Festival do Rio: os destaques de domingo, 11/11


O último dia de Festival do Rio (calma, a partir de segunda tem repescagem) traz alguma pérolas para quem andou papando mosca nas últimas duas semanas e não se enfurnou em um cinema: entre as atrações deste domindo, 11 de novembro, o drama “Assunto de família”, de Hirokazu Koreeda, vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes, no Estação Net Ipanema; “A casa que Jack construiu”, último filme de Lars von Trier, no Reserva Cultural Niterói; e o obrigatório “Imagem e palavra”, de Jean-Luc Godard (França, 2018), no Estação Net Ipanema.

Confira as atrações:

clássicos & cults

‘Central do Brasil’. De Walter Salles (Brasil, 1998). Com Fernanda Montenegro, Vinicius de Oliveira, Marília Pêra, Othon Bastos, Soia Lira.

Dora escreve cartas na Central do Brasil para pessoas analfabetas. Em casa, decide quais merecem ser enviados aos destinatários. Quando uma de suas clientes é atropelada, seu filho Josué, de 9 anos, fica perdido na estação. A contragosto, Dora acolhe o garoto. 110 minutos. Livre.

Dom, 11: Cine Arte UFF: 19h.

‘Rio, Zona Norte’. De Nelson Pereira dos Santos (Brasil, 1957). Com Grande Otelo, Jece Valadão, Malu Maia, Paulo Goulart, Zé Keti.

Um talentoso sambista, conhecido como Espírito da Luz, tenta vender suas composições, mas acaba enganado por oportunistas e se vê preso nos esquemas da indústria. Inconsciente após um acidente de trem, ele relembra momentos de suas vida e carreira, passados em grande parte no subúrbio carioca. 80 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Instituto Moreira Salles: 19h.

Expectativa

‘A costureira de sonhos’. “Sir”. De Rohena Gera (Índia/França, 2018). Com Tillotama Shome, Vivek Gomber.

Ratna trabalha como empregada doméstica na casa de Ashwin, de uma família rica. Aparentemente, ele tem tudo o que precisa, mas ela intui que o patrão desistiu de seus sonhos e está um tanto perdido. Ratna, por outro lado, tem origem pobre, parece não ter nada, mas é cheia de esperanças e trabalha com determinação para realizar o sonho de se tornar designer de moda. 99 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 2: 17h30m.

‘Longe da árvore’. “Far from the tree”. De Rachel Dretzin (EUA, 2017). Com

O filme acompanha famílias que enfrentam desafios excepcionais na base do amor, da empatia e da compreensão. Este documentário é baseado no premiado “Longe da árvore: pais, filhos e a busca da identidade”, de Andrew Solomon, livro mais vendido na lista de não ficção do jornal “The New York Times”. 93 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Instituto Moreira Salles: 20h.

‘O mundo a seus pés’. “Le monde est à toi”. De Romain Gavras (França, 2018). Com Karim Leklou, Vincent Cassel, Isabelle Adjani.

François, traficante, sonha em ter vida mais tranquila e abrir uma franquia de pirulitos de sorvete no Marrocos. Sua ambição é esmagada quando ele descobre que a própria mãe, jogadora compulsiva e estelionatária ocasional, queimou suas economias. 100 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 1: 21h30m.

‘Rafiki’. De Wanuri Kahiu (Quênia/África do Sul/França/Holanda/Alemanha, 2018). Com Samantha Mugatsia, Sheila Munyiva, Patricia Amira, Muthoni Gathecha.

No Quênia, Kena e Ziki, apesar da rivalidade política entre suas famílias, apoiam-se mutuamente para alcançar seus sonhos numa sociedade bastante conservadora. Quando o amor floresce entre elas, as duas meninas serão forçadas a escolher entre felicidade e segurança. 82 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 3: 21h.

‘Shade — Entre bruxas e heróis’. “Zlogonje”. De Rasko Miljkovic (Sérvia/Macedônia, 2018). Com Mihajlo Milavic, Silma Mahmuti, Jelena Djokic.

Um jovem de 10 anos sofre de paralisia cerebral. Tímido, distante dos pais e colegas, ele busca refúgio na imaginação, onde se vê um combatente do crime com poderes de herói. Uma nova aluna, Milica, se aproxima dele e o recruta para uma missão: ajudá-la a livrar o pai dela da namorada, que, Milica está convencida, é uma bruxa. 90 minutos. Não recomendado para menores de 10 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 2: 13h20m.

