso, além da pintura e da limpeza da cúpula de cobre. Durante o processo, no entanto, uma descoberta surpreendeu os funcionários que trabalhavam na reforma. — Também estava previsto recuperar as três portas da entrada. Quando fomos tirando as camadas de tinta preta, vimos que elas, originalmente, eram de bronze. Foi uma grata surpresa. Acreditamos que a pintura de preto era uma cultura antiga que tinha a intenção de recuperar o patrimônio — explica Luiz Antonio Lopes de Souza, arquiteto responsável pela obra. Essa foi a terceira reforma que o prédio sofreu desde a inauguração. Pela primeira vez, a equipe usou uma técnica de pigmentação mineral, que, de acordo com Luiz Antonio, facilita a inteiração das argamassas com o meio ambiente, destacando a riqueza da volumetria da fachada. A adoção das cores originais do prédio – ocre, verde e amarelo claro – refletem o resgate histórico que o estilo eclético – marca das construções erguidas na região da Cinelândia entre o fim do século XIX e o início dos anos 20 – viveu recentemente. —O conhecimento das técnicas de restauro mudou muito nas últimas décadas. Mudaram a abordagem, as tecnologias. E o patrimônio da arquitetura eclética voltou a ser estudado, valorizado. É uma arquitetura com uma riqueza de referências muito grande que está sendo resgatada – conta ele. Luiz Antônio explica que, apesar de nova, a técnica da pigmentação natural é muito sofisticada e dá mais segurança quanto a qualidade. Ele acredita que a restauração do prédio reafirma a importância cultural do Rio e joga luz sobre a relevância do edifício: — Ficamos alegres quando vemos tantos turistas entrando aqui. Mas espero que a obra chame atenção para os próximos desafios que precisamos enfrentar. Temos que fazer inventerções no no interior, na parte de infraestrutura elétrica e de automação. Mas ainda temos que desenvolver o projeto, esperamos mergulhar mais intensamente nisso. MAIS SOBRE A BIBLIOTECA NACIONAL Construído entre os anos 1905 e 1910, o prédio de cinco andares foi projetado pelo engenheiro general Francisco Marcelino de Souza Aguiar para abrigar a Biblioteca Nacional, que já havia passado por duas outras sedes na cidade. O projeto fez da instituição a maior biblioteca da América Latina e a sétima maior do mundo. A casa foi planejada para ter capacidade de um milhão de itens, mas, atualmente, já passa dos nove milhões. O núcleo original da biblioteca era composto por livros da “Biblioteca Real”, trazidos ao Brasil por Dom João VI, em 1808.
Leia a notícia completa em O Globo Após reforma na fachada, Biblioteca Nacional recupera características originais

Gol na estreia da Copa vale recorde de 48 anos para James Rodriguez

Artilheiro reinante da Copa do Mundo, com os seis gols que fez no Brasil quatro anos atrás, James Rodriguez pode igualar recorde histórico se marcar na estreia da Colômbia, nesta terça, às 9h, contra o Japão. James marcou em todos os cinco jogos da Colômbia no Mundial passado.Portanto, se fizer gol também no primeiro jogo de sua seleção na Rússia, chega a seis jogos seguidos de Copa do Mundo marcando gols. Se igualando ao brasileiro Jairzinho (sete gols em seis partidas, em 1970) e ao francês Just Fontaine (13 gols em seis partidas, em 1958).O meia canhoto é uma das principais esperanças colombianas, apesar de ter feito temporadas irregulares recentement, a lembrança do torcedor são das grandes exibições que fez no Brasil. James foi tão bem na Copa, que chamou atenção do Real Madrid e foi contratado pelos espanhóis por 75 milhões de euros.Além dos seis gols marcados em cinco jogos, que renderam a artilharia da Copa, James ainda recebeu o prêmio Puskas de gol mais bonito da temporada, pelo lance que fez contra o Uruguai, nas oitavas de final.Com dores musculares, o meia ficou de fora dos últimos treinos da Colômbia, e ainda é dúvida para jogo, mas a tendência é que James apareça na equipe titular de José Pekerman. Construção do recordeA diferença da marca que James pode alcançar e o que já está escrito por Fontaine e Jairzinho é o número de gols marcados. O francês fez 13 (recorde em uma única edição) nas seis partidas que jogou na Copa de 58, ajudando seu país a ficar em terceiro lugar. Já Jairzinho contribuiui para o tricampeonato do Brasil em 70, marcando sete gols no seis jogos. Fontaine nunca teve a chance de aumentar sua marca, porque a França não se classificou para a Copa de 62. Em 66, ele já não fazia mais parte do elenco quando os europeus voltaram ao Mundial.Já Jairzinho esteve em campo na estreia do Brasil na Copa de 74, mas não marcou e a seleção empatou em 0 a 0 com a Iugoslávia.
Leia a notícia completa em O Globo Gol na estreia da Copa vale recorde de 48 anos para James Rodriguez

