Festival do Rio: os destaques de quinta, 8/11


Cinéfilos de plantão: faltam poucos dias para acabar o Festival do Rio – é até dia 11! – , que leva 200 filmes a diversos cinemas da cidade. Mas ainda dá tempo de conferir algumas preciosidades de cineastas como Spike Lee, Lars von Trier e, até, Jean-Luc Godard. Nesta quinta, 8, tem filmes indicados pelo Bonequinho: o iraniano “3 Faces”, de Jafar Panahi, no Estação Net Gávea, que levou o prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes; “Imagine”, o filme surrealista de John Lennon e Yoko Ono, no Estação Net Botafogo; “Em chamas”, vencedor do prêmio da crítica em Cannes, do sul-coreano Lee Chang-dong, no Estação Net Ipanema, entre outros.

Confira a programação:

Expectativa

‘Entre tempos’. “Ricordi?”. De Valerio Mieli (Itália/França, 2018). Com Linda Caridi, Anna Manuelli, Luca Marinelli.

O filme aborda uma longa história de amor, do início ao fim, recontada através das memórias de seus dois protagonistas, o casal formado por “Ele” e “Ela”. 106 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 5: 19h.

‘Longe da árvore’. “Far from the tree”. De Rachel Dretzin (EUA, 2017). Com

O filme acompanha famílias que enfrentam desafios excepcionais na base do amor, da empatia e da compreensão. Este documentário é baseado no premiado “Longe da árvore: pais, filhos e a busca da identidade”, de Andrew Solomon, livro mais vendido na lista de não ficção do jornal “The New York Times”. 93 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Ipanema 2: 14h15m.

‘O mundo a seus pés’. “Le monde est à toi”. De Romain Gavras (França, 2018). Com Karim Leklou, Vincent Cassel, Isabelle Adjani.

François, traficante, sonha em ter vida mais tranquila e abrir uma franquia de pirulitos de sorvete no Marrocos. Sua ambição é esmagada quando ele descobre que a própria mãe, jogadora compulsiva e estelionatária ocasional, queimou suas economias. 100 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Kinoplex São Luiz 2: 18h45m.

‘Palace II — 3 quartos com vista para o mar’. De Rafael Machado, Gabriel Corrêa e Castro (Brasil, 2018).

Na madrugada de 22 de fevereiro de 1998, parte do prédio Palace II caiu, deixando oito mortos e mais de 170 famílias desabrigadas. O documentário busca dar voz a centenas de vítimas que foram esquecidas pelas autoridades e pela sociedade. 84 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 3: 21h.

‘Pedro e Inês, o amor não descansa’. De António Ferreira (Portugal/Brasil/França, 2018). Com Diogo Amaral, Joana de Verona, Vera Kolodzig, Cristóvão Campos, Custódia Gallego.

Inspirado na lenda portuguesa do Rei Dom Pedro (século XIV), que desenterrou o corpo de sua amada Inês para poder casar-se com ela depois de morta. 125 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 4: 14h20m.

‘Skate Kitchen’. De Crystal Moselle (EUA, 2018). Com Rachelle Vinberg, Dede Lovelace, Jaden Smith.

Camille, tímida adolescente, se enturma com o coletivo de skatistas de Nova York conhecido como Skate Kitchen. 106 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 5: 16h50m.

‘A última criança’. “Last child”. De Shin Dong-seok (Coreia do Sul, 2018). Com Choi Moo-seong, Kim Yeo-jin, Seong Yu-bin.

Um casal, dono de uma pequena loja, luta para superar a morte do filho, Eunchan, que se afogou ao tentar salvar a vida de um amigo. Um dia, o pai vê o menino que sobreviveu, Kihyun, sofrendo na mão de colegas de escola. Ele se mete no meio e acaba fazendo amizade com o rapaz, oferecendo-lhe um trabalho em sua loja. 124 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 5: 14h.

‘Yomeddine’. De A.B. Shawky (Egito, 2018). Com Rady Gamal, Ahmed Abdelhafiz, Shahira Fahmy.

Beshay, ex-portador de hanseníase, jamais havia saído da colônia no deserto egípcio onde viveu desde a infância. Após a morte de sua mulher, finalmente decide partir em busca de suas raízes.97 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 4: 21h20m.

Film doc

‘Hal Ashby’. “Hal”. De Amy Scott (EUA, 2018).

A vida e a obra de Hal Ashby (1929-1988), o gênio que produziu uma sucessão de vencedores do Oscar nos anos 1970, são tema de entrevistas com os atores Jane Fonda, Jon Voight e Jeff Bridges, além dos diretores Alexander Payne e Norman Jewison, entre outros. Ashby foi o realizador de clássicos como “Ensina-me a viver” (1971), “Shampoo” (1975) e “Amargo regresso” (1978). 90 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Botafogo 1: 15h40m.

