Festival do Rio: os destaques de quarta, 7/11


Já viu quantos filmes em cartaz no Festival do Rio? Pois é bom se apressar: a mostra que leva 200 filmes de vários países a diferentes cinemas da cidade vai só até dia 11 de novembro. Hoje, em cartaz, algumas das dicas do Bonequinho: “Cafarnaum”, pelo qual a diretora Nadine Labaki levou o grande prêmio do Júri em Cannes, na Reserva Cultural Niterói; “Três estranhos idênticos”, de Tim Wardle, no Instituto Moreira Salles; “Imagine”, o filme surrealista de John Lennon e Yoko Ono, no Estação Net Ipanema, entre outros.

Confira a programação:

Expectativa

‘Adam’. De Maria Solrun (Alemanha/Islândia/México/EUA, 2018). Com Magnus Mariuson, Eszter Tompa, Floriane Daniel.

Em Neukölln, bairro de Berlim, Adam, jovem surdo, enfrenta uma questão de vida ou morte: sua mãe é hospitalizada com uma lesão cerebral permanente, decorrente do alcoolismo. Antes do diagnóstico, ela o havia feito prometer que a ajudaria a morrer caso isso acontecesse. 71 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Botafogo 1: 13h30m.

‘A árvore’. “Drvo”. De André Gil Mata (Portugal/Bósnia-Herzegovina, 2018). Com Petar Fradelic, Filip Zivanovic, Sanja Vrzic.

Numa rotina silenciosa, quebrada pelos sons de tiros e explosões que ecoam ao seu redor, um homem, acompanhado apenas de seu cão, dedica-se a coletar água para consumo próprio e de seus vizinhos. Ele revê sua existência marcada por duas guerras. 104 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qua, 7: Estação Net Rio 4: 19h.

‘A costureira de sonhos’. “Sir”. De Rohena Gera (Índia/França, 2018). Com Tillotama Shome, Vivek Gomber.

Ratna trabalha como empregada doméstica na casa de Ashwin, de uma família rica. Aparentemente, ele tem tudo o que precisa, mas ela intui que o patrão desistiu de seus sonhos e está um tanto perdido. Ratna, por outro lado, tem origem pobre, parece não ter nada, mas é cheia de esperanças e trabalha com determinação para realizar o sonho de se tornar designer de moda. 99 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Rio 5: 19h30m.

‘Culpa’. “Den skyldige”. De Gustav Möller (Dinamarca, 2018). Com Jakob Cedergren, Jessica Dinnage, Omar Shargawi.

Um operador de chamadas de emergência, policial aposentado, recebe a ligação de uma mulher sequestrada. Logo ele constata que está diante de um crime muito maior do que imaginava. O filme, rodado em apenas uma locação — uma central de chamadas de emergência em Copenhague —, ganhou o prêmio do público no Festival de Cinema de Sundance 2018. 85 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 4: 21h20m.

‘Um elefante sentado quieto’. “Da xiang xi di er zuo”. De Hu Bo (China, 2018). Com Zhang Yu, Peng Yuchang, Wang Yuwen.

Numa pequena cidade no Norte da China, para proteger um amigo, o jovem Wei Bu empurra o valentão da escola escada abaixo e foge do local após o garoto ser hospitalizado com risco de vida. O vizinho de 60 anos decide se juntar a Wei. Huang Ling, a melhor amiga de Wei Bu, une-se a ele também. Os três decidem fugir juntos. Premiado no Festival de Berlim. 234 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Rio 4: 14h15m.

‘Entre tempos’. “Ricordi?”. De Valerio Mieli (Itália/França, 2018). Com Linda Caridi, Anna Manuelli, Luca Marinelli.

O filme aborda uma longa história de amor, do início ao fim, recontada através das memórias de seus dois protagonistas, o casal formado por “Ele” e “Ela”. 106 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Ipanema 2: 14h20m.

‘Longa jornada noite adentro 3-D’. “Di qiu zui hou de ye wan. De Bi Gan (China/França, 2018). Com Tang Wei, Sylvia Chang, Huang Jue.

Este drama com um quê de filme noir conta a história de Luo Hongwu, um homem que retorna a Kaili, sua cidade natal na China, de onde havia fugido há vários anos. Começa, então, sua busca pela mulher amada e nunca esquecida. 130 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Instituto Moreira Salles: 15h50m.

‘Pedro e Inês, o amor não descansa’. De António Ferreira (Portugal/Brasil/França, 2018). Com Diogo Amaral, Joana de Verona, Vera Kolodzig, Cristóvão Campos, Custódia Gallego.

Inspirado na lenda portuguesa do Rei Dom Pedro (século XIV), que desenterrou o corpo de sua amada Inês para poder casar-se com ela depois de morta. 125 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Rio 3: 21h.