Mototaxista devolve R$ 100 recebido por engano e história viraliza na internet

O caso aconteceu em Santarém, no oeste do Pará. Ao pagar por uma corrida, mulher entregou R$ 6 e mais uma nota de R$ 100 pensando que fosse R$ 2. Postagem de Samuel Sousa nas redes sociais
Reprodução/Facebook/Samuel Sousa
A honestidade de um homem chamou a atenção de internautas e repercutiu nas redes sociais esta semana em Santarém, no Pará. A história é do mototaxista Samuel Sousa, que devolveu o dinheiro recebido por engano após deixar uma passageira em casa.
O caso foi postado por Samuel nas redes sociais. Ele declarou que havia cobrado R$ 10 pela corrida, mas a passageira reclamou e o valor ficou em R$ 8. Ao pagar pela corrida, a jovem entregou R$ 6 e uma nota de R$ 100 pensando que fosse R$ 2.
A corrida foi do Centro ao bairro Esperança. Após pegar o dinheiro para conferir, o mototaxista notou que havia algo de errado. O valor recebido da jovem era bem acima do cobrado. Samuel decidiu então por devolver a nota de R$ 100.
“Eu tive hombridade de devolvê-la o seu dinheiro. Assim como eu preciso ela também precisa. Deus sempre honra os justos. Vocês não imaginam o quanto a mesma ficou feliz”, declarou Samuel no post nas redes sociais.
Samuel já trabalha há alguns anos, legalmente associado ao Sicams – Sindicato dos Condutores Autônomos de Mototaxistas de Santarém, registro 712.
Samuel Sousa em um post nas redes sociais
Reprodução/Facebook/Samuel Sousa
Leia a notícia completa em G1 Mototaxista devolve R$ 100 recebido por engano e história viraliza na internet

'Vamos obedecer à decisão do Supremo', diz Temer sobre tabela do frete

Preço mínimo do frete foi um dos itens do acordo entre governo e caminhoneiros para encerrar greve da categoria. Presidente participou nesta segunda de reunião do Mercosul no Paraguai. Presidente Michel Temer concede entrevista coletiva no Paraguai, após encontro do Mercosul
Cesar Itiberê/PR
O presidente Michel Temer afirmou nesta segunda-feira (18), no Paraguai, que o governo vai “obedecer” a decisão que o Supremo Tribunal Federal (STF) tomar a respeito da tabela que definiu preços mínimos para o frete rodoviário.
A criação da tabela foi uma das condições negociadas pelo governo com representantes dos caminhoneiros para encerrar a greve da categoria, que durante 11 dias bloqueou rodovias e prejudicou o abastecimento de comida, combustíveis, entre outros itens. O presidente afirmou que o governo fez “uma grande composição com os caminhoneiros” para encerrar a greve.
“Conseguimos pacificamente, sem nenhum incidente de maior monta, desmontar aquele movimento, por meio do diálogo e com a utilização de autoridade. Agora, se o Supremo decidir de outra maneira, evidentemente nós vamos obedecer a decisão do Supremo”, declarou Temer, após participar de encontro de cúpula do Mercosul, em Assunção.
Para viabilizar o preço mínimo, o governo assinou uma medida provisória, e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) definiu a tabela com os valores. Contudo, a questão foi parar no STF, por meio de ações que contestaram a MP.
Relator das ações no Supremo, o ministro Luiz Fux concedeu na semana passada prazo de 48 horas para o governo se manifestar. O ministro suspendeu todas as ações que tramitam no país sobre o assunto e marcou para quarta (20) uma audiência pública com representantes de governo, empresários, caminhoneiros e Procuradoria Geral da República.
Leia a notícia completa em G1 ‘Vamos obedecer à decisão do Supremo’, diz Temer sobre tabela do frete

Empresa é condenada a pagar indenização após não entregar celular comprado pela internet

