Fechado há mais de 4 anos, Museu da Borracha vai passar por obras e ter exposição focada em ciclos da borracha em Rio Branco

Exposição de museu foi fechada em 2013 e somente em 2015 governo conseguiu documentação para projetar reformas. Outros espaços de Rio Branco e também no interior do Acre vão passar por obras. Fechado desde 2013, Museu da Borracha vai passar por obras e ter exposição focada em ciclos da borracha em Rio Branco
Quésia Melo/G1
Fechado desde 2013, o Museu da Borracha, em Rio Branco, vai passar por obras de revitalização que foram iniciadas nesta quinta-feira (12) e deve ser reaberto no prazo de até quatro meses. O local vai ter a exposição focada nos ciclos da borracha no Acre e os outros acervos devem ser encaminhados para novos espaços culturais.
Ao G1, a presidente da Fundação Elias Mansour (FEM), Karla Martins, destacou que outro local deve ser usado para guardar o acervo arquelógico do museu.
O mesmo deve ser feito com o fardamento de Daime, que pode ser incorporado a antecâmara da ayahuasca que vai ser feita no Museu dos Povos Acreanos. O material sobre a Revolução Acreana, segundo ela, já é contemplado em outros locais.
“A obra é de restauração e vai voltar a condição bem original. Embora não seja um prédio tombado. ele tem seu valor histórico. Quando o museu foi criado nós só tínhamos ele como espaço de memória na cidade e no decorrer dos últimos 20 anos vários outros espaços foram concluídos. Então, o local tinha um pouco de cada coisa, mas agora chegamos a conclusão que pode ser dedicado a borracha”, explica.
Além do museu, o Memorial dos Autonomistas e Theatro Hélio Melo e a Escola de Música do Acre (Emac) também vão passar por obras. Ao todo, o governo anunciou que vai investir R$ 2,4 milhões nas reformas desses espaços artísticos e culturais por meio da Fundação Elias Mansour (FEM).
No interior do Acre, também devem ser feitas reformas em espaços nos municípios de Cruzeiro do Sul, Epitaciolândia, Tarauacá, Xapuri e Brasileia. O repasse para as obras soma mais de R$ 11 milhões e mais de R$ 3 milhões devem ser usados na compra de mobília e equipamentos.
Memorial e teatro vão passar por obras de revitalização. Ossário com restos mortais de senador Guiomard Santos deve ser elevado devido ao solo
Reprodução/Google Street View
Mudanças em exposições
Com a remodelagem, o prédio do Museu da Borracha vai passar a ser mais acessível com a instalação de rampas de acesso para o segundo piso. A exposição vai ser remodelada e abordar, de maneira mais intensa, a presença da borracha na história do Acre.
O prédio estava com a exposição fechada desde 2013 e somente em 2015 o governo conseguiu a documentação do local para elaborar o projeto de reforma que foi concluído há cerca de quatro meses.
“Além dos ciclos, vamos abordar como a borracha é usada até hoje. Esse material passou a ser matéria-prima de várias criações interessantes, usada por comunidades e também na produção de preservativos. Também vão ter algumas obras de arte”, disse.
A intervenção na Escola de Música deve ser iniciada pelo muro, pois ainda está tendo aula no local. As obras nas outras áreas devem começar no final de agosto. O Memorial dos Autonomistas deve voltar a condição original como espaço de exposição. O ossário com os restos mortais do senador Guiomard Santos deve passar por uma reestruturação.
“Vamos ter de subir o ossário, pois tivemos mudanças no lençol freático da cidade. Então, vai ficar mais elevado. No resto do prédio deve ser feito o piso do teatro que passou por muitos problema e troca de cadeiras”, finaliza.
Escola também deve passar por obras
Divulgação/Escola Acreana de Música
Leia a notícia completa em G1 Fechado há mais de 4 anos, Museu da Borracha vai passar por obras e ter exposição focada em ciclos da borracha em Rio Branco

O que você pensa sobre isso?