Film doc

‘Os olhos de Orson Welles’. “The eyes of Orson Welles”. De Mark Cousins (Reino Unido, 2018).

A produção teve acesso exclusivo a centenas de pinturas e desenhos de Orson Welles, mergulhando no universo visual do lendário ator e diretor do clássico “ Cidadão Kane” para revelar um retrato do artista nunca visto antes. Produzido por Michael Moore, o longa-metragem aborda paixões, política e poder. Premiado no Festival de Cannes com o Golden Eye. 110 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Instituto Moreira Salles: 14h.

Itinerários Únicos

‘RBG’. De Betsy West e Julie Cohen (EUA, 2018).

Aos 85 anos, a juíza da Suprema Corte Americana Ruth Bader Ginsburg construiu um legado que a transformou em um ícone inesperado da cultura pop. 97 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 4: 15h10m.

‘Ryuichi Sakamoto — Um concerto em Nova York’. “Ryuichi Sakamoto: async at the Park Avenue Armory”. De Stephen Nomura Schible (EUA/Japão, 2018).

Rodado durante a produção de “Ryuichi Sakamoto: Coda”, este filme é um registro ao vivo do concerto intimista apresentado por Sakamoto em Nova York. O músico mostrou ao público pela primeira vez o repertório de “async”, seu 16º disco solo, o primeiro álbum de inéditas lançado por ele em oito anos. 65 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Instituto Moreira Salles: 14h.

Midnight

‘Buddies’. De Arthur J. Bressan Jr. (EUA, 1985). Com Geoff Edholm, David Schachter, Billy Lux.

Quando David, um yuppie gay de 25 anos, se voluntaria para acompanhar pacientes com Aids, ele conhece Robert, de 32 anos, um jardineiro californiano que foi abandonado pelos amigos e pela família. Este foi o primeiro filme produzido sobre a Aids e é apresentado em cópia restaurada. 79 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Botafogo 1: 13h30m.

‘The cleaners’. De Hans Block, Moritz Riesewieck (Alemanha/Brasil, 2018).

Numa indústria fantasma no terceiro mundo dedicada à limpeza digital, a internet se livra do que não gosta. Um “limpador” típico tem que vigiar e classificar conteúdo muitas vezes perturbador. O filme aborda cinco desbravadores digitais, entre os milhares contratados pelo Vale do Silício, cujo trabalho é apagar conteúdo inapropriado. 90 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 3: 19h10m.

‘Game girls’. De Alina Skrzeszewska (França/Alemanha, 2018).

Teri e a namorada, Tiahna, levam seu relacionamento pelos caminhos caóticos de Skid Row, Los Angeles, a “capital dos sem-teto dos EUA”. Um dilema aumenta a tensão entre as duas: enquanto Tiahna está confortável vivendo no submundo econômico, Teri é tomada por um desejo de cair fora. 86 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Dom, 11: Instituto Moreira Salles: 16h.

‘A geração da riqueza’. “Generation wealth”. De Lauren Greenfield (EUA, 2018).

Nos últimos 25 anos, a cineasta e fotógrafa viajou pelo mundo documentando movimentos e momentos culturais. E percebeu que muito de seu trabalho apontava para um fenômeno: a cultura da riqueza. 106 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 1: 13h10m.

‘Profile’. De Timur Bekmambetov (EUA/Reino Unido/Chipre/Rússia, 2018). Com Valene Kane, Shazad Latif, Christine Adams.

Ao investigar as técnicas de recrutamento on-line do Estado Islâmico usadas para atrair jovens europeias para a Síria como noivas da Jihad, Amy Whittaker, uma jornalista de Londres, cria no Facebook um perfil falso de uma muçulmana convertida radicalizada. Quando um recrutador entra em contato, ela se coloca em perigo. Baseado no best-seller “Na pele de uma jihadista”, da jornalista francesa Anna Erelle. 105 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos. Sem legendas em português.

Dom, 11: Estação Net Rio 4: 21h30m.

‘Selvagem’. “Sauvage”. De Camille Vidal-Naquet (França, 2018). Com Félix Maritaud, Eric Bernard e Nicolas Dibla.

