Muro na fronteira fica fora de reunião entre López Obrador e Pompeo

CIDADE DO MÉXICO — Após uma campanha marcada por várias críticas ao presidente Donald Trump, a primeira visita de uma delegação americana ao futuro governo de Andrés Manuel López Obrador, no México, nesta sexta-feira, foi marcada por “razoável otimismo”, segundo palavras do futuro chanceler mexicano, Marcelo Ebrard. A viagem oficial ao México, que incluiu uma visita de cortesia ao esquerdista, foi encabeçada pelo secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo. Mas o encontro deixou de fora um dos temas mais polêmicos, responsável por várias tensões desde a posse de Trump: o muro que o americano deseja construir na fronteira com o México.LEIA MAIS: Maioria no Congresso reforçará poder de López ObradorMéxico: López Obrador fará referendo para avaliar governo após três anosAnálise: López Obrador trata de acalmar quem previa o caosAMLO, como é conhecido o futuro presidente mexicano, reuniu-se com uma delegação de alto nível, numa tentativa de constituir a base da relação entre as duas nações. Mas Ebrard foi cauteloso após o encontro, e reconheceu que vários temas não foram abordados. — Foi um diálogo bastante franco, respeitoso, cordial, uma primeira conversa exitosa — disse Ebrard, indicado por López Obrador para ocupar a secretaria de Relações Exteriores. — Podemos ter um otimismo razoável de que o México vai encontrar bases de entendimento para os próximos anos ter uma melhor relação com os EUA.Pompeo, por sua vez, disse após o encontro que seu país espera continuar fortalecendo os laços de cooperação com o vizinho após a posse, em dezembro, renegociando o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta). Ao encontrar AMLO, Pompeo fez questão de reforçar a importância da viagem.— Parabéns, senhor presidente, como você pode ver, os Estados Unidos valorizam muito a nossa relação com o México: você tem quatro dos líderes mais importantes aqui, pouco depois de ser eleito.A relação entre os dois países têm sido tensas desde Trump chegou à Casa Branca, em janeiro 2017 depois de uma campanha carregada de insultos contra os mexicanos, e ataques contra o acordo — em vigor entre os dois países e Canadá desde 1994 —, além da polêmica promessa de construção de um muro na fronteira, que seria pago pelo México. O atual presidente Enrique Peña Nieto e Trump não conseguiram fazer uma visita oficial, algo sem precedentes no relacionamento bilateral.E AINDA: ‘Vitória de López Obrador é chance de deter inércia que levava à destruição’, diz escritorEfeito de eleição mexicana na América Latina será mais simbólico do que práticoApós ciclo de derrotas, López Obrador é festejado pela esquerda latino-americanaMais cedo, Peña Nieto manifestou à comitiva visitante “sua preocupação pela política de separação de famílias migrantes instrumentalizada pelo governo americano”, segundo um comunicado emitido após o encontro de uma hora na residência oficial de Los Pinos.Além de Pompeo, participaram das visitas o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin; o secretário de Segurança Nacional, Kirstjen Nielsen; e o genro e assessor do presidente Donald Trump, Jared Kushner. López Obrador, por sua vez, foi acompanhado por vários membros de seu futuro Gabinete ministerial, incluindo além de Ebard, a ministra do Interior, Olga Sanchez Cordero, e o secretário de Segurança Pública, Alfonso Durazo. Antes de ir para o escritório o próximo presidente, a delegação realizou uma reunião na residência de Los Pinos com o atual presidente.
Leia a notícia completa em O Globo Muro na fronteira fica fora de reunião entre López Obrador e Pompeo

O que você pensa sobre isso?