O dia em resumo: PF diz que Pezão sucedeu a Cabral como líder de organização criminosa


RIO – A investigação que culminou na prisão do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, sustenta que ele assumiu a liderança da organização criminosa que atuou por mais de uma década no Palácio Guanabara, sede do governo estadual. Policias federais acusam Pezão de receber R$ 40 milhões da propina paga ao grupo entre 2007 e 2014. Em uma das frentes, ele cobraria “taxa” de até 8% em contratos do Estado.Dinheiro ainda não foi encontradoO dinheiro, no entanto, ainda não foi localizado. A PF, sem provas físicas como extratos, notas de compras e contas no exterior, acredita que Pezão movimentou quantias em espécie e usou laranjas para fazer transações bancárias. Na conta corrente dele, há registros de poucos saques. Em entrevista durante a manhã, a procuradora-geral Raquel Dodge explicou que o objetivo da operação foi justamente descobrir como e onde Pezão ocultou a propina que teria recebido.Prisão antecipadaO pedido de prisão foi agilizado para antes do fim do mandato — em janeiro Pezão perderá o foro privilegiado, o que transfere o caso para a primeira instância do Judiciário. A antecipação ocorreu para evitar que eventuais documentos fossem perdidos e aumentar a chance de recuperar valores desviados. Autor da decisão que determinou a prisão, o ministro Felix Fischer , do Superior Tribunal de Justiça, argumentou que os desvios de dinheiro se intensificariam no fim da gestão.Apesar disso, uma possível denúncia só deve ser apresentada no próximo ano, já ao juiz Marcelo Bretas, que conduz os processos da Lava-Jato no Rio e condenou Cabral. Pezão e outros presos da operação deverão responder por acusações de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção.Promessa para CabralO ex-governador, aliás, foi tema de uma conversa telefônica interceptada pelos policiais. Em diálogo grampeado, Pezão promete a um interlocutor que vai interceder para retirar Cabral de cela isolada no presídio Bangu 8. A conversa foi usada pelo ministro do STJ como justificativa de que o governador continua tendo conexão com a organização criminosa.Depois de recorde, PF prepara 15 operações em dezembroInstituição realizou 295 ações contra combate à corrupção este ano, que resultaram em 466 prisõesCom maioria pró-indulto, Fux pede vista e adia decisão do SupremoSeis ministros já votaram por manter decreto editado por Temer; dois integrantes da Corte defendem suspensão de trechosPanorama CBN: as principais notícias em até meia horaPodcast debate a prisão de Pezão, o julgamento no STF e a visita a BolsonaroBolsonaro trata de Israel, Cuba e Venezuela com assessor de TrumpConselheiro de Segurança Nacional nos EUA, John Bolton foi recebido de maneira informal na casa do eleito: com iogurte danoninho e água de coco__Viu isso?Mais Médicos: menos de 3% dos 8,3 mil selecionados se apresentaram__Na prisão, Palocci cuidava de plantas e distribuía Rivotril__Vigilância interdita restaurante na Barra com baratas e fezes de ratos__Ex-advogado de Trump diz à Justiça que mentiu ao Congresso__Autora anuncia livro sequência de ‘Handmaid’s tale’, sucesso na TV__Reggae é eleito Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco__Lista: as marcas preferidas dos cariocas em 40 categorias__Estudo: fazer sauna reduz os riscos de infarto__CCR relata R$ 30 milhões em caixa dois para campanhas de Alckmin e SerraConcessionária de transportes fecha acordo de leniência, que prevê multa de R$ 81 milhões, com o Ministério PúblicoGoverno anuncia leilões que vão arrecadar R$ 3,4 bilhõesEquipe de Bolsonaro deu aval às concessões de ferrovia, portos e aeroportosFacebook planejou vender acesso a dados de usuáriosEstratégia foi discutida internamente com objetivo de melhorar resultados financeiros e difere de postura pública da empresaFlamengo tem nova derrota no STF sobre título de 1987Ministro Marco Aurélio Mello, que é rubro-negro, nega recurso do clube, que pede divisão do título com Sport
Leia a notícia completa em O Globo O dia em resumo: PF diz que Pezão sucedeu a Cabral como líder de organização criminosa

O que você pensa sobre isso?