No vale-tudo para o celular não travar, empresas turbinam smartphones


MAUI – Foi-se o tempo em que a disputa no setor de telefonia se concentrava apenas entre os iPhones da Apple e os modelos da Samsung. Com o crescimento de novos recursos como realidade aumentada e inteligência artificial, fabricantes de processadores de celulares decidiram apostar todas as suas fichas em chips capazes de processar um número maior de dados em um tempo cada vez menor. Vale tudo para o celular não travar nem esquentar. A Qualcomm, que hoje é a maior fornecedora de chips para celulares, acaba de anunciar o lançamento de seu novo processador, chamado de Snapdragon 855, que terá sistema apto para trafegar dados em 5G. Para isso, já selou parceria com uma dezena de fabricantes. A Apple, por sua vez, conta com o A12 Bionic, presente na nova linha de celulares (XS, XS Max e XR), lançados em setembro. Já a chinesa Huawei, que se tornou a maior vendedora de smartphones do mundo, vem investindo no seu Kirin 980 para alguns de seus modelos, assim como a Samsung com seu Exynos. cincogSegundo especialistas, a indústria de processadores de celulares vem passando por uma mudança tecnológica, já que precisam fazer mais operações complexas como reconhecimento e processamento de imagens em alta definição e de voz, adquirindo atributos de machine learning (aprendizado de máquina). Além disso, os novos processadores já vêm sendo desenvolvidos de forma a otimizar o consumo de energia, permitindo, assim, maior duração da bateria. A Qualcomm, que prevê receita entre US$ 4,5 bilhões e US$ 5,3 bilhões no último trimestre deste ano, acaba de lançar seu novo processador, que conta com uma capacidade de processamento três vezes mais rápida que o modelo anterior, lançado no ano passado. Alex Katouzian, vice-presidente da empresa, destacou o investimento ainda em inteligência artificial. Ele lembrou ainda que o processador vai reconhecer qualquer tipo de objeto, ambiente e rosto.— Os smartphones estão ganhando cada vez mais funções. Estamos vendo todas as novas experiência em realidade aumentada, por exemplo. Por isso, os processadores têm que estar preparados para acompanhar toda essa evolução. Uma novidade foi a possibilidade de o processador fazer reconhecimento de digital em formato 3D, garantindo que a solução seja a mais segura possível — destacou Katouzian.Cinco trilhões de operações por segundoO processador atual da Apple, por sua vez, é capaz de fazer cinco trilhões de operações por segundo, já que conta com núcleos específicos para inteligência artificial e realidade aumentada. Agora, a empresa americana já olha para o 5G e trabalha com a Intel para o lançamento de um novo processador em 2020, segundo fontes. De olho no 5G, a Samsung também investe num chip capaz de rodar a tecnologia com um consumo menor de energia. A estratégia da companhia é que o processador seja utilizado em outros segmentos além dos smartphones, como carros e objetos conectados em geral. — Hoje, o consumidor está escolhendo o celular pela capacidade de tarefas que consegue realizar e não apenas pela marca ou pela resolução da câmera. Por isso, os fabricantes de processadores passaram a ser parte importante dentro desse sistema — avaliou o consultor John Armein.
Leia a notícia completa em O Globo No vale-tudo para o celular não travar, empresas turbinam smartphones

O que você pensa sobre isso?