Itinerários Únicos

‘Westwood — Punk, ícone, ativista’. “Westwood: punk, icon, activist”. De Loma Tucker (Reino Unido, 2018).

A estilista inglesa Vivienne Westwood foi responsável por levar a moda punk aos holofotes. O filme mostra sua luta pelo sucesso, seu ativismo e sua importância cultural. 78 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Instituto Moreira Salles: 14h.

Midnight

‘Faca no coração’. “Un couteau dans le coeur”. De Yann Gonzalez (França/México/Suíça, 2018). Com Vanessa Paradis, Kate Moran, Nicolas Maury.

Anne produz filmes pornôs gays de segunda categoria. Depois de ser abandonada por Lois, sua montadora e amante, um de seus atores é assassinado, e Anne se vê tomada por uma estranha investigação. 102 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qui, 8: Estação Net Ipanema 1: 14h.

‘Game girls’. De Alina Skrzeszewska (França/Alemanha, 2018).

Teri e a namorada, Tiahna, levam seu relacionamento pelos caminhos caóticos de Skid Row, Los Angeles, a “capital dos sem-teto dos EUA”. Um dilema aumenta a tensão entre as duas: enquanto Tiahna está confortável vivendo no submundo econômico, Teri é tomada por um desejo de cair fora. 86 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 4: 14h15m.

‘Imagine’. De John Lennon, Yoko Ono (EUA, 1972).

Uma filmagem surrealista, que mistura ficção e realidade, de um dia na vida de John e Yoko, composto a partir de canções do álbum “Imagine”, de John, e do álbum “Fly”, de Yoko. Relançamento em cópia restaurada com cenas inéditas. 83 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Botafogo 1: 17h30m.

‘Matangi/Maya/M.I.A’. De Stephen Loveridge (Sri Lanka/Reino Unido/EUA, 2018).

Documentário sobre a vida da cantora pop M.I.A.. Nascida no Sri Lanka, durante o movimento de independência Tâmil, Mathangi Maya Arulpragasam fugiu para Londres com a mãe e os irmãos aos 9 anos. Com o plano de se tornar documentarista, ela retornou ao Sri Lanka e começou a filmar seus familiares. Vencedor do prêmio especial do júri no Sundance Film Festival 2018. 96 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 1: 16h.

‘Morra, monstro, morra’. “Muere, monstruo, muere”. De Alejandro Fadel (Argentina/França/Chile, 2018). Com Victor Lopez, Esteban Bigliardi, Tania Casciani.

Cruz, um policial, investiga o caso do cadáver de uma mulher sem cabeça encontrado numa região remota dos Andes. David, marido da amante de Cruz, surge como suspeito e é enviado a um hospital psiquiátrico. Ele jura que a culpa do crime é da aparição inexplicável de um monstro. 95 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 5: 14h45m.

‘Obscuro barroco’. De Evangelia Kranioti (França/Grécia, 2018).

Mistura de documentário e ficção, o filme é uma homenagem ao Rio de Janeiro, seguindo os caminhos de Luana Muniz (1961-2017), transgênero. 60 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Kinoplex São Luiz 1: 14h.

Panorama

‘3 Faces’. “Se rokh”. De Jafar Panahi (Irã, 2018). Com Behnaz Jafari, Jafar Panahi, Marziyeh Rezaei.

Nos papéis de si mesmos, o diretor Jafar Panahi e a popular atriz iraniana Behnaz Jafari viajam de carro até uma região rural no Irã, na tentativa de socorrer uma jovem proibida, pela família e por autoridades locais, de estudar teatro em Teerã. Os dois não demoram a descobrir que a hospitalidade local pode ser ameaçada pela vontade de proteger antigas tradições. A atitude dos habitantes locais no filme é consistente com o que ainda acontece na região. Prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes 2018. 100 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 4: 21h20m.

‘Amor até as cinzas’. “Jiang hu er nv”. De Jia Zhangke (China/França/Japão, 2018). Com Tao Zhao, Fan Liao.

Qiao está apaixonada por Bin, membro de uma gangue. Durante uma briga entre grupos criminosos rivais, ela usa um revólver para protegê-lo e acaba condenada a cinco anos na prisão. Quando é libertada, parte em busca do amado para tentar recomeçar o romance. Uma história de amor ambientada na China contemporânea, sob transformações épicas e dramáticas. 136 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Reserva Cultural Niterói 1: 18h20m.

‘Asako I & II’. “Netemo sametemo”. De Ryûsuke Hamaguchi (Japão/França, 2018). Com Masahiro Higashide, Erika Karata.

Asako e Baku vivem um romance intenso, porém, certo dia, o temperamental Baku desaparece. Dois anos mais tarde, depois de se mudar de Osaka para Tóquio, Asako encontra o duplo perfeito de Baku. Indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes. 119 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 3: 14h30m.