‘Tempo comum’. De Susana Nobre (Portugal/França, 2018). Com Marta Lança, Pedro Castanheira, Clara Castanheira.

Num apartamento em Lisboa, Marta cuida da primeira filha, recém-nascida. As duas recebem visitas que, em conversas sobre temas como casamento, nascimento dos filhos, trabalho e futuro, acabam por traçar, de diferentes perspectivas, ciclos da vida. 64 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 2: 15h.

‘Terra firme’. “Tierra firme”. De Carlos Marqués-Marcet (Espanha, 2018). Com Oona Chaplin, Natalia Tena, Geraldine Chaplin.

Na casa dos 30 anos, Eva e Kat levam a vida com liberdade, morando num barco pelos canais de Londres. Um dia, Eva dá o ultimato: ela quer um filho. 112 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Ipanema 1: 21h10m.

Film doc

‘Friedkin uncut’. De Francesco Zippel (Itália, 2018).

Uma visão da vida e da jornada artística de William Friedkin, diretor de filmes cultuados como “O exorcista”, “Operação França”, “Parceiros da noite” e “O comboio do medo”. Friedkin se revela ao guiar os espectadores por temas e histórias que influenciaram sua vida e sua carreira. O filme tem participação de amigos e colaboradores do cineasta como Francis Ford Coppola, Ellen Burstyn, Quentin Tarantino e Willem Dafoe. 107 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Botafogo 1: 15h.

Itinerários Únicos

‘Ferrante fever’. De Giacomo Durzi (Itália, 2017).

O filme é dedicado à produção literária de Elena Ferrante, escritora italiana responsável pela aclamada “Tetralogia napolitana”, uma autora que, apesar do sucesso internacional, consegue se manter anônima. 74 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 2: 16h20m.

‘Kusama — infinito’. “Kusama — Infinity”. De Heather Lenz (EUA, 2018).

A artista mulher que mais vende no mundo, Yayoi Kusama superou muitos obstáculos para levar sua visão artística à cena mundial. O trauma de crescer no Japão durante a Segunda Guerra, a vida numa família que dificultava suas ambições criativas e problemas de saúde foram alguns deles. 85 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Instituto Moreira Salles: 20h.

‘RBG’. De Betsy West e Julie Cohen (EUA, 2018).

Aos 85 anos, a juíza da Suprema Corte Americana Ruth Bader Ginsburg construiu um legado que a transformou em um ícone inesperado da cultura pop. 97 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qua, 7: Instituto Moreira Salles: 18h10m.

‘Ryuichi Sakamoto: Coda’. De Stephen Nomura Schible (Japão/EUA, 2018).

Um dos mais importantes artistas contemporâneos, Ryuichi Sakamoto estabeleceu carreira prolífica que cobre mais de quatro décadas, da atuação como ator à de compositor de trilhas vencedoras do Oscar. Após o desastre de Fukushima, Sakamoto tornou-se figura icônica no movimento no Japão contra o uso de energia nuclear. 101 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Kinoplex São Luiz 2: 16h15m.

‘Ryuichi Sakamoto — Um concerto em Nova York’. “Ryuichi Sakamoto: async at the Park Avenue Armory”. De Stephen Nomura Schible (EUA/Japão, 2018).

Rodado durante a produção de “Ryuichi Sakamoto: Coda”, este filme é um registro ao vivo do concerto intimista apresentado por Sakamoto em Nova York. O músico mostrou ao público pela primeira vez o repertório de “async”, seu 16º disco solo, o primeiro álbum de inéditas lançado por ele em oito anos. 65 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Kinoplex São Luiz 1: 14h.

Midnight

‘Amazônia groove’. De Bruno Murtinho (Brasil, 2018).

Sob a proposta de abordar como o meio ambiente vem sendo tratado desde o início do século XX, a produção resgata personagens históricos e reúne depoimentos de representantes de diversos segmentos ligados ao tema: indígenas, ambientalistas, jornalistas e intelectuais, entre outros. 81 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qua, 7: Kinoplex São Luiz 1: 16h30m

‘Buddies’. De Arthur J. Bressan Jr. (EUA, 1985). Com Geoff Edholm, David Schachter, Billy Lux.

Quando David, um yuppie gay de 25 anos, se voluntaria para acompanhar pacientes com Aids, ele conhece Robert, de 32 anos, um jardineiro californiano que foi abandonado pelos amigos e pela família. Este foi o primeiro filme produzido sobre a Aids e é apresentado em cópia restaurada. 79 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Rio 4: 21h15m.

‘Distorção’. “Alterscape”. De Serge Levin (EUA, 2018). Com Charles Baker, Michael Ironside, Jeff Solomon.

