Brasil mantém nível 'baixo' de proficiência em inglês, diz relatório


RIO – Um ranking divulgado nesta terça-feira, dia 30, mostra que o nível de proficiência em inglês dos adultos brasileiros caiu em 2018, em relação ao ano passado. O Brasil caiu do 41º para 53º lugar — entre 88 países —, somando 50,93 pontos, contra os 51,92 totalizados em 2017. O dado é da oitava edição do EF EPI, a mais abrangente classificação mundial do nível de conhecimento de inglês entre adultos de países que não têm a língua inglesa como idioma nativo.

A queda não é drástica: a pontuação se mantém parecida com o que o país vem alcançando desde 2013, período em que o número de pontos variou só de 49 a 51. E a pontuação total está significativamente superior à de 2012, quando os adultos brasileiros alcançaram somente 46,86 pontos — o que deixava o país na categoria de nível “muito baixo” de proficiência em inglês. Mesmo assim, com cerca de cinco pontos a mais atualmente, o Brasil está com nível de proficiência considerado “baixo”.

LINKS PROFICIÊNCIA EM INGLÊSOs países que ocupam os três primeiros lugares no ranking geral deste ano são a Suécia (70,72), a Holanda (70,31) — que foi líder no ano passado — e Singapura (68,63). Os países mais desenvolvidos, grosso modo, se mantêm no topo do ranking. Mas não é regra: o Japão, por exemplo, mesmo muito desenvolvido, aparece com o mesmo desempenho do Brasil.

O levantamento também apresenta as pontuações de mais de 400 regiões e cidades. Nesta relação, três cidades brasileiras figuram entre as “top 50”: Brasília aparece em 36º lugar (54,64); São Paulo, em 38º (54,02); e Rio de Janeiro, em 42º (53,16).

Os dados também mostram que a América Latina é a única região a mostrar um leve declínio geral na proficiência em inglês. As pontuações na região permanecem mais uniformes do que em qualquer outro lugar. De acordo com o relatório, sistemas educacionais de baixo desempenho e altos níveis de desigualdade social e econômica dificultam os esforços para melhorar a proficiência no idioma nesses países.

A Europa continua a ser o líder global na proficiência em inglês. Oito dos dez primeiros lugares do ranking são ocupados por países europeus.

O exame também revela que as mulheres falam inglês melhor do que os homens, constatação que é observada desde a primeira edição do índice. Em termos de faixa etária, o levantamento mostra que os adultos na faixa dos 20 anos falam melhor o inglês e revela que, pela primeira vez, adultos de 26 a 30 anos superaram os de 21 a 25 anos em todo o mundo.


Leia a notícia completa em O Globo Brasil mantém nível ‘baixo’ de proficiência em inglês, diz relatório

O que você pensa sobre isso?