Crítica: Def Leppard faz tudo certo, mas não empolga plateia ávida por hits

RIO – E se o Def Leppard tivesse, afinal, vindo ao Rock in Rio em 1985? Talvez a reação da plateia fosse parecida com a da noite desta quinta-feira, no Palco Mundo: com poucas músicas conhecidas, a banda de Sheffield, Inglaterra fez uma apresentação sem erros, 100% profissional, mas o público, mesmo com boa vontade, não embarcou no rock melodioso do quinteto. LINKS_RIR21

— É um prazer estar aqui, mesmo com 32 anos de atraso — disse o cantor Joe Elliott no começo do show. — Bom, antes tarde do que nunca.

De fato, o Def Leppard em 2017 é uma banda tecnicamente muito melhor do que quando seus músicos tinham vinte e poucos anos e pouca responsabilidade — que, por exemplo, fez o baterista Rick Allen perder o braço em um acidente de carro e o guitarrista Steve Clark morrer em consequência do alcoolismo, sendo substituído por Vivian Campbell. Mesmo Elliott, que andou rateando em vídeos recentes, mostrou a voz em boa forma, assim como os vocais de apoio de seus companheiros, afinadinhos.

A dupla de guitarristas formada por Campbell e pelo atleta Phil Collen — que já entrou sem camisa, exibindo um torso invejável, especialmente para um homem prestes a completar 60 anos — é o ponto alto da banda: entre bases e solos, os dois tiram um som perfeito dos instrumentos, liberando Elliot para cantar letras safadinhas como “Pour some sugar on me”, a melosa “Love bites” (da inesquecível versão “Eu não quero tô-car em você, oh, baby”, do Yahoo) e “Let it go”). A cozinha de Rick Savage (baixo) e Allen, mesmo com apenas um braço, também faz um trabalho redondo, como se viu claramente na instrumental “Swicth 625”, um dos pontos altos do show.

Pessoas aqui e ali cantavam trechos, como na balada “Bringin’ on the heartbreak” (talvez a mais conhecida nos idos de 1985), mas o DL não incendiou o público, embora não tenha exatamente culpa por isso. Talvez uma frequência maior do que uma vinda a cada 20 anos (a única foi em 1997) ajude.

Cotação: Bom. Leia as críticas dos shows da segunda semana do Rock in Rio 2017

Fonte: O Globo Crítica: Def Leppard faz tudo certo, mas não empolga plateia ávida por hits

O que você pensa sobre isso?