Em depressão depois de perder o irmão na guerra do Iraque, Sam tenta tirar a própria vida, sobrevive e é acompanhado pelo terapeuta John Willis. Após sessões num estranho laboratório, ele se transforma. Vencedor na categoria de Melhor filme no Philip K. Dick Sci-Fi Film Festival. 92 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 4: 19h10m.

‘Imagine’. De John Lennon, Yoko Ono (EUA, 1972).

Uma filmagem surrealista, que mistura ficção e realidade, de um dia na vida de John e Yoko, composto a partir de canções do álbum “Imagine”, de John, e do álbum “Fly”, de Yoko. Relançamento em cópia restaurada com cenas inéditas. 83 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Ipanema 1: 15h40m.

‘Selvagem’. “Sauvage”. De Camille Vidal-Naquet (França, 2018). Com Félix Maritaud, Eric Bernard e Nicolas Dibla.

Leo tem 22 anos e vende seu corpo nas ruas. Homens chegam e vão, e ele enfrenta a vida nessas circunstâncias. 99 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qua, 7: Estação Net Ipanema 1: 13h45m.

‘Três estranhos idênticos’. “Three identical strangers”. De Tim Wardle (EUA, 2018).

Em 1980, dois desconhecidos de 19 anos descobriram que eram gêmeos separados no nascimento e criados por famílias diferentes. Quando a história saiu no “New York Post”, David se deu conta de que era o terceiro gêmeo. Depois de um reencontro feliz, a descoberta revelou um perturbador segredo: eles foram propositalmente separados como parte de um experimento científico sobre o comportamento humano. 96 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Instituto Moreira Salles: 14h.

Panorama

‘3 Faces’. “Se rokh”. De Jafar Panahi (Irã, 2018). Com Behnaz Jafari, Jafar Panahi, Marziyeh Rezaei.

Nos papéis de si mesmos, o diretor Jafar Panahi e a popular atriz iraniana Behnaz Jafari viajam de carro até uma região rural no Irã, na tentativa de socorrer uma jovem proibida, pela família e por autoridades locais, de estudar teatro em Teerã. Os dois não demoram a descobrir que a hospitalidade local pode ser ameaçada pela vontade de proteger antigas tradições. A atitude dos habitantes locais no filme é consistente com o que ainda acontece na região. Prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes 2018. 100 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Botafogo 1: 17h10m.

‘Amor até as cinzas’. “Jiang hu er nv”. De Jia Zhangke (China/França/Japão, 2018). Com Tao Zhao, Fan Liao.

Qiao está apaixonada por Bin, membro de uma gangue. Durante uma briga entre grupos criminosos rivais, ela usa um revólver para protegê-lo e acaba condenada a cinco anos na prisão. Quando é libertada, parte em busca do amado para tentar recomeçar o romance. Uma história de amor ambientada na China contemporânea, sob transformações épicas e dramáticas. 136 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 4: 16h30m.

‘Asako I & II’. “Netemo sametemo”. De Ryûsuke Hamaguchi (Japão/França, 2018). Com Masahiro Higashide, Erika Karata.

Asako e Baku vivem um romance intenso, porém, certo dia, o temperamental Baku desaparece. Dois anos mais tarde, depois de se mudar de Osaka para Tóquio, Asako encontra o duplo perfeito de Baku. Indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes. 119 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Ipanema 2: 18h45m.

‘Bisbee ’17’. De Robert Greene (EUA, 2018). Com Fernando Serrano, Laurie McKenna, Ray Family, Mike Anderson, Graeme Family.

Uma mistura de documentário e faroeste com elementos musicais, o filme acompanha membros de uma comunidade durante o momento mais sombrio de sua cidade. Em 1917, quase dois mil imigrantes mineradores que estão em greve, lutando por melhorias nas condições de trabalho, sofreram uma emboscada e foram abandonados no deserto para morrer. Este acontecimento ficou conhecido como Bisbee deportation. 124 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Ipanema 1: 17h20m.

‘A cada momento’. “De chaque instant”. De Nicolas Philibert (França, 2018).

Todos os anos, milhares de estudantes — na maioria mulheres — embarcam em cursos de formação de enfermagem. Este documentário acompanha os altos e baixos de um aprendizado que lida com a fragilidade humana, o sofrimento, a doença, as falhas nas almas e nos corpos. 105 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Rio 5: 14h.

‘Cafarnaum’. “Capharnaüm”. De Nadine Labaki (Líbano, 2018). Com Nadine Labaki, Zain Alrafeea, Yordanos Shifera.

Vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Cinema de Cannes, o filme conta a história de Zain, menino libanês que processa os pais pelo “crime” de lhe dar a vida. O menino corajoso e despachado tem rotina dura. Foge de seus pais abusivos e negligentes, sobrevive graças à sua esperteza nas ruas. No elenco, não-atores que interpretam vidas parecidas com as suas. 122 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Reserva Cultural Niterói 1: 16h10m.

‘Cano serrado’. De Erik de Castro (Brasil, 2018). Com Rubens Caribe, Paulo Miklos, Jonathan Haagensen, Milhem Cortaz, Fernando Eiras.

Sargento Sebastião busca vingar a morte do seu irmão caminhoneiro com sua arma, de cano serrado. 87 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Qua, 7: Estação Net Botafogo 1: 21h30m.

‘O Caravaggio roubado’. “Una storia senza nome”. De Roberto Andò (Itália/França, 2018). Com Micaela Ramazzotti, Renato Carpentieri, Laura Morante, Alessandro Gassmann.

Valeria,secretária de um produtor de cinema, escreve scripts anônimos para um roteirista de sucesso, Alessandro Pes. Um dia ela é abordada por um policial aposentado que conta a história de um crime. Quando vai para casa, usa o que ouviu para escrever o próximo roteiro. 111 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Kinoplex São Luiz 2: 18h45m.

‘A excêntrica família de Gaspard’. “Gaspard va au mariage”. De Antony Cordier (França, 2017). Com Félix Moati, Laetitia Dosch, Guillaume Gouix, Christa Theret, Marina Fois.

A comédia conta a história de Gaspard, de 25 anos, que, depois de ficar afastado durante alguns anos, se reencontra com a família após o anúncio do casamento do pai. Acompanhado de Laura, que aceita fingir ser sua namorada durante a festa, ele se sente pronto para pisar, novamente, no zoológico da família e rever os animais que o viram crescer. 103 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 3: 16h50m.

‘Grass’. De Hong Sangsoo (Coreia do Sul, 2018). Com Kim Minhee, Jung Jinyoung, Ki Joobong.

Em um beco onde não se esperaria encontrar um lugar como esse, há um café onde as pessoas conversam entre si. Em frente, o proprietário de uma mercearia cultiva plantas em grandes bacias de borracha. Com o passar do tempo, as pessoas sentadas em diferentes mesas se familiarizam umas com as outras e começam a se misturar. 66 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Ipanema 1: 19h40m.

‘Infiltrado na Klan’. “BlacKkKlansman”. De Spike Lee (EUA, 2018). Com John David Washington, Adam Driver, Laura Harrier.

A história real de um herói americano. Nos anos 70, Ron Stallworth é o primeiro detetive afro-americano a servir no Departamento de Polícia de Colorado Springs. Determinado a se destacar, ele parte em uma missão perigosa: se infiltrar e expor a Ku Klux Klan. Vencedor do Grand Prix do Festival de Cannes. 128 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Reserva Cultural Niterói 1: 18h30m.

‘Meu próprio bem’. “Il bene mio”. De Pippo Mezzapesa (Itália, 2018). Com Sergio Rubini, Sonya Mellah, Dino Abbrescia, Francesco De Vito, Michele Sinisi, Teresa Saponangelo.

Elia, o último habitante de Provvidenza, cidade italiana destruída por um terremoto, recusa-se a se mudar para a “Nova Provvidenza”. Tentam expulsá-lo e até o prefeito determina sua saída. Para ele, no entanto, aquele lugar continua vivo. 94 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 5: 14h.

‘No portal da eternidade’. “At Eternity’s Gate”. De Julian Schnabel (EUA/França, 2018). Com Willem Dafoe, Rupert Friend, Mads Mikkelsen, Mathieu Amalric, Emmanuelle Seigner.

Nas aldeias de Arles e Auvers-sur-Oise, onde se refugiou para escapar das pressões de Paris, o pintor Vincent van Gogh é tratado gentilmente por alguns e brutalmente por outros. Seu amigo e artista Paul Gauguin, após uma convivência intensa, se afasta. Seu irmão, Theo, é inabalável em seu apoio, mas nunca consegue vender uma única pintura de Vincent. Premiado no Festival de Veneza. 110 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qua, 7: Reserva Cultural Niterói 1: 21h.

‘A pé ele não vai longe’. “Don’t worry, he won’t get far on foot”. De Gus Van Sant (EUA, 2018). Com Joaquin Phoenix, Jonah Hill, Rooney Mara, Jack Black.

Quando o preguiçoso John Callahan quase perde a vida em um acidente de carro, a última coisa que quer é parar de beber. Quando finalmente aceita fazer um tratamento, ele descobre o dom de criar irreverentes tirinhas de jornal, que acabam lhe dando fama internacional. Adaptado da autobiografia de John Callahan. 113 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qua, 7: Cine Odeon Net Claro: 21h30m.

