Ex-integrante da força-tarefa Lava-Jato diz que convite é reconhecimento do trabalho de Moro


SÃO PAULO – O procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima, que por quatro anos integrou a força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, afirmou em nota que o convite feito pelo presidente Jair Bolsonaro é um “reconhecimento do trabalho de Sergio Moro”.

Segundo ele, a argumentação de que a operação seria “maculada” é mais fruto da “pouca institucionalidade” com que esses assuntos são tratados no Brasil. Moro

“O reconhecimento do presidente sobre um trabalho importante como o de Sergio Moro não pode, portanto, comprometer de qualquer forma a operação Lava-Jato, pois em nenhum momento teve qualquer influência sobre as decisões da operação, já que é posterior a elas”, afirmou Lima em nota.

O procurador afirmou na nota que a decisão de se exonerar do cargo, que terá de ser tomada por Moro caso decida aceitar o convite para o Ministério da Justiça, “é uma decisão muito difícil”, especialmente para aqueles que são “por excelência magistrados”. Disse ainda que quem conhece Moro sabe de sua honestidade pessoal e sabe que a ideia (do convite) lhe chegou pela mesma entrevista concedida pelo presidente eleito que informou o restante da população.

Lima foi porta-voz um dos porta-vozes da Lava-Jato e deixou a força-tarefa de Curitiba em setembro passado, voltando a atuar na Procuradoria Regional da República da 3º região em São Paulo. Ele deve se aposentar no próximo ano.


Leia a notícia completa em O Globo Ex-integrante da força-tarefa Lava-Jato diz que convite é reconhecimento do trabalho de Moro

O que você pensa sobre isso?