Leo tem 22 anos e vende seu corpo nas ruas. Homens chegam e vão, e ele enfrenta a vida nessas circunstâncias. 99 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 4: 17h15m.

‘A valsa de Waldheim’. “Waldheims Walzer”.

De Ruth Beckermann (Áustria, 2018).

Em 1986, a diretora era uma das ativistas que tentavam impedir a eleição de Kurt Waldheim. Mais de 30 anos depois, ela revisita seus arquivos e usa materiais adicionais para analisar esse momento decisivo na política da Áustria. O resultado é a exposição da teia em que o ex-secretário-geral da ONU se envolveu ao esconder dois anos de sua biografia nos tempos de guerra. 93 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 5: 17h40m.

Panorama

‘Asako I & II’. “Netemo sametemo”. De Ryûsuke Hamaguchi (Japão/França, 2018). Com Masahiro Higashide, Erika Karata.

Asako e Baku vivem um romance intenso, porém, certo dia, o temperamental Baku desaparece. Dois anos mais tarde, depois de se mudar de Osaka para Tóquio, Asako encontra o duplo perfeito de Baku. Indicado à Palma de Ouro no Festival de Cannes. 119 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Reserva Cultural Niterói 1: 13h45m.

‘Assunto de família’. “Manbiki Kazoku”. De Hirokazu Koreeda (Japão, 2018). Com Kirin Kiki, Lily Franky, Sôsuke Ikematsu.

Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes 2018. Após mais uma jornada rotineira de furtos em lojas, Osamu e seu filho cruzam com uma menina sofrendo sob frio congelante. A princípio relutante em abrigar a garota, a mulher de Osamu decide cuidar dela depois de conhecer as desgraças que a pequena havia enfrentado. Apesar de se tratar de uma família pobre, todos parecem felizes, até que um incidente revela segredos escondidos e testa seus laços de união. 121 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 2: 15h10m.

‘A cada momento’. “De chaque instant”. De Nicolas Philibert (França, 2018).

Todos os anos, milhares de estudantes — na maioria mulheres — embarcam em cursos de formação de enfermagem. Este documentário acompanha os altos e baixos de um aprendizado que lida com a fragilidade humana, o sofrimento, a doença, as falhas nas almas e nos corpos. 105 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Instituto Moreira Salles: 17h50m.

‘A casa que Jack construiu’. “The House that Jack Built”. De Lars von Trier (Dinamarca/França/Alemanha/Suécia, 2018). Com Matt Dillon, Bruno Ganz, Uma Thurman.

Um dia, durante um encontro fortuito na estrada, o arquiteto Jack mata uma mulher. Este evento provoca um prazer inesperado no personagem, que passa a assassinar dezenas de pessoas ao longo de 12 anos e guardar os cadáveres num frigorífico. Mais tarde, ele compartilha seus casos mais marcantes com o sábio Virgílio, numa jornada rumo ao inferno. 155 minutos. Não recomendado para menores de 18 anos.

Dom, 11: Reserva Cultural Niterói 1: 16h.

‘Colette’. De Wash Westmoreland (Inglaterra/EUA/Hungria, 2018). Com Keira Knightley, Dominic West, Eleanor Tomlinson, Denise Gough.

Quando Colette se casa com o egocêntrico escritor Willy, é inserida no fecundo mundo das artes de Paris, onde sua criatividade floresce. Willy permite que Colette escreva romances, contanto que sejam assinados por ele. Willy fica famoso, mas a falta de reconhecimento por seu trabalho começa a incomodar Colette. 111 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Kinoplex São Luiz 2: 13h45m.

‘Conquistar, amar e viver intensamente’. “Plaire, Aimer et Courir Vite”. De Christophe Honoré (França, 2018). Com Vincent Lacoste, Pierre Deladonchamps, Denis Podalydès.

Paris, 1993. Jacques é um escritor na casa dos 30 anos que goza de relativa notoriedade. Pai solteiro, ele preserva o bom humor e o romantismo, apesar das incertezas em sua vida e no mundo. Durante uma viagem de trabalho para a Bretanha, conhece Arthur, jovem aspirante a cineasta em meio a um despertar sexual. 130 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Reserva Cultural Niterói 1: 21h10m.

‘El Pepe, uma vida suprema’. “El Pepe, una vida suprema”. De Emir Kusturica (Argentina/Uruguai/Sérvia, 2018).