‘O peso do passado’. “Destroyer”. De Karyn Kusama (EUA, 2018). Com Nicole Kidman, Sebastian Stan, Toby Kebbell.

O thriller conta a história de Erin Bell, detetive da Polícia de Los Angeles. Quando jovem, Erin infiltrou-se em uma gangue e a história terminou muito mal, causando-lhe danos psicológicos irreparáveis. Agora, ela vê uma chance de resolver seus traumas do passado e embarca numa jornada perigosa em busca de um assassino. 123 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 1: 15h40m.

‘Peterloo’. De Mike Leigh (Reino Unido, 2018). Com Rory Kinnear, Maxine Peake, Pearce Quigley, David Moorst, Rachel Finnegan.

Um retrato épico dos eventos ligados ao Massacre de Peterloo, de 1819, em que protestos pacíficos pró-democracia em Manchester resultaram em um dos episódios mais sangrentos da história da Inglaterra. No massacre, o governo britânico atacou uma multidão de mais de 60 mil que havia se juntado para pedir reforma política e protestar contra os altos níveis de pobreza. 154 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 5: 16h.

‘A prece’. “La prière”. De Cédric Kahn (França, 2018). Com Anthony Bajon, Damien Chapelle, Alex Brendemühl.

Este drama francês conta a história de Thomas, de 22 anos, viciado em drogas. Em um esforço para conseguir largar o hábito, ele se junta a uma comunidade de ex-adictos que vivem isolados nas montanhas e usam a oração como forma de superação. Lá ele descobre a fé e o amor. Mas também um novo tipo de tormento. Vencedor do Urso de Prata no Festival de Berlim. 107 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Ipanema 2: 16h30m.

‘O que você irá fazer quando o mundo estiver em chamas?’. “What you gonna do when the world’s on fire?). De Roberto Minervini (Itália/EUA/França, 2018). Com Judy Hill, Ronaldo King, Titus Turner, Kevin Goodman.

No verão de 2017, uma sucessão de brutais assassinatos de jovens afro-americanos cometidos por policiais espalhou ondas de terror pelos EUA. Uma comunidade negra do Sul tenta lidar com os legados do passado em um país que não está do seu lado. Enquanto isso, o grupo Panteras Negras prepara um protesto contra a violência policial. O filme é uma empolgante reflexão sobre o status da raça na América. Premiado em cinco categorias no Festival de Veneza 2018. 123 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Botafogo 1: 19h10m.

Première Brasil

Mostra competitiva de ficção

‘Domingo’. De Clara Linhart, Fellipe Barbosa (Brasil, 2018). Com Ittala Nandi, Camila Morgado, Augusto Madeira, Ismael Caneppeli, Martha Nowill.

Sábado, 1º de janeiro de 2003. Enquanto Brasília celebra a posse do presidente e ex-metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva, duas famílias do interior gaúcho se reúnem em uma velha mansão rural para um churrasco regado a champanhe, segredos, anseios e frustrações familiares. 95 minutos. Não recomendado para menores de 18 anos. Antes do longa será exibido o curta “Universo preto paralelo”, de Rubens Passaro.

Qua, 7: Estação Net Gávea 3 e 5: 21h40m.

‘Morto não fala’. De Dennison Ramalho (Brasil, 2018). Com Daniel de Oliveira, Fabíula Nascimento, Bianca Comparato, Marco Ricca.

Stênio é plantonista noturno no necrotério de uma grande cidade. No trabalho, ele nunca está só, pois possui um dom de comunicação com os mortos. Quando as confidências que ouve do além revelam segredos de sua própria vida, Stênio desencadeia uma maldição que traz perigo e morte para perto de si e de sua família. 110 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Kinoplex São Luiz 1: 21h30m.

‘Tinta bruta’. De Marcio Reolon, Filipe Matzembacher (Brasil, 2018). Com Shico Menegat, Bruno Fernandes, Guega Peixoto, Sandra Dani, Frederico Vasquez.

Pedro responde a um processo criminal e, ao mesmo tempo, tem que lidar com a mudança da irmã para o outro lado do país. Sozinho no escuro do seu quarto, ele assume o codinome Garoto Neon e começa a dançar, com o anonimato garantido por camadas de tinta néon sobre a pele, diante de milhares de desconhecidos que o assistem pela webcam. 117 minutos. Vencedor do Prêmio Teddy no Fesstival de Berlim. Não recomendado para menores de 18 anos.

Qua, 7: Cine Odeon Net Claro: 16h.

Mostra competitiva de documentários

‘Eleições’. De Alice Riff (Brasil, 2018).