‘Assunto de família’. “Manbiki Kazoku”. De Hirokazu Koreeda (Japão, 2018). Com Kirin Kiki, Lily Franky, Sôsuke Ikematsu.

Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2018. Após mais uma jornada rotineira de furtos em lojas, Osamu e seu filho cruzam com uma menina sofrendo sob frio congelante. A princípio relutante em abrigar a garota, a mulher de Osamu decide cuidar dela depois de conhecer as desgraças que a pequena havia enfrentado. Apesar de se tratar de uma família pobre, todos parecem felizes, até que um incidente revela segredos escondidos e testa seus laços de união. 121 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Botafogo 1: 19h10m.

‘O Caravaggio roubado’. “Una storia senza nome”. De Roberto Andò (Itália/França, 2018). Com Micaela Ramazzotti, Renato Carpentieri, Laura Morante, Alessandro Gassmann.

Valeria,secretária de um produtor de cinema, escreve scripts anônimos para um roteirista de sucesso, Alessandro Pes. Um dia ela é abordada por um policial aposentado que conta a história de um crime. Quando vai para casa, usa o que ouviu para escrever o próximo roteiro. 111 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 2: 15h50m.

‘Conquistar, amar e viver intensamente’. “Plaire, Aimer et Courir Vite”. De Christophe Honoré (França, 2018). Com Vincent Lacoste, Pierre Deladonchamps, Denis Podalydès.

Paris, 1993. Jacques é um escritor na casa dos 30 anos que goza de relativa notoriedade. Pai solteiro, ele preserva o bom humor e o romantismo, apesar das incertezas em sua vida e no mundo. Durante uma viagem de trabalho para a Bretanha, conhece Arthur, jovem aspirante a cineasta em meio a um despertar sexual. 130 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 4: 16h40m.

‘Dez anos Tailândia’. “Ten Years Thailand”. De Apichatpong Weerasethakul, Aditya Assarat, Chulayarnnon Siriphol e Wisit Sasanatieng (Tailândia/Hong Kong/Japão, 2018). Com Boonyarit Wiangnon, Kidakarn Chatkaewmanee, Tanasawan Thepsatorn.

Quatro diretores são convidados a imaginar seu país daqui a uma década. Cada um contribui com um episódio. Reunidos, os curtas soam como uma advertência a respeito da atual situação política na Tailândia, que desde 2014 é submetida a uma ditadura militar que restringiu as discordâncias, a opinião pública, a criatividade e a diversidade de pensamento.95 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Instituto Moreira Salles: 17h20m.

‘Em chamas’. “Beoning”. De Lee Chang-dong (Coreia do Sul, 2018). Com Ah-in Yoo, Steven Yeun, Jong-seo Jun. Coreia do Sul, 2018.

Baseado no conto “Queimar celeiros”, de Haruki Murakami. O suspense conta a história de Jong-su, um entregador que está trabalhando quando encontra com Hae-mi, que pergunta se ele cuidaria de seu gato enquanto ela viaja para a África. Quando retorna, Hae-mi apresenta para Jong-su um jovem enigmático chamado Ben, que conheceu na viagem. Vencedor do prêmio da crítica no Festival de Cannes de 2018. 148 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Ipanema 2: 18h40m.

‘A excêntrica família de Gaspard’. “Gaspard va au mariage”. De Antony Cordier (França, 2017). Com Félix Moati, Laetitia Dosch, Guillaume Gouix, Christa Theret, Marina Fois.

A comédia conta a história de Gaspard, de 25 anos, que, depois de ficar afastado durante alguns anos, se reencontra com a família após o anúncio do casamento do pai. Acompanhado de Laura, que aceita fingir ser sua namorada durante a festa, ele se sente pronto para pisar, novamente, no zoológico da família e rever os animais que o viram crescer. 103 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 5: 21h30m.

‘Grass’. De Hong Sangsoo (Coreia do Sul, 2018). Com Kim Minhee, Jung Jinyoung, Ki Joobong.

Em um beco onde não se esperaria encontrar um lugar como esse, há um café onde as pessoas conversam entre si. Em frente, o proprietário de uma mercearia cultiva plantas em grandes bacias de borracha. Com o passar do tempo, as pessoas sentadas em diferentes mesas se familiarizam umas com as outras e começam a se misturar. 66 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 4: 20h.

‘Memória da dor’. “La douleur”. De Emmanuel Finkiel (França/Bélgica/Suíça, 2018). Com Mélanie Thierry, Benoît Magimel, Benjamin Biolay.

Baseado no romance autobiográfico homônimo, de Marguerite Duras. Em 1944, na França ocupada por nazistas, a talentosa escritora Marguerite atua como ativa integrante da resistência ao lado de seu marido, Robert. Quando ele é deportado pela Gestapo, ela enfrenta uma batalha para reencontrá-lo. Começa uma aflitiva relação com Rabier, um colaborador dos nazistas, e corre riscos terríveis para salvar Robert. 127 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Ipanema 1: 16h.