Aos 80 anos, José Mujica, ex-presidente do Uruguai, guerrilheiro urbano e preso político, é hoje um líder global. Sua vida parece um filme, e ele escolheu o aclamado diretor sérvio Emir Kusturica para contar sua jornada. Juntos eles traçam um diálogo íntimo que explora o significado da existência enquanto comprometimento político e aventura poética. 74 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 5: 21h30m.

‘Imagem e palavra’. “Le livre d’image”. De Jean-Luc Godard (França, 2018).

Em seu longa mais recente, premiado no Festival de Cannes com a primeira Palma de Ouro Especial da história, Godard faz uma colagem de imagens de filmes, documentários e vídeos caseiros para refletir sobre o mundo moderno. 84 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 2: 21h40m.

‘Maria Callas — Em suas próprias palavras’. “Maria by Callas”. De Tom Volf (França, 2018).

A soprano greco-americana Maria Callas foi alçada à fama depois da Segunda Guerra Mundial. Juntando material de arquivo restaurado com as palavras da própria Callas, o filme nos mostra um novo olhar sobre suas vidas pública e privada. 113 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Reserva Cultural Niterói 1: 19h.

‘Meu próprio bem’. “Il bene mio”. De Pippo Mezzapesa (Itália, 2018). Com Sergio Rubini, Sonya Mellah, Dino Abbrescia, Francesco De Vito, Michele Sinisi, Teresa Saponangelo.

Elia, o último habitante de Provvidenza, cidade italiana destruída por um terremoto, recusa-se a se mudar para a “Nova Provvidenza”. Tentam expulsá-lo e até o prefeito determina sua saída. Para ele, no entanto, aquele lugar continua vivo. 94 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 1: 19h30m.

‘A névoa verde’. “The Green Fog”. De Guy Maddin, Evan Johnson, Galen Johnson (EUA/Canadá, 2018).

A estrutura deste filme é uma homenagem a “Um corpo que cai”, de Hitchcock: um conjunto vertiginoso de imagens constrói uma fantasia cinematográfica passada em São Francisco que atrai o espectador. 62 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 4: 13h50m.

‘No portal da eternidade’. “At Eternity’s Gate”. De Julian Schnabel (EUA/França, 2018). Com Willem Dafoe, Rupert Friend, Mads Mikkelsen, Mathieu Amalric, Emmanuelle Seigner.

Nas aldeias de Arles e Auvers-sur-Oise, onde se refugiou para escapar das pressões de Paris, o pintor Vincent van Gogh é tratado gentilmente por alguns e brutalmente por outros. Seu amigo e artista Paul Gauguin, após uma convivência intensa, se afasta. Seu irmão, Theo, é inabalável em seu apoio, mas nunca consegue vender uma única pintura de Vincent. Premiado no Festival de Veneza. 110 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 2: 19h30m.

‘Nunca deixe de lembrar’. “Werk ohne autor”. De Florian Henckel von Donnersmarck (Alemanha, 2018). Com Tom Schilling, Sebastian Koch, Paula Beer.

Baseado em fatos. O filme conta a história de um studante de Arte, Kurt, que se apaixona por Ellie. O pai de Ellie, Seeband, um médico famoso, não concorda com a escolha da filha e jura que destruirá esse relacionamento. O que nenhum deles sabe é que suas vidas já estão conectadas através de um terrível crime que Seeband cometeu décadas atrás. Vencedor de dois prêmios no Festival de Veneza. 188 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Botafogo 1: 20h20m.

‘O olho e a faca’. De Paulo Sacramento (Brasil, 2018). Com Rodrigo Lombardi, Caco Ciocler, Maria Luisa Mendonça, Roberto Birindelli.

Roberto trabalha há anos em uma plataforma de petróleo. Ele e seus colegas são unidos por fortes vínculos de amizade, o que é uma forma de resistir ao isolamento da rotina em alto-mar. A notícia inesperada de uma promoção na equipe abala o bom relacionamento geral. 99 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Dom, 11: Kinoplex São Luiz 1: 16h30m.

‘Peterloo’. De Mike Leigh (Reino Unido, 2018). Com Rory Kinnear, Maxine Peake, Pearce Quigley, David Moorst, Rachel Finnegan.