Um diálogo entre juventude e sociedade, acompanhando a eleição de um grêmio estudantil da E.E. Doutor Alarico da Silveira, em São Paulo. Com posições ideológicas divergentes, o conflito entre as chapas é o mote narrativo para mergulhar neste universo jovem e questionador. 100 minutos. Livre. Antes do longa, será exibido o curta “O órfão”, de Carolina Markowicz.

Qua, 7: Estação Net Gávea 3 e 5: 19h.

‘Gilda Brasileiro — Contra o esquecimento’. De Roberto Manhães Reis, Viola Scheuerer (Brasil/Suíça/Alemanha, 2018).

A personagem do título tem 52 anos. Filha de pai afrodescendente e mãe judia-alemã, Gilda pesquisa a história de uma estrada clandestina, usada por traficantes de escravos no século XIX. Encontra documentos relevantes, mas ninguém mais na sua cidade, a paulista Salesópolis, parece interessado em vasculhar o passado. O filme recupera essa história com o apoio de imagens de época feitas pelo fotógrafo Marc Ferrez. 90 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos. Antes do longa será exibido o curta “Gopi”, de Viviane D’Avilla e Paulo Dimantas.

Qua, 7: Cine Odeon Net Claro: 13h.

‘Meu nome é Daniel’. De Daniel Gonçalves (Brasil, 2018).

Daniel Gonçalves nasceu com uma deficiência que nenhum médico foi capaz de diagnosticar. Neste documentário, o cineasta traça o caminho de sua vida para jogar luz sobre sua própria condição. Sua história e suas reflexões são evocadas através de imagens de arquivo da família e cenas gravadas em tempos atuais. 83 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos. Antes do filme será exibido o curta “Nomes que importam”, de Muriel Alves, Angela Donini.

Qua, 7: Kinoplex São Luiz 1: 19h.

HORS-CONCOURS – ficção

‘Cine Holliudy 2 — A chibata sideral’. De Halder Gomes (Brasil, 2018). Com Edmilson Filho, Miriam Freeland, Roberto Bontempo.

Pacatuba, Ceará, anos 1980. Com a chegada do videocassete, Francisgleydisson se vê obrigado a fechar o seu querido Cine Holliúdy, o que compromete o pagamento da faculdade de seu filho. Para salvar a situação, ele decide produzir um filme de alienígenas, usando como atores os habitantes da cidade. 100 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qua, 7: Kinoplex São Luiz 2: 13h45m.

‘Correndo atrás’. De Jeferson De (Brasil, 2018). Com Aílton Graça, Juliana Alves, Lázaro Ramos.

Paulo Ventania acaba de deixar o último de seus diversos empregos. Sem formação definida, busca uma maneira de sobreviver com dignidade, vislumbrando a função de empresário de jogador de futebol como a chance de mudar sua vida. Percorrendo o subúrbio, Ventania descobre Glanderson, um garoto que sonha ser jogador. 86 minutos. Não recomendado para menores de 10 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 1: 13h45m.

‘Rasga coração’. De Jorge Furtado (Brasil, 2018). Com Marco Ricca, Drica Moraes, Chay Suede.

Na adaptação da peça homônima de Oduvaldo Vianna Filho (1936-1974), Manguari Pistolão, após 40 anos de militância anônima, vê o filho Luca acusá-lo de ser conservador e anacrônico. Às voltas ainda com o orçamento apertado e uma incômoda artrite, ele se vê repetindo as atitudes do próprio pai. 115 minutos. Livre.

Qua, 7: Roxy 1: 20h45m.

‘Sequestro relâmpago’. De Tata Amaral (Brasil, 2018). Com Mariana Ruy Barbosa, Sidney Santiago Kuanza, Daniel Rocha.

Isabel é vítima de um sequestro relâmpago. Os bandidos, inexperientes, notam que não conseguirão chegar ao caixa antes do equipamento ser desligado. Isabel vai ter que negociar sua sobrevivência noite adentro. 85 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Qua, 7: Cine Odeon: 19h30m.

‘Sueño Florianópolis’. De Ana Katz (Brasil/Argentina, 2018). Com Mercedes Morán, Andréa Beltrão, Marco Ricca.

Buenos Aires, verão de 90. Vivendo separados, os cinquentões Pedro e Lucrécia, casados há 22 anos, não têm certeza se continuam juntos ou se separam. Em crise, adiam a decisão por causa das férias que se aproximam. Num Renault sem ar condicionado, viajam 1.750 quilômetros até Florianópolis com seus filhos, Sol, 15 anos, e Julián, 18. 107 minutos. Não recomendado para menores de 18 anos.

Qua, 7: Cine Arte UFF: 21h10m.

Hors-concours-documentários

‘Humberto Mauro’. De André Di Mauro (Brasil, 2018).