‘Monrovia, Indiana’. De Frederick Wiseman. (EUA, 2018).

Monrovia, Indiana (população: 1.063), no meio dos Estados Unidos, foi fundada em 1834 e é uma comunidade agrícola. O filme mostra as experiências de vida e trabalho no dia a dia local, com foco nas instituições e organizações comunitárias e religiosas da cidade. Com um olhar complexo e sutil da rotina, o filme fornece uma compreensão do modo de vida da América rural 143 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Instituto Moreira Salles: 19h20m.

‘Não me toque’. “Touch me not”. De Adina Pintilie (Romênia/Alemanha/República Tcheca/Bulgária/França, 2018). Com Laura Benson, Tómas Lemarquis, Christian Bayerlein.

Entre realidade e ficção, o filme acompanha a jornada emocional de Laura, Tomas e Christian, oferecendo um olhar íntimo e profundo sobre suas vidas. Demandando intimidade e ao mesmo tempo com medo de aceitá-la, eles trabalham para superar velhos padrões, mecanismos de defesa e tabus, para cortar o cordão e finalmente serem livres. Urso de Ouro, Berlim 2018. 125 minutos. Não recomendado para menores de 18 anos.

Qui, 8: Estação Net Ipanema 1: 18h30m.

‘A névoa verde’. “The Green Fog”. De Guy Maddin, Evan Johnson, Galen Johnson (EUA/Canadá, 2018).

A estrutura deste filme é uma homenagem a “Um corpo que cai”, de Hitchcock: um conjunto vertiginoso de imagens constrói uma fantasia cinematográfica passada em São Francisco que atrai o espectador. 62 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Instituto Moreira Salles: 15h50m.

‘No portal da eternidade’. “At Eternity’s Gate”. De Julian Schnabel (EUA/França, 2018). Com Willem Dafoe, Rupert Friend, Mads Mikkelsen, Mathieu Amalric, Emmanuelle Seigner.

Nas aldeias de Arles e Auvers-sur-Oise, onde se refugiou para escapar das pressões de Paris, o pintor Vincent van Gogh é tratado gentilmente por alguns e brutalmente por outros. Seu amigo e artista Paul Gauguin, após uma convivência intensa, se afasta. Seu irmão, Theo, é inabalável em seu apoio, mas nunca consegue vender uma única pintura de Vincent. Premiado no Festival de Veneza. 110 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qui, 8: Kinoplex São Luiz 2: 13h45m.

‘O ódio que você semeia’. “The hate u give”. De George Tillman Jr. (EUA, 2018). Com Amandla Stenberg, K.J. Apa, Anthony Mackie.

Starr Carter está entre dois mundos: a vizinhança pobre, majoritariamente negra, onde mora, e a escola rica, quase toda branca, que frequenta. O equilíbrio entre esses mundos é quebrado quando Starr testemunha o assassinato de seu melhor amigo de infância, Khalil, por um policial. Baseado no bestseller de Angie Thomas. 132 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Ipanema 2: 21h30m.

‘O olho e a faca’. De Paulo Sacramento (Brasil, 2018). Com Rodrigo Lombardi, Caco Ciocler, Maria Luisa Mendonça, Roberto Birindelli.

Roberto trabalha há anos em uma plataforma de petróleo. Ele e seus colegas são unidos por fortes vínculos de amizade, o que é uma forma de resistir ao isolamento da rotina em alto-mar. A notícia inesperada de uma promoção na equipe abala o bom relacionamento geral. 99 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qui, 8: Estação Net Botafogo 1: 21h30m.

‘A pé ele não vai longe’. “Don’t worry, he won’t get far on foot”. De Gus Van Sant (EUA, 2018). Com Joaquin Phoenix, Jonah Hill, Rooney Mara, Jack Black.

Quando o preguiçoso John Callahan quase perde a vida em um acidente de carro, a última coisa que quer é parar de beber. Quando finalmente aceita fazer um tratamento, ele descobre o dom de criar irreverentes tirinhas de jornal, que acabam lhe dando fama internacional. Adaptado da autobiografia de John Callahan. 113 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 4: 19h10m.

‘Raiva’. “Raiva”. De Sérgio Tréfaut (Portugal, 2018). Com Isabel Ruth, Leonor Silveira, Hugo Bentes.

Alentejo, 1950. Nos campos desertos do Sul de Portugal, fustigados pelo vento e pela fome, vários assassinatos a sangue frio acontecem em apenas uma noite. Adaptação de “Seara de vento”, de Manuel da Fonseca, um clássico da literatura portuguesa do século XX, este filme é um conto negro sobre o abuso e a revolta, baseado em acontecimentos reais que chocaram o país. 85 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Kinoplex São Luiz 1: 16h30m.

‘Utøya — 22 de julho’. “Utøya 22. juli”. De Erik Poppe (Noruega, 2018). Com Andrea Berntzen, Aleksander Holmen, Brede Fristad.