Um retrato épico dos eventos ligados ao Massacre de Peterloo, de 1819, em que protestos pacíficos pró-democracia em Manchester resultaram em um dos episódios mais sangrentos da história da Inglaterra. No massacre, o governo britânico atacou uma multidão de mais de 60 mil que havia se juntado para pedir reforma política e protestar contra os altos níveis de pobreza. 154 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Botafogo 1: 15h10m.

‘A rota Sslvagem’. “Lean on Pete”. De Andrew Haigh (Reino Unido, 2017). Com Charlie Plummer, Travis Fimmel, Chloë Sevigny, Thomas Mann, Steve Buscemi.

Charley tem 15 anos e acabou de chegar a Portland com o pai. Os dois precisam recomeçar, após passar por momentos difíceis. Enquanto seu pai ainda mergulha em seus tormentos pessoais, Charley encontra conforto em Lean on Pete, um cavalo de corridas. Vencedor do Marcelo Mastroianni Award de melhor ator (Charlie Plummer) no Festival de Veneza. 121 minutos. Não recomendado para menores de 10 anos.

Dom, 11: Kinoplex São Luiz 1: 19h.

‘Túmulos sem nome’. “Les tombeaux sans noms”. De Rithy Panh (França/Camboja, 2018).

Quando um menino de 13 anos que perdeu boa parte da sua família sob o regime do Khmer Vermelho embarca em uma busca por suas sepulturas, o que ele encontra? Um filme que vai além da busca pela história de um país, mas de uma história universal. 116 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 4: 19h15m.

‘Vidas duplas’. “Doubles vies”. De Olivier Assayas (França, 2018). Com Guillaume CaNet, Juliette Binoche, Vincent Macaigne, Nora Hamzawi.

Alain, um editor parisiense de sucesso, luta para se adaptar à revolução digital que vem atropelando seu meio profissional. Nesse momento ele tem dúvidas sobre o novo manuscrito de Léonard, um de seus autores. O escritor insiste em propor mais um trabalho de autoficção, reinventando seu caso de amor com uma jovem celebridade. 106 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 1: 17h20m.

‘Vida selvagem’. “Wildlife”. De Paul Dano (EUA, 2018). Com Carey Mulligan, Jake Gyllenhaal, Ed Oxenbould, Bill Camp.

Joe, de 14 anos, é filho único de JeaNette e Jerry, uma dona de casa e um profissional de golfe. Eles vivem no interior de Montana, nos anos 1960, onde um incêndio florestal atinge a região perto da fronteira com o Canadá, perto dali. Quando Jerry decide se juntar ao combate ao incêndio, Joe testemunha a luta de sua mãe para sobreviver.104 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Kinoplex São Luiz 1: 21h30m.

‘Vox Lux’. De Brady Corbet (EUA, 2018). Com Natalie Portman, Jennifer Jason Leigh, Jude Law, Willem Dafoe.

Depois de cantar em uma cerimônia fúnebre, a adolescente Celeste torna-se uma pop star. Sua ascensão meteórica acontece concomitantemente a um ataque terrorista que choca a nação, transformando a jovem em um ícone americano. Anos depois, em 2017, Celeste tenta se recuperar após um escândalo. 110 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Kinoplex São Luiz 2: 16h15m.

‘White Boy Rick’. De Yann Demange (EUA, 2018). Com Matthew McConaughey, Richie Merritt, Jennifer Jason Leigh.

Detroit dos anos 80: no apogeu da epidemia do crack e da guerra contra as drogas, uma cidade tomada pela corrupção. Um jovem faz um acordo, torna-se um informante secreto e, mais tarde, um traficante de drogas manipulado pelo próprio sistema destinado a protegê-lo. Abandonado pelos agentes da polícia, ele é condenado à prisão perpétua. Baseado na história real do informante mais jovem da história do FBI. 111 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Dom, 11: Estação Net Botafogo 1: 18h10m.

Première Brasil

HORS-CONCOURS – ficção

‘Simonal’. De Leonardo Domingues (Brasil, 2018). Com Fabricio Boliveira, Isis Valverde, Leandro Hassum.

Trajetória de ascensão e queda de Wilson Simonal, cantor de grande sucesso durante os anos 1960 e início dos 70. Mas nada salvou Simonal da maior estupidez de sua vida: a de se fazer passar por protegido da ditadura militar para dar uma lição a um desafeto. A partir de então, foi acusado de dedo-duro e viu sua carreira afundar. 105 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Roxy 1: 20h45m.