Tributo a Humberto Mauro (1897-1983), pioneiro do cinema brasileiro e latino americano. Uma entrevista do homenageado, gravada no Museu da Imagem e do Som nos anos 60, serve de fio condutor para o filme. Ganham destaque as incomuns soluções técnicas adotadas por Mauro durante as filmagens e sua luta contra adversidades inerentes ao pioneirismo de quem fez cinema no Brasil do início do século XX. 90 minutos. Livre.

Qua, 7: Cinemateca do MAM: 19h30m.

Retratos

‘Filme ensaio’. De Maria Flor. (Brasil, 2018).

Em 2014, Andréa Beltrão, Malu Galli e Mariana Lima montaram o espetáculo teatral “Nômades”, uma criação coletiva com direção de Márcio Abreu. A atriz Maria Flor acompanhou o processo de ensaio e registrou, com sua câmera, o percurso de criação da peça. 72 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 1 e 2: 18h.

‘Marcia Haydée’. De Daniela Kallmann (Brasil, 2018).

O filme acompanha a trajetória pessoal e artística de Marcia Haydée, brasileira que se tornou referência mundial na arte da dança, desde a formação no Rio de Janeiro até o reconhecimento global como prima ballerina. 80 minutos. Livre.

Qua, 7: Cinemateca do MAM: 17h.

‘Paulo Casé — O arquiteto do encontro’. De Paula Fiuza. (Brasil, 2018).

Premiado internacionalmente, o arquiteto Paulo Casé (1931-2018) tem sua vida contada em primeira pessoa, com o apoio do testemunho de amigos e discípulos, entre imagens históricas e atuais. Em pauta, vida, obra, arquitetura, família, artes, literatura, música, viagens e o Rio.

Qua, 7: Estação Net Rio 3: 15h30m.

‘Zuza Homem de jazz’. De Janaina Dalri. (Brasil, 2018).

Qual é a influência do jazz na música brasileira? O filme traça um paralelo entre os dois universos através da história de Zuza Homem de Mello, partindo do olhar próximo e intimista do crítico que é referência do jornalismo musical no Brasil. Revisitando seu passado como musicista até os dias de hoje, o documentário parte em busca de sua paixão pela música. 91 minutos. Livre.

Qua, 7: Cinemateca do MAM: 15h .

Novos rumos

‘El último país’. De Gretel Marín Palacio (Brasil/Cuba/Angola, 2018).

O que parecia ser uma viagem de regresso ao país natal da diretora num tempo de mudança acaba por ser uma viagem de descoberta, entre as contradições e os questionamentos sobre a identidade cubana. 70 minutos. Não recomendado para menores de 10 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 1 e 2: 20h15m.

‘Ilha’. De Ary Rosa, Glenda Nicácio (Brasil, 2018). Com Aldri Anunciação e Arlete Dias.

Emerson, jovem da periferia, quer fazer um filme sobre a sua história na Ilha, onde quem nasce nunca consegue sair. Para isso, ele sequestra Henrique, um premiado cineasta. Juntos, eles reencenam a vida, mas com alguma licença poética. A produção conquistou os prêmios de ator (Aldri Anunciação) e roteiro (Ary Rosa) no Festival de Brasília 2018. 94 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos. Antes do filme será exibido o curta “Sempre verei cores no seu cinza”, de Anabela Roque.

Qua, 7: Cine Arte UFF: 19h.

‘Mormaço’. De Marina Meliande. Com Marina Provenzzano, Sandra Maria, Pedro Gracindo, Analu Prestes, Igor Angelkorte.

Rio de Janeiro, 2016. O verão mais quente da história. A cidade está se preparando para os Jogos Olímpicos. Ana, defensora pública de 32 anos, trabalha por uma comunidade ameaçada de remoção pelas obras do Parque Olímpico. Ao mesmo tempo, misteriosas manchas aparecem em sua pele. 97 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos. Antes do longa será exibido o curta “Invasão drag”, de Rafael Ribeiro.

Qua, 7: Estação Net Rio 3: 18h30m.

Première Latina

‘Belmonte’. “Belmonte”. De Federico Veiroj (Uruguai/México/Espanha, 2018). Com Gonzalo Delgado, Olivia Molinaro Eijo, Tomás Wahrmann.

Belmonte, um pintor interessado em retratar o ser humano, prepara uma exposição no Museu de Artes Visuais de Montevidéu. Mas ele está mais preocupado com as mudanças em sua família: sua ex-mulher está grávida de outro homem e ele se dá conta de que sua filha, Celeste, vai passar menos tempo com ele quando o irmão nascer. 75 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Rio 5: 18h

‘A cama’. “La cama”. De Mónica Lairana (Argentina/Brasil/Holanda/Alemanha, 2018). Com Sandra Sandrini, Alejo Mango.

