Eficiência médica: o conceito que pode salvar o setor de saúde


Experiência consolidou a GE Healthcare como consultora na área de saúde (Foto: Getty Images)

 

Os desafios da saúde no Brasil crescem a cada ano em escala hercúlea. A queda em 10% do número de leitos nos hospitais brasileiros nos últimos sete anos é só mais um dado alarmante do segmento, que viu 430 hospitais particulares suspenderam suas atividades no período – ao mesmo tempo que o número de pessoas com mais de 60 anos pulou de 17,4 milhões para 26 milhões. E a principal questão, baseada em previsão da Organização Mundial de Saúde (OMS), é como o setor de saúde vai lidar com os idosos em 2050 – que serão um quinto da população do planeta.

Uma das principais apostas está na eficiência médica, que é o conjunto de práticas capaz de conciliar economia, qualidade e crescimento dentro das instituições de saúde. Foi com esse foco que a GE Healthcare recebeu a missão do Hospital Sírio-Libanês, centro de referência internacional em saúde, para melhorar o desempenho do centro cirúrgico de seu complexo hospitalar instalado no bairro da Bela Vista, em São Paulo.

Com base em dados dos últimos dois anos e entrevistas realizadas com profissionais que atuam no espaço, foi constatado que a estrutura estava sendo subutilizada. Com isso, teve o início o projeto de eficiência médica em diversas frentes de trabalho. Enquanto uma parcela dos envolvidos assegurava a redução de cancelamentos e transferências no agendamento, as demais tratavam da melhora da governança do centro cirúrgico e de atrair novas demandas, promovendo a conversão de orçamentos particulares.

O sucesso da empreitada pode ser medido pelos números atingidos. Se comparados com os dados do mesmo período do ano anterior, o setor do Hospital Sírio-Libanês teve um crescimento de 8% no volume de pacientes operados entre agosto e novembro de 2017, representando ganhos anuais que podem chegar a R$ 56 milhões. Além disso, houve redução de 20% no número de cancelamentos feitos com um dia de antecedência.

Já na captação, o número de orçamentos enviados em 24h passaram de 65% para 72% – ao mesmo tempo que o número de cirurgias particulares passou de uma queda de 18% para um crescimento superior a 4%. Em suma, foi provado que é viável conciliar economia, qualidade e crescimento – e que, quando executada com seriedade, a eficiência médica resulta em ganhos concretos para todos os atores do segmento, que incluem instituições, médicos e pacientes.

A experiência serviu como combustível para que a GE Healthcare se consolidasse como consultora na área de saúde, combinando a oferta de equipamentos com soluções personalizadas para a demanda de cada cliente. E da mesma forma que oferece softwares desenvolvidos para facilitar a atividade clínica, a realização de exames radiológicos e o trabalho de gestão, a empresa auxilia o cliente a reduzir custos e ganhar produtividade aperfeiçoando protocolos e equipamentos.

A meta da GE Healthcare é elevar o nosso sistema de saúde a patamares mais elevados, onde solidez e eficiência são utilizadas para garantir cuidados democráticos e humanizados.
Leia a notícia completa em Época Eficiência médica: o conceito que pode salvar o setor de saúde

O que você pensa sobre isso?