Inscrições para o Enem começam nesta segunda-feira

74561383_SOC - RIO DE JANEIRO RJ - 05-11-2017 - ENEM 2017 - ESTACIO PRESIDENTE VARGAS ABERTURA DOS.jpg RIO- O Ministério da Educação (MEC) abre nesta segunda-feira, a partir das 10h, as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. Os estudantes terão até o dia 18 de maio para se cadastrar no site. A taxa para quem deseja fazer o exame e não se enquadra nos critérios de isenção é de R$ 82, e o pagamento deve ser feito até o dia 23.

Leia mais: Enem deste ano terá 30 minutos a mais para Ciências da Natureza e Matemática

Educadora afirma que jovens não são estimulados a discutir mudanças do ensino médio

Nesta edição as provas acontecem nos dias 4 e 11 de novembro. Essa foi a primeira vez que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) antecipou o pedido de isenção de taxa, antes o procedimento acontecia junto com a inscrição. Neste ano, os estudantes que eram isentos e não compareceram ao exame também tiveram que justificar a ausência.

O Enem deste ano trouxe ainda uma novidade positiva para os estudantes: a aplicação das provas de Ciências da Natureza e Matemática terá 30 minutos a mais. Assim, no primeiro dia os estudantes farão a prova de Redação, Ciências Humanas e Linguagens em cinco horas e meia. E no segundo dia resolverão Ciências da Natureza e Matemática em cinco horas.

PROFESSORES DÃO DICAS

Questão polêmica no exame do ano passado, a regra que exigia dos candidatos respeito aos direitos humanos nas redações foi retirada no edital deste ano. Desde 2013 o Enem exigia que os estudantes não desrespeitassem os direitos humanos, sob pena de nota zero, mas ano passado uma decisão judicial suspendeu a regra. Ainda assim, o respeito aos direitos humanos é uma exigência da competência 5 da redação. Isso significa que mesmo que o aluno não tenha a prova anulada, ele pode receber uma nota baixa nessa competência caso desrespeite os direitos humanos.

A seis meses da prova, os estudantes que ainda não começaram a estudar não devem pensar que tudo está perdido. Segundo professores, com planejamento é possível obter um ganho significativo de conhecimento até o dia do exame em novembro.

— Falta muito tempo para a prova ainda, dá tempo de se preparar. Uma aspecto fundamental é a redação. Essa é uma das disciplinas mais difíceis de estudar, porque a evolução é muito lenta e exige muita prática. Então, recomendo que o estudante comece a fazer uma redação por semana, pode ser cansativo, mas é fundamental — indica Fellipe Rossi, vice-diretor do Colégio de A a Z, recomendando ainda que os estudantes consultem provas antigas e comecem a estudar pelos assuntos mais frequentes no exame.

Para aproveitar o tempo até a realização do Enem, o diretor pedagógico do Colégio Alfa Cem Bilíngue, André Ferreira, sugere ainda que os estudantes confeccionem seus próprios materiais de apoio, como fichamentos.

— O ponto de partida é a construção de uma boa agenda de estudos, diversificada e construída para dar conta desses meses que ainda restam e das quatro áreas do conhecimento. Recomendo que tenham o hábito de fazer exercícios, assim ele identifica as áreas com maior dificuldade aquelas mais fáceis. Fichamentos, resumos e mapas conceituais são bem vindos, principalmente para as áreas de Ciências Humanas e Ciências da Natureza — explica.

O professor indica que os alunos procurem conteúdos extraclasse, como vídeos na internet e notícias de jornal, frisando a importância de que os alunos estejam conectados com o que está acontecendo no mundo.

— Talvez o próprio professor possa indicar um canal na internet que complemente a rotina de estudos. É fundamental que os estudantes tenham uma leitura de mundo. Quando o estudante chega no terceiro ano do ensino médio, ele se desconecta das atualidades, mas eles têm que estar conectados com as mídias jornalísticas. De alguma maneira essa integração do currículo com o mundo gera repertório para o estudante — afirma Ferreira.

AULA PARA OS PAIS

Nesse sentido, é importante que os pais entendam a rotina de estudos do jovem e conheçam as características do Enem. Para isso, o Descomplica criou uma aula on-line específica para esse público. Na exposição de cerca de uma hora, o professor Eduardo Valladares, que comanda a disciplina de técnicas da estudo no curso, explica a estrutura do exame e dá dicas de como os pais podem ajudar os filhos durante a preparação.

— Muitas vezes o aluno está na internet, mas esta estudando, os pais devem ter consciência disso. Ele também pode baixar aulas e depois assistir. Outra coisa importante é que aluno ajuda aluno, então é importante participar de grupos no Facebook voltados para estudo. Precisamos desmistificar a ideia de que as redes sociais só atrapalham — diz Valladares.

Para que a relação entre pai e filho favoreça o desempenho do estudante no Enem é importante ainda que haja uma relação de confiança. Valladares destaca que o aspecto emocional é um fator fundamental nessa equação.

— É importante tornar o ambiente mais harmônico, entender o universo de estudo. Quando o filho tem autonomia nos estudos, o pai tem que ter um pouco mais de confiança nele. Muitas vezes o pai quer transmitir sua experiência para o filho, mas isso pode acabar se transformando em cobrança. Converse com o filho sobre a estratégia de estudos dele, veja se ele está ancorado em alguma estrutura — diz Valladares. — Recebi mensagem de uma aluna que reclamava que o pai não tinha credibilidade nela, isso é um peso muito forte dos responsáveis sobre eles. A força dessa pressão emocional dos pais é enorme. Treinar para um concurso é 50% conteúdo e 50% equilíbrio emocional que vem de quem te cerca.


Leia a notícia completa em O Globo Inscrições para o Enem começam nesta segunda-feira

O que você pensa sobre isso?