No pior dia da história norueguesa moderna, Kaja se diverte com sua irmã mais nova, Emilie, minutos antes de a primeira bomba explodir no acampamento de verão na ilha de Utøya. Aquele seria o segundo ataque de um terrorista da extrema-direita do país em duas horas, matando 79 pessoas. Enquanto busca por sua irmã, Kaja representa o pânico, o medo e o desespero dos 500 jovens presentes no acampamento. 97 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qui, 8: Reserva Cultural Niterói 1: 16h20m.

‘Verão’. “Leto”. De Kirill Serebrennikov (Rússia, 2018). Com Irina Starshenbaum, Teo Yoo, Roma Zver.

Leningrado no verão, começo dos anos 80. Abastecida pelo contrabando de LPs de Lou Reed e David Bowie, a cena local de rock underground fervia antes da abertura promovida pela Perestroika. Nesse contexto, Mike, sua mulher Natasha e o jovem Viktor Tsoï vão transformar os rumos da música na União Soviética. 128 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Ipanema 1: 21h.

‘Vox Lux’. De Brady Corbet (EUA, 2018). Com Natalie Portman, Jennifer Jason Leigh, Jude Law, Willem Dafoe.

Depois de cantar em uma cerimônia fúnebre, a adolescente Celeste torna-se uma pop star. Sua ascensão meteórica acontece concomitantemente a um ataque terrorista que choca a nação, transformando a jovem em um ícone americano. Anos depois, em 2017, Celeste tenta se recuperar após um escândalo. 110 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Cine Odeon Net Claro: 21h30m.

‘White Boy Rick’. De Yann Demange (EUA, 2018). Com Matthew McConaughey, Richie Merritt, Jennifer Jason Leigh.

Detroit dos anos 80: no apogeu da epidemia do crack e da guerra contra as drogas, uma cidade tomada pela corrupção. Um jovem faz um acordo, torna-se um informante secreto e, mais tarde, um traficante de drogas manipulado pelo próprio sistema destinado a protegê-lo. Abandonado pelos agentes da polícia, ele é condenado à prisão perpétua. Baseado na história real do informante mais jovem da história do FBI. 111 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qui, 8: Kinoplex São Luiz 2: 16h15m, 21h.

Première Brasil

Mostra competitiva de ficção

‘Azougue Nazaré’. De Tiago Melo (Brasil, 2018). Com Valmir do Côco, Joana Gatis, Mestre Barachinha, Mohana Uchôa.

O casal formado por Catita e Irmã Darlene vive em uma casa isolada, em meio a um canavial. Ele participa escondido do maracatu, combatido como coisa do demônio pelo pastor Barachinha. Também no canavial, um pai de santo pratica um ritual religioso com cinco caboclos. 82 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos. Antes do longa será exibido o curta “A retirada para um coração bruto”, de Marco Antônio Pereira.

Qui, 8: Estação Net Gávea 3 e 5: 21h40m.

‘Domingo’. De Clara Linhart, Fellipe Barbosa (Brasil, 2018). Com Ittala Nandi, Camila Morgado, Augusto Madeira, Ismael Caneppeli, Martha Nowill.

Sábado, 1º de janeiro de 2003. Enquanto Brasília celebra a posse do presidente e ex-metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva, duas famílias do interior gaúcho se reúnem em uma velha mansão rural para um churrasco regado a champanhe, segredos, anseios e frustrações familiares. 95 minutos. Não recomendado para menores de 18 anos. Antes do longa será exibido o curta “Universo preto paralelo”, de Rubens Passaro.

Qui, 8: Cine Odeon Net Claro: 16h.

‘A sombra do pai’. De Gabriela Amaral Almeida (Brasil, 2018). Com Nina Medeiros, Julio Machado, Luciana Paes, Elton Medeiros.

Quando uma criança vira o “adulto da casa”, há uma inversão na ordem natural das coisas. A infância se transforma em saga. E a paternidade em condenação. O filme conta a história de um pai e uma filha que não conseguem se comunicar. Órfã de mãe, Dalva, de 9 anos, vê o seu pai, o pedreiro Jorge, ser consumido pela tristeza após perder o melhor amigo. Dalva acredita ter poderes sobrenaturais e ser capaz de trazer a mãe de volta à vida. 92 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos. Antes do filme será exibido o curta “Antes que o tempo me esqueça”, de Leo Googod e Paulo Rodrigues.

Qui, 8: Estação Net Gávea 3 e 5: 19h

‘Tinta bruta’. De Marcio Reolon, Filipe Matzembacher (Brasil, 2018). Com Shico Menegat, Bruno Fernandes, Guega Peixoto, Sandra Dani, Frederico Vasquez.

