'Ela ainda brincava de boneca', diz mãe de menina de 12 anos, morta com amiga de 11


RIO-Uma menina calma que ainda gostava de brincar de boneca. Assim é descrita
pela mãe, uma das duas meninas, de 11 e 12 anos respectivamente, que foram
mortas a tiros e golpes de faca, em Casimiro de Abreu, no interior do Rio, nesta
quinta-feira. A Polícia Civil apura o possível envolvimento de traficantes com o
crime, já que uma semana antes do duplo assassinato, o namorado de uma das
jovens foi morto em meio a uma guerra de facções, em Rio das Ostras, município
vizinho onde as duas amigas moravam.

Segundo a dona de casa X., sua filha tinha um comportamento tranquilo quando
estava em casa.

— Era minha filha caçula . Não sei o comportamento dela fora de casa, mas
aqui com a gente, era uma menina calma e muito tranquila. Gostava de brincar de
boneca. Sobre o que aconteceu, ainda estamos tentando nos confortar. Só sei que
ela foi e não volta mais. Não posso falar mais nada — disse a dona de casa, que
também é mãe de outros dois filhos, de 21 e 27 anos respectivamente.

O enterro da filha da dona de casa só deve acontecer neste sábado, já que até
a sexta-feira, o corpo da menina, apesar de já estar liberado, ainda permanecia
no Instituto Médico-Legal de Macaé.

— Estamos resolvendo as coisas e só agora conseguimos toda a papelada. Deve
acontecer ( enterro) amanhã (sábado) i no Cemitério de Rio das Ostras — disse
a dona de casa.

Já a outra vitima, de 11 anos, foi sepultada, nesta sexta-feira, no cemitério
de São Fidélis, no Norte Fluminense.

O caso está sendo investigado pela delegada Juliana Rattes, da 121ª DP ( Casimiro de Abreu). As meninas
haviam saído de casa, em Rio das Ostras, na noite de quarta-feira.

Os corpos acabaram sendo reconhecidos pelas mães das jovens. Após acordarem e
não encontrarem as filhas em suas respectivas residências, as duas foram até Rio
Dourado a fim de checar informações que davam conta da existência de dois
cadáveres em um matagal.

— Estamos investigando o caso em sigilo. Não podemos dar muitas informações
para não atrapalhar as investigações. Parentes e amigos das vítimas já foram
ouvidos. Eles contaram que uma das meninas, ao sair de casa, disse que voltaria
logo, pois iria apenas passar em um local para pegar uma blusa — disse a
delegada Juliana Rattes, titular
da da 121ª DP(Casimiro de Abreu), que investiga o caso.

A polícia tenta rastrear os últimos passos das duas meninas e verifica também
as redes sociais de ambas, em busca de mais pistas sobre o duplo assassinato. Já
se sabe que as jovens foram provavelmente colocadas em veículo, ainda em Rio das
Ostras, e levadas até o local onde foram mortas. Umas das armas usadas na
execução é uma pistola calibre 380. Cápsulas da arma foram encontradas no local
do crime. A polícia também já sabe que o telefone celular de uma das meninas
desapareceu após as mortes.

As amigas foram executadas a tiros. Além disso, uma delas tinha uma lesão no
pescoço que pode ter sido feita com uma faca.

Lamento nas redes sociais

Nas redes sociais, as duas amigas costumavam postar fotos juntas,
principalmente em festas. Há imagens das duas com copos do que parece ser bebida
alcoólica. Algumas pessoas lamentaram os assassinatos:

“Triste realidade, duas crianças mortas”, escreveu um internauta.

“Que Deus conforte o coração da família”, disse outro.

“Não tô acreditando que você se foi”, lamentou uma amiga.

“Você era tão linda e deixou essa vida te levar. É uma pena. Meu coração
chora por isso, menina”, postou mais um usuário da rede social.


Leia a notícia completa em O Globo ‘Ela ainda brincava de boneca’, diz mãe de menina de 12 anos, morta com amiga de 11

O que você pensa sobre isso?