Bombeiros seguem em busca de vítimas de prédio que desabou em SP

SÃO PAULO. Os bombeiros seguem a busca por corpos nos destroços do edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou na semana passada no Largo do Paissandu, no centro de São Paulo. Oficialmente são cinco desaparecidos – Selma Almeida da Silva, 40 anos, e os filhos gêmeos, Welder e Wender; Eva Barbosa Lima, 42 anos e Walmir Souza Santos, 47 anos. Na última sexta-feira, foi encontrado o corpo de Ricardo Pinheiro, que caiu junto com o prédio no momento em que um bombeiro tentava resgatá-lo.

O major Eduardo Trigo, do Corpo de Bombeiros, disse que existe a possibilidade de formação, entre as lajes, de bolsos de ar, o que permitiria que possíveis soterrados conseguissem respirar. Por isso, apesar de entrar no sétimo dia de buscas, os bombeiros ainda trabalham com a possibilidade de encontrar vítimas com vida. Ainda trabalham no local 17 viaturas, com 51 Bombeiros

Segundo o capitão Marcos Palumbo, porta-voz dos Bombeiros, o tempo máximo que se tem conhecimento de um sobrevivente, neste tipo de bolsão de ar, é de 14 dias e aconteceu na Indonésia. De acordo com Palumbo, a maior chance de vida estaria no subsolo.

A expectativa dos bombeiros é que os trabalhos de retirada dos destroços durem mais 15 dias.


Leia a notícia completa em O Globo Bombeiros seguem em busca de vítimas de prédio que desabou em SP

O que você pensa sobre isso?