Pedro responde a um processo criminal e, ao mesmo tempo, tem que lidar com a mudança da irmã para o outro lado do país. Sozinho no escuro do seu quarto, ele assume o codinome Garoto Neon e começa a dançar, com o anonimato garantido por camadas de tinta néon sobre a pele, diante de milhares de desconhecidos que o assistem pela webcam. 117 minutos. Vencedor do Prêmio Teddy no Fesstival de Berlim. Não recomendado para menores de 18 anos.

Qui, 8: Kinoplex São Luiz 1: 21h30m.

Mostra competitiva de documentários

‘Eleições’. De Alice Riff (Brasil, 2018).

Um diálogo entre juventude e sociedade, acompanhando a eleição de um grêmio estudantil da E.E. Doutor Alarico da Silveira, em São Paulo. Com posições ideológicas divergentes, o conflito entre as chapas é o mote narrativo para mergulhar neste universo jovem e questionador. 100 minutos. Livre. Antes do longa, será exibido o curta “O órfão”, de Carolina Markowicz.

Qui, 8: Cine Odeon Net Claro: 13h.

‘Gilda Brasileiro — Contra o esquecimento’. De Roberto Manhães Reis, Viola Scheuerer (Brasil/Suíça/Alemanha, 2018).

A personagem do título tem 52 anos. Filha de pai afrodescendente e mãe judia-alemã, Gilda pesquisa a história de uma estrada clandestina, usada por traficantes de escravos no século XIX. Encontra documentos relevantes, mas ninguém mais na sua cidade, a paulista Salesópolis, parece interessado em vasculhar o passado. O filme recupera essa história com o apoio de imagens de época feitas pelo fotógrafo Marc Ferrez. 90 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos. Antes do longa será exibido o curta “Gopi”, de Viviane D’Avilla e Paulo Dimantas.

Qui, 8: Kinoplex São Luiz 1: 19h.

HORS-CONCOURS – ficção

‘Intimidade entre estranhos’. De José Alvarenga Jr. (Brasil, 2018). Com Rafaela Mandelli, Milhem Cortaz, Gabriel Contente.

Maria muda-se temporariamente para o Rio, para ficar perto do marido, Pedro, que está atuando numa série de TV. Ela também se sente distante do amado porque ele passa o dia em gravações. Sua solidão tem um observador fiel: Horácio, um jovem introspectivo, síndico e dono de praticamente todo o prédio onde moram. 111 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Cine Odeon: 19h.

‘Rasga coração’. De Jorge Furtado (Brasil, 2018). Com Marco Ricca, Drica Moraes, Chay Suede.

Na adaptação da peça homônima de Oduvaldo Vianna Filho (1936-1974), Manguari Pistolão, após 40 anos de militância anônima, vê o filho Luca acusá-lo de ser conservador e anacrônico. Às voltas ainda com o orçamento apertado e uma incômoda artrite, ele se vê repetindo as atitudes do próprio pai. 115 minutos. Livre.

Qui, 8: Estação Net Gávea 1: 13h45m.

‘Sequestro relâmpago’. De Tata Amaral (Brasil, 2018). Com Mariana Ruy Barbosa, Sidney Santiago Kuanza, Daniel Rocha.

Isabel é vítima de um sequestro relâmpago. Os bandidos, inexperientes, notam que não conseguirão chegar ao caixa antes do equipamento ser desligado. Isabel vai ter que negociar sua sobrevivência noite adentro. 85 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qui, 8: Roxy 1: 20h45m.

Hors-concours-documentários

‘Humberto Mauro’. De André Di Mauro (Brasil, 2018).

Tributo a Humberto Mauro (1897-1983), pioneiro do cinema brasileiro e latino americano. Uma entrevista do homenageado, gravada no Museu da Imagem e do Som nos anos 60, serve de fio condutor para o filme. Ganham destaque as incomuns soluções técnicas adotadas por Mauro durante as filmagens e sua luta contra adversidades inerentes ao pioneirismo de quem fez cinema no Brasil do início do século XX. 90 minutos. Livre.

Qui, 8: Cine Arte UFF: 21h10m.

Retratos

‘Angel Vianna voando com os pés no chão’. De Cristina Leal (Brasil, 2018).

Angel Vianna, pesquisadora e mestra do movimento, abre seu coração e conta sua vida, enquanto coreógrafos e bailarinos põem na dança que aprenderam com ela toda a luta e a poesia, amores e dores de uma vida inesquecível. 86 minutos. Livre

Qui, 8: Estação Net Gávea 1 e 2: 18h

‘Carvana’. De Lulu Corrêa (Brasil, 2018).

Exímio contador de histórias, Hugo Carvana (1937-2014) narra sua própria trajetória de 60 anos de carreira através de entrevistas feitas desde a década de 1970. Entre seus relatos e cenas de cinema, ganham a tela os tempos de estudante de teatro e figurante de chanchadas, a marcante presença como ator no Cinema Novo, as comédias e sua militância política. 104 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qui, 8: Cinemateca do MAM: 19h30m.