Jorge e Mabel, após 30 anos de convivência, decidiram se separar. Estas são as últimas 24 horas que compartilharão como um casal. A casa foi vendida e eles têm que desmontar, salvar, jogar fora, antes que o caminhão chegue. Trancados em casa, eles mexem em móveis, comem, riem, embalam objetos, duvidam, sofrem, choram e se despedem um do outro. 90 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Rio 5: 21h30m.

‘Compra-me um revólver’. “Cómprame un revolver”. De Julio Hernández Cordón (México, 2018). Com Ángel Leonel Corral, Matilde Hernández Guinea, Rogelio Sosa.

México, em algum momento de um futuro próximo. As mulheres estão desaparecendo gradativamente e uma garota chamada Huck usa uma máscara para conseguir esconder seu gênero. Ela ajuda seu pai, um viciado atormentado, a cuidar de um campo de beisebol abandonado, onde traficantes se reúnem para jogar. Com a ajuda de seus amigos, Huck tem que lutar para superar sua realidade e derrotar a máfia local. 90 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Reserva Cultural Niterói 1: 14h20m.

‘O dia que resistia’. “El día que resistía”. De Alessia Chiesa (Argentina/França, 2018). Com Lara Rógora, Mateo Baldasso, Mila Marchisio.

Três irmãos, todos com menos de 10 anos, sozinhos em uma casa de campo. A mais velha vive presa entre sua imaginação, os jogos típicos da infância, e a realidade e as responsabilidades da vida adulta. Ela batalha silenciosamente para tomar conta dos mais novos, enquanto seus pais estão inexplicavelmente ausentes. 98 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Rio 5: 16h

‘Happy hour — Verdades e consequências’. De Eduardo Albergaria (Brasil/Argentina, 2018). Com Pablo Echarri, Letícia Sabatella, Luciano Cáceres.

Em um mundo tão real quanto fictício, Horácio procura sua verdade. Assim, aprende a dar espaço a seu desejo, em uma história em que a comédia se cruza com a melancolia. 105 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 4: 14h20m.

‘Humanpersons’. “Personas humanas”. De Frank Spano (Panamá/Brasil/Espanha, 2018). Com Luis Fernández, Alex O Dogherty, María Cecilia Sánchez, Ramiro Meneses, Roberto Birindelli.

James é um imigrante latino que vive em Illinois, nos EUA, há 35 anos. É um homem solitário, com um filho, e seu passado está prestes a ameaçá-lo. Sua bem-sucedida carreira no crime lhe garantiu o respeito de sua organização e eles lhe passaram uma delicada tarefa: conseguir um fígado humano para um cliente muito importante. 93 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Qua, 7: Estação Net Gávea 3: 14h30m.

‘Tarde para morrer jovem’. “Tarde para morir joven”. De Dominga Sotomayor (Chile/Brasil/Argentina/Holanda/Qatar, 2018). Com Demian Hernández, Antar Machado, Magdalena Tótoro.

Durante o verão de 1990 no Chile, um pequeno grupo de famílias vive em uma comunidade isolada, construindo um novo mundo longe dos excessos urbanos, com a crescente liberdade que se seguiu ao fim recente da ditadura. Vizinhos, Sofía e Lucas, de 16 anos, e Clara, de 10, debatem-se entre seus pais, primeiros amores e medos. Melhor direção no Festival de Locarno 2018.

Qua, 7: Estação Net Ipanema 2: 21h20m.

Sessões Gratuitas

Mostra Geração no CCFJ

Centro Cultural Justiça Federal: Av. Rio Branco 241, Cinelândia.

Qua, 7: Às 14h30m: “Lino, uma aventura de sete vidas”, de Rafael Ribas. Às 16h30m: “Terra cabocla”, de Ralf Tambke. Às 17h: “RBG: Hero. Icon. Dissenter”, de Betsy West e Julie Cohen. Às 18h30m: “Altas expectativas”, de Álvaro Campos e Pedro Antônio Paes.

Festival no Sesc

Sesc Nova Iguaçu. Rua Dom Adriano Hipóilito 10, Moquetá.

Qua, 7: Às 10h: “O filme da minha vida”, de Selton Mello. Às 14h: “Um filme de cinema”, de Walter Carvalho.

Sesc São João de Meriti. Av. Automóvel Clube 66, Centro.

Qua, 7: Às 16h “O filme da minha vida”, de Selton Mello.

Sesc Tijuca. Rua Barão de Mesquita 539.

Qua, 7: Às 15h: “A família Dionti”, de Alan Minas.


Leia a notícia completa em O Globo Festival do Rio: os destaques de quarta, 7/11

O que você pensa sobre isso?