‘A voz do silêncio’. De André Ristum (Brasil/Argentina, 2018). Com Marieta Severo, Ricardo Merkin, Stephanie de Jongh.

Um olhar atento varre a cidade grande e pessoas anônimas, que vivem suas vidas em tensão para sobreviver, resignados com o destino de cada um. Uma realidade onde os sentimentos e emoções perdem seu significado original consumidos pela urgência de novos valores. 98 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Dom, 11: Kinoplex São Luiz 1: 14h.

Hors-concours-documentários

‘THF: aeroporto central ’. De Karim Ainouz (Brasil / Alemanha / França, 2018).

Um jovem sírio vive no interior do aeroporto de Tempelhof, uma das mais célebres construções do regime nazista, enquanto aguarda as autoridades decidirem sobre sua permanência no país. Um olhar sobre a Berlim contemporânea, acompanhando os sentimentos ambivalentes do protagonista em relação ao não-lugar que ocupa. 97 minutos. Livre. Antes do longa será exibido o curta “O mundo é redondo pra ninguém se esconder nos cantos – Parte I: refúgio”, de Leandro Goddinho.

Dom, 11: Cine Arte UFF: 21h10m.

Retratos

‘Carvana’. De Lulu Corrêa (Brasil, 2018).

Exímio contador de histórias, Hugo Carvana (1937-2014) narra sua própria trajetória de 60 anos de carreira através de entrevistas feitas desde a década de 1970. Entre seus relatos e cenas de cinema, ganham a tela os tempos de estudante de teatro e figurante de chanchadas, a marcante presença como ator no Cinema Novo, as comédias e sua militância política. 104 minutos. Não recomendado para menores de 12 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 3: 15h15m.

‘Rindo à toa: humor sem limites’. De Cláudio Manoel, Alvaro Campos, Alê Braga (Brasil, 2018).

O filme retrata o período em que o humor nacional teve menos limites (1986-2003). Da descompressão do fim da censura militar até a quase inexistência do “politicamente correto” que a internet amadureceria nos anos 2000, uma nova geração de artistas, como Laerte, Marcelo Tas, Pedro Cardoso, Premê, Cláudio Paiva, Bussunda e outros explode criando novas linguagens de TV, teatro, música e humor gráfico, revolucionando e obtendo prazer em chocar. 102 minutos. Livre.

Dom, 11: Cinemateca do MAM: 17h.

‘Tá rindo de quê? Humor e ditadura’. De Cláudio Manoel, Alvaro Campos, Alê Braga (Brasil, 2018).

O longa investiga a experiência (e a resistência) de humoristas brasileiros durante o regime militar. Enquanto o humor solidifica seu alcance extrapolando o rádio para chegar à TV e ao jornalismo impresso, nomes como Chico Anysio, Millôr, Jô Soares, Golias, Jaguar, Dercy e Agildo Ribeiro se transformam em ícones, enquanto tentam driblar a censura e fazer também política. 92minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Cinemateca do MAM: 15h.

Première Latina

‘O anjo’. “El ángel”. De Luis Ortega (Argentina/Espanha, 2018). Com Lorenzo Ferro, Chino Darín, Mercedes Morán.

Buenos Aires, 1971. Carlitos é um jovem que, aos 17 anos, descobre sua vocação — ser ladrão. Quando conhece Ramón, é atraído por ele. Juntos, os dois embarcarão em uma jornada de descobertas, amor e crime, até Carlitos ser preso. Retrato ficcional de Carlos Robledo Puch, serial killer conhecido como Anjo da Morte e prisioneiro mais antigo da Argentina. 120 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Kinoplex São Luiz 2: 21h15m.

‘A camareira’. “La camarista”. De Lila Avilés (México, 2018). Com Gabriela Cartol, Teresa Sánchez.

Eve é uma camareira que trabalha em um dos hotéis mais luxuosos da Cidade do México. Turnos longos e cansativos impedem que Eve cuide de seu filho, mas ela acredita que sua situação irá melhorar se for promovida. Com esse objetivo, ela também se inscreve no programa de educação para adultos do hotel. Duas improváveis relações no trabalho a ajudam a encontrar a coragem que tanto busca. 102 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 5: 19h30m.