‘Filme ensaio’. De Maria Flor. (Brasil, 2018).

Em 2014, Andréa Beltrão, Malu Galli e Mariana Lima montaram o espetáculo teatral “Nômades”, uma criação coletiva com direção de Márcio Abreu. A atriz Maria Flor acompanhou o processo de ensaio e registrou, com sua câmera, o percurso de criação da peça. 72 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 3: 15h30m.

‘Paulo Casé — O arquiteto do encontro’. De Paula Fiuza. (Brasil, 2018).

Premiado internacionalmente, o arquiteto Paulo Casé (1931-2018) tem sua vida contada em primeira pessoa, com o apoio do testemunho de amigos e discípulos, entre imagens históricas e atuais. Em pauta, vida, obra, arquitetura, família, artes, literatura, música, viagens e o Rio.

Qui, 8: Cinemateca do MAM: 15h.

‘Rogéria, senhor Astolfo Barroso Pinto’. De Pedro Gui (Brasil, 2018). Com Alessandro Brandão e Fernanda Thurann.

Rogéria nasceu Astolfo. Começou a carreira como maquiador de estrelas, que o estimularam a cantar e interpretar, sempre como uma figura feminina. O docudrama aborda as histórias de Rogéria e de Astolfo, que se conjugam em uma só, mas que têm relações ímpares e complexas entre si. 82 minutos. Não recomendado para menores de 10 anos.

Qui, 8: Cinemateca do MAM: 17h.

Novos rumos

‘El último país’. De Gretel Marín Palacio (Brasil/Cuba/Angola, 2018).

O que parecia ser uma viagem de regresso ao país natal da diretora num tempo de mudança acaba por ser uma viagem de descoberta, entre as contradições e os questionamentos sobre a identidade cubana. 70 minutos. Não recomendado para menores de 10 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 3: 18h30m.

‘Inferninho’. De Guto Parente, Pedro Diogenes (Brasil 2018). Com Yuri Yamamoto, Demick Lopes, Rafael Martins, Samya de Lavor, Tatiana Amorim.

Deusimar é a dona do Inferninho, bar que é um refúgio de fantasias. Ela sonha em deixar tudo pra trás e ir embora para um lugar distante. Jarbas, o marinheiro que acabara de chegar, deseja fincar raízes. O amor que nasce entre os dois vai transformar por completo o cotidiano do bar. 82 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos. Antes do filme será exibido o curta “Vigia”, de João Victor Borges.

Qui, 8: Estação Net Gávea 1 e 2: 20h15m.

‘Mormaço’. De Marina Meliande. Com Marina Provenzzano, Sandra Maria, Pedro Gracindo, Analu Prestes, Igor Angelkorte.

Rio de Janeiro, 2016. O verão mais quente da história. A cidade está se preparando para os Jogos Olímpicos. Ana, defensora pública de 32 anos, trabalha por uma comunidade ameaçada de remoção pelas obras do Parque Olímpico. Ao mesmo tempo, misteriosas manchas aparecem em sua pele. 97 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos. Antes do longa será exibido o curta “Invasão drag”, de Rafael Ribeiro.

Qui, 8: Cine Arte UFF: 19h.

Première Latina

‘Acusada’. De Gonzalo Tobal (Argentina/México, 2018). Com Lali Espósito, Leonardo Sbaraglia, Inés Estévez.

Dolores, estudante de classe alta, vê sua vida se transformar quando sua melhor amiga é assassinada. Dois anos depois, ela é a única suspeita e acusada de um crime que atraiu muita atenção da mídia e a colocou no centro das atenções do público: todos têm uma opinião sobre sua inocência ou culpa. Os melhores advogados não são suficiente: eles controlam tudo ao seu redor. 108 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 4: 17h50m.

‘O anjo’. “El ángel”. De Luis Ortega (Argentina/Espanha, 2018). Com Lorenzo Ferro, Chino Darín, Mercedes Morán.

Buenos Aires, 1971. Carlitos é um jovem que, aos 17 anos, descobre sua vocação — ser ladrão. Quando conhece Ramón, é atraído por ele. Juntos, os dois embarcarão em uma jornada de descobertas, amor e crime, até Carlitos ser preso. Retrato ficcional de Carlos Robledo Puch, serial killer conhecido como Anjo da Morte e prisioneiro mais antigo da Argentina. 120 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Ipanema 2: 16h10m.

‘Cinzas’. “Cenizas”. De Juan Sebastián Jácome (Equador/Uruguai, 2018). Com Samanta Caicedo, Diego Naranjo, Juana Estrella.

Vivendo na região dos Andes Equatorianos, Caridad não fala com seu pai há anos – desde que ele abandonou a família. Mas a situação muda quando um vulcão há tempos inativo começa a cuspir cinzas e Caridad se encontra isolada e presa na área destruída. Vendo-se sem opções, ela procura por seu pai e vai ter que confrontar emoções que manteve reprimidas por tantos anos. 80 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 2: 14h10m.

