Cidades do Centro-Oeste de MG ficam abaixo da meta de vacinação mesmo após prorrogação da campanha contra a pólio e o sarampo

Divinópolis, Itaúna, Oliveira e Lagoa da Prata estão abaixo da meta de 95% de imunização do público-alvo preconizado pelo Ministério da Saúde. Municípios do Centro-Oeste mineiro ainda não atingiram a meta de vacinação contra pólio e sarampo
Prefeitura de Formiga/Divulgação
Mesmo com a prorrogação da campanha de multivacinação contra o sarampo e a poliomielite, algumas das cidades do Centro-Oeste mineiro, que integram a Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Divinópolis, continuam abaixo da meta de imunização do público-alvo preconizado pelo Ministério da Saúde.
Segundo os dados do ‘Vacinômetro’, do Datasus, acessados neste sábado (15), Divinópolis, Itaúna, Oliveira e Lagoa da Prata estavam com uma imunização abaixo de 95% até às 9h30. O alvo da campanha são crianças de 1 a 5 anos de idade.
Apesar da campanha nacional ter encerrado no dia 31 de agosto, o Ministério autorizou que, principalmente os municípios que ainda não atingiram a meta, estendessem o prazo das ações. Essa autorização ocorreu duas vezes e a última terminou nesta sexta-feira (14).
Bom Despacho, Pará de Minas e Nova Serrana fecharam o mês de agosto abaixo da meta de imunização, porém conseguiram chegar ao percentual recomendado devido à prorrogação da campanha e ao fato de que no dia 1º de setembro foi realizado um dia “D” extra de vacinação.
Divinópolis
Em Divinópolis, o público-alvo na campanha de multivacinação é de 10.181 crianças. Contra a poliomielite foram aplicadas 9.300 doses e o município está com uma cobertura de 91,35%. Contra o sarampo, as doses aplicadas foram de 9.184 e o município está com uma cobertura de 90,21%.
O secretário municipal de Saúde, Amarildo de Sousa, informou ao MGTV neste sábado (15) que pretende continuar a aplicação das vacinas na próxima semana para que o município cumpra a cota do Ministério.
Ações de imunização devem continuar em Divinópolis segundo a Prefeitura
Reprodução/TV Integração
Itaúna
Em Itaúna, o público-alvo da campanha de multivacinação é de 4.023 crianças. Contra a poliomielite, foram aplicadas 3.682 doses (91,52%). Já contra o sarampo, as doses aplicadas foram de 3.679 (91,45%).
Oliveira
Em Oliveira, o público-alvo na campanha de multivacinação é formado por 1.860 crianças. Contra a poliomielite foram aplicadas 1.581 doses (85%) e no combate ao sarampo, as doses aplicadas foram 1.583 (85,11%).
Lagoa da Prata
Em Lagoa da Prata, o público-alvo da campanha é de 2.456 crianças. Contra a poliomielite foram imunizadas 2.213 crianças (90,11%). Já em relação à vacina contra o sarampo, foram imunizadas 2.204 crianças e o município está com uma cobertura vacinal de 89,74%.
Segundo Dia D de mobilização
Em mais uma tentativa de sair do baixo percentual de imunização, a Secretaria Municipal de Saúde de Itaúna realizou neste sábado o segundo Dia “D” de multivacinação. De acordo com a Prefeitura, cerca de 180 crianças na faixa etária preconizada ainda não estavam imunizadas.
As unidades de saúde ficarão abertas até ás 16h para aplicação das doses. Devem ser vacinadas crianças entre um e cinco anos incompletos.
A gerente de Vigilância em Saúde, Maria Izabel Dâmaso, falou sobre a campanha. “A vacina contra o sarampo é a tríplice viral e previne ainda a caxumba e a rubéola. Então, a população deve ficar atenta”, observou a gestora.
Pólio e sarampo
Conforme o Ministério da Saúde, a poliomielite, também chamada de pólio ou paralisia infantil, é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus, que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas infectadas.
Nos casos graves, em que acontecem as paralisias musculares, os membros inferiores são os mais atingidos.
No Brasil, não há circulação do poliovírus selvagem desde 1990, mas, como o vírus existe em outros países, a vacinação é a única forma de mantê-lo afastado da população.
Leia a notícia completa em G1 Cidades do Centro-Oeste de MG ficam abaixo da meta de vacinação mesmo após prorrogação da campanha contra a pólio e o sarampo

O que você pensa sobre isso?