Ponto Frio terá que pagar R$ 10 de indenização por danos morais. Celular foi comprado em fevereiro e nunca foi entregue para consumidor em Pedro Afonso, região central do estado. Um morador de Pedro Afonso, na região central do estado, ganhou uma indenização na Justiça por não recebe um celular que comprou pela internet. A compra foi feita no dia 15 de fevereiro no site da empresa Ponto Frio, mas nunca recebeu o produto. Na sentença, a juíza Luciana Costa Aglantzakis determinou que o cliente deverá receber R$ 10 mil, além do dinheiro que pagou pelo aparelho.
A decisão foi da 1ª Vara Cível da Comarca de Pedro Afonso e ainda cabe recurso. O G1 procurou a empresa e aguarda posicionamento.
Conforme consta na decisão, o cliente tentou resolver o problema e procurou o Procon várias vezes, mesmo assim não recebeu o produto. “[…] revela-se um descaso que acarreta danos morais, situação que ultrapassou os padrões normais do aborrecimento cotidiano, uma vez que o produto foi adquirido em fevereiro de 2018 e até o momento ainda não foi entregue ao consumidor, nem restituída a quantia paga”, afirmou a juíza.
Além de pagar a indenização, a loja virtual terá de devolver o valor de R$ 2.239,08, pago pelo produto, com juros desde a data da compra.
O Código de Defesa do Consumidor estabelece que qualquer pessoa que fizer uma compra fora de um estabelecimento comercial pode se arrepender da compra e desfazer o negócio no prazo de sete dias, sem ter que dar justificativa. A regra vale para compras feitas por telefone, catálogo ou internet, entre outros.
No caso de entregas fora do prazo, o consumidor também pode se recusar a receber o produto e desfazer o negócio.
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.
Leia a notícia completa em G1 Empresa é condenada a pagar indenização após não entregar celular comprado pela internet

Modernização de arsenais nucleares preocupa, diz relatório especializado

ESTOCOLMO – Os países dotados de armas nucleares estão reduzindo seus arsenais, mas eles estão mais modernos, apesar da vontade de desarmamento manifestada pela comunidade internacional. É o que aponta um informe publicado nesta segunda-feira (18) pelo instituto SIPRI, que considera preocupante a “estratégia da dissuasão”.Nove países (Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França, China, Índia, Paquistão, Israel e Coreia do Norte) possuíam 14.465 ogivas no início de 2018, das quais 3.750 se encontram mobilizadas, segundo números anuais do Instituto Internacional de Estudos para a Paz de Estocolmo (SIPRI). No início de 2017, esse número era um pouco superior, 14.935.”A diminuição do número total de armas nucleares no mundo se deve, principalmente, a que Rússia e Estados Unidos (…) continuam reduzindo suas forças nucleares estratégicas, de acordo com a adoção do tratado sobre as medidas de redução e limitação suplementares das armas estratégicas ofensivas (New START)”, afirma o SIPRI em seu informe.LEIA MAIS: Artigo: Kim dá passo à frente em relação a seus antecessoresArtigo: Trump pode conquistar apoio político sem um real progresso no comércio e na Coreia do Norte? Trump suspende indefinidamente exercícios militares com SeulAssinado em 2010 entre Rússia e Estados Unidos, este tratado sobre a redução das armas estratégicas, o START, entrou em vigor em 2011. Ele prevê uma redução de 30% do número de ogivas nucleares, das que dispõem as duas superpotências atômicas, e verificações mútuas mais transparentes. Apenas Rússia e EUA concentram, juntas, 92% das armas deste tipo. Os outros Estados dotados de armas nucleares – Reino Unido (215 ogivas), França (300), China (280), Índia (130-140), Paquistão (140-150), Israel (80) e Coreia do Norte (10-20, os dados são incertos para este país) – “desenvolvem, ou empregam (todos) novos sistemas de armas nucleares, ou anunciaram sua intenção de fazê-lo”, alerta o SIPRI.— O mundo precisa de um compromisso claro dos Estados dotados de armas nucleares para um processo eficaz e juridicamente vinculante em relação ao desarmamento nuclear — afirmou o presidente do Conselho Administrativo do SIPRI, Jan Eliasson.Este alerta também foi dado sobre os avanços constatados na Coreia do Norte, “rápidos e inesperados”, em particular no que se refere “ao teste de dois novos tipos de sistemas de lançamento de mísseis balísticos de longo alcance”.Em 12 de junho, o presidente americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, tiveram uma histórica cúpula em Cingapura, encerrada com uma declaração comum sem grandes avanços sobre a questão crucial do arsenal nuclear da Coreia do Norte. Dois dias depois desse encontro bilateral, porém, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, reafirmou a importância de aplicar as sanções internacionais contra a Coreia do Norte até sua completa desnuclearização.
Leia a notícia completa em O Globo Modernização de arsenais nucleares preocupa, diz relatório especializado