‘Cinzas’. “Cenizas”. De Juan Sebastián Jácome (Equador/Uruguai, 2018). Com Samanta Caicedo, Diego Naranjo, Juana Estrella.

Vivendo na região dos Andes Equatorianos, Caridad não fala com seu pai há anos – desde que ele abandonou a família. Mas a situação muda quando um vulcão há tempos inativo começa a cuspir cinzas e Caridad se encontra isolada e presa na área destruída. Vendo-se sem opções, ela procura por seu pai e vai ter que confrontar emoções que manteve reprimidas por tantos anos. 80 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 5: 14h10m.

‘Compra-me um revólver’. “Cómprame un revolver”. De Julio Hernández Cordón (México, 2018). Com Ángel Leonel Corral, Matilde Hernández Guinea, Rogelio Sosa.

México, em algum momento de um futuro próximo. As mulheres estão desaparecendo gradativamente e uma garota chamada Huck usa uma máscara para conseguir esconder seu gênero. Ela ajuda seu pai, um viciado atormentado, a cuidar de um campo de beisebol abandonado, onde traficantes se reúnem para jogar. Com a ajuda de seus amigos, Huck tem que lutar para superar sua realidade e derrotar a máfia local. 90 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 3: 17h20m.

‘Família submersa’. “Família sumergida”. De María Alché (Argentina/Brasil/Alemanha/Noruega, 2018). Com Mercedes Morán, Esteban Bigliardi, Marcelo Subiotto, Laila Maltz, Federico Sack.

É verão em Buenos Aires, e a irmã de Marcela faleceu subitamente. Enquanto passa pelo luto, ela precisa encarar o doloroso processo de esvaziar o apartamento da irmã. Quando Nacho, jovem amigo de sua filha, se oferece para ajudá-la, ela encontra um conforto inesperado à medida que a relação entre eles se desenvolve, em viagens de carro e aventuras. 91 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 3: 13h20m.

‘Humanpersons’. “Personas humanas”. De Frank Spano (Panamá/Brasil/Espanha, 2018). Com Luis Fernández, Alex O Dogherty, María Cecilia Sánchez, Ramiro Meneses, Roberto Birindelli.

James é um imigrante latino que vive em Illinois, nos EUA, há 35 anos. É um homem solitário, com um filho, e seu passado está prestes a ameaçá-lo. Sua bem-sucedida carreira no crime lhe garantiu o respeito de sua organização e eles lhe passaram uma delicada tarefa: conseguir um fígado humano para um cliente muito importante. 93 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Rio 5: 15h50m.

‘Minha obra-prima’. “Mi obra maestra”. De Gastón Duprat (Argentina/Espanha, 2018). Com Guillermo Francella, Luis Brandoni, Raúl Arévalo.

Arturo é um marchand de arte encantador e sofisticado, ainda que meio inescrupuloso. Tem sua própria galeria de arte em Buenos Aires. Renzo é um artista plástico melancólico, decadente e que detesta qualquer contato social e vive quase na pobreza. Ainda que o marchand e o pintor sejam unidos por uma velha amizade, não concordam em quase nada. 100 minutos. Não recomendado para menores de 14 anos.

Dom, 11: Estação Net Ipanema 1: 15h20m.

Sessões especiais

‘O Grande Circo Místico’. De Carlos Diegues (Brasil/Portugal/França, 2018). Com Jesuíta Barbosa, Bruna Linzmeyer, Vincent Cassel, Mariana Ximenes, Marina Provenzzano.

A história de cinco gerações de uma família dona de um circo desde a inauguraçãom em 1910, até os dias atuais. O filme acompanha, com a ajuda de Celaví, o mestre de cerimônias, as aventuras e os amores da família Kieps. 106 minutos. Não recomendado para menores de 16 anos.

Dom, 11: Kinoplex São Luiz 2: 18h45m.

Sessões Gratuitas

Festival no Sesc

Sesc Nova Iguaçu. Rua Dom Adriano Hipóilito 10, Moquetá.

Dom, 11: Às 16h: “O filme da minha vida”, de Selton Mello.

Sesc São Gonçalo. Av. Presidente Kennedy 755, Estrela do Norte — 2712-3282.

Dom, 11: Às 14h: “Altas expectativas”, de Álvaro Campos, Pedro Paes.


Leia a notícia completa em O Globo Festival do Rio: os destaques de domingo, 11/11

O que você pensa sobre isso?