‘Família submersa’. “Família sumergida”. De María Alché (Argentina/Brasil/Alemanha/Noruega, 2018). Com Mercedes Morán, Esteban Bigliardi, Marcelo Subiotto, Laila Maltz, Federico Sack.

É verão em Buenos Aires, e a irmã de Marcela faleceu subitamente. Enquanto passa pelo luto, ela precisa encarar o doloroso processo de esvaziar o apartamento da irmã. Quando Nacho, jovem amigo de sua filha, se oferece para ajudá-la, ela encontra um conforto inesperado à medida que a relação entre eles se desenvolve, em viagens de carro e aventuras. 91 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Reserva Cultural Niterói 1: 14h30m.

‘Happy hour — Verdades e consequências’. De Eduardo Albergaria (Brasil/Argentina, 2018). Com Pablo Echarri, Letícia Sabatella, Luciano Cáceres.

Em um mundo tão real quanto fictício, Horácio procura sua verdade. Assim, aprende a dar espaço a seu desejo, em uma história em que a comédia se cruza com a melancolia. 105 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Reserva Cultural Niterói 1: 21h.

‘José’. De Li Cheng (Guatemala, 2018). Com Enrique Salanic, Ana Cecilia Mota, Manolo Herrera.

José, de 19 anos, vive com sua mãe na Cidade da Guatemala. Ela nunca foi casada, e sua vida a se limita à igreja e à venda de sanduíches. José trabalha como entregador de comida para motoristas. Ele preenche seu tempo livre no celular e com sexo casual. Quando conhece Luis, um imigrante da área rural da costa do Caribe, José vai viver paixões e sofrimentos. 84 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Rio 4: 16h.

‘Minha obra-prima’. “Mi obra maestra”. De Gastón Duprat (Argentina/Espanha, 2018). Com Guillermo Francella, Luis Brandoni, Raúl Arévalo.

Arturo é um marchand de arte encantador e sofisticado, ainda que meio inescrupuloso. Tem sua própria galeria de arte em Buenos Aires. Renzo é um artista plástico melancólico, decadente e que detesta qualquer contato social e vive quase na pobreza. Ainda que o marchand e o pintor sejam unidos por uma velha amizade, não concordam em quase nada. 100 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qui, 8: Estação Net Gávea 5: 16h30m.

‘Tarde para morrer jovem’. “Tarde para morir joven”. De Dominga Sotomayor (Chile/Brasil/Argentina/Holanda/Qatar, 2018). Com Demian Hernández, Antar Machado, Magdalena Tótoro.

Durante o verão de 1990 no Chile, um pequeno grupo de famílias vive em uma comunidade isolada, construindo um novo mundo longe dos excessos urbanos, com a crescente liberdade que se seguiu ao fim recente da ditadura. Vizinhos, Sofía e Lucas, de 16 anos, e Clara, de 10, debatem-se entre seus pais, primeiros amores e medos. Melhor direção no Festival de Locarno 2018.

Qui, 8: Estação Net Gávea 3: 16h50m.

‘Vírus tropical’. “Virus tropical”. De Santiago Caicedo (Colômbia, 2017). Com María Cecilia Sánchez, Martina Toro, Alejandra Borrero.

Nascida em uma família pouco convencional, Paola cresceu entre o Equador e a Colômbia. Seu pai é um padre, sua mãe é uma médium e suas irmãs não são o que seus pais esperavam. Com uma rara visão feminina do mundo, ela vai ter que lutar contra o preconceito e conquistar sua independência, enquanto seu universo é atingido por uma série de crises. Adaptado da graphic novel homônima da artista Paola ‘Power Paola’ Gaviria. 97 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qui, 8: Estação Net Botafogo 1: 13h45m.

Sessões Gratuitas

Mostra Geração no CCFJ

Centro Cultural Justiça Federal: Av. Rio Branco 241, Cinelândia.

Qui, 8: Às 14h30m e às 18h30m: “1817 — A revolução esquecida”, de Tizuka Yamasaki. Às 17h30m: “ Longe da árvore”, de Rachel Dretzin.

Festival no Sesc

Sesc São João de Meriti. Av. Automóvel Clube 66, Centro.

Qui, 8: Às 16h: “Um filme de cinema”, de Walter Carvalho.

Sesc São Gonçalo. Av. Presidente Kennedy 755, Estrela do Norte — 2712-3282.

Qui, 8: Às 14h: “Um filme de cinema”, de Walter Carvalho. Às 16h: “A familia Dionti”, de Alan Minas

Sesc Tijuca. Rua Barão de Mesquita 539.

Qui, 8: Às 15h: “O filme da minha vida”, Selton Mello.


Leia a notícia completa em O Globo Festival do Rio: os destaques de quinta, 8/11

O que você pensa sobre isso?