Atendimento multidisciplinar é aliado na luta contra o câncer


A abordagem oferece todo suporte ao paciente, de exames e medicamentos, a atendimento psicológico Após décadas exercendo a medicina, a oftalmologista Maria Ignez de Menezes, de 67 anos, viveu a experiência de sentar do outro lado da mesa de um consultório para ouvir uma péssima notícia. Em menos de cinco anos, ela teria que enfrentar pela segunda vez um tratamento contra um câncer.
“Descobri o nódulo na mama direita durante um exame de toque, em casa. Fui ao médico e havia dois gânglios de baixo do braço. Era um tumor maligno”, afirma a médica, que em 2012 já havia passado por uma cirurgia para a retirada de um câncer no pulmão.
O sentimento de um raio que cai no mesmo lugar pela segunda vez não abateu Maria Ignez, que deu início ao tratamento. Foram 16 sessões de quimioterapia, iniciadas em julho de 2017, para a redução do tumor. Em janeiro deste ano, ela passou pela cirurgia na mama.
Maria Ignez não está sozinha nesta luta. Mais de 32 milhões de pessoas vivem com a doença ao redor do planeta. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de casos continuará aumentando, com uma média de 14 milhões de novos pacientes sendo descobertos todos os anos.
Acompanhamento
Um método de tratamento que vem sendo posto em prática e obtendo bons resultados é a abordagem multidisciplinar, com equipes de profissionais de diversas especialidades além dos oncologistas clínicos e cirúrgicos. Um acompanhamento psicológico, por exemplo, pode fazer toda a diferença durante o tratamento.
Maria Ignez comemora o fim do tratamento oncológico
Divulgação
“Eu me considerei bastante forte. O tratamento é agressivo, te derruba mesmo. Mas nunca me deixei ser vencida pela doença. Mesmo durante o tratamento, eu segui trabalhando”, afirmou a oftalmologista, que acaba de finalizar mais uma etapa do tratamento pós-cirúrgico, com a quimioterapia oral.
Tratamento multidisciplinar
O oncologista clínico do Hospital Meridional, Fernando Zamprogno, exalta a importância da abordagem multiprofissional. O setor de oncologia da unidade é composto por médicos de várias especialidades e outros profissionais da saúde, como psicólogos, enfermeiros, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, farmacêuticos, técnicos de enfermagem, entre outros.
“Trabalhamos de forma a unir todos os segmentos da medicina. Os prontuários dos pacientes ficam arquivados em um ambiente virtual ao qual todos os médicos, de todas as especialidades, têm acesso”, explica o médico.
Dr. Fernando Zamprogno afirma que uma das vantagens do atendimento multidisciplinar é que o paciente não precisa ficar transitando de uma clínica para outra para fazer o tratamento
Divulgação
De forma prática, por exemplo, o tratamento de um paciente com câncer no estômago passa a ser feito em parceria entre um oncologista e um gastroenterologista. “Nosso setor de oncologia já funciona com essa concepção multidisciplinar desde 2007. Essa atitude pró-ativa ajuda no atendimento”, afirma Fernando.
Anualmente, o Hospital Meridional realiza 4 mil sessões de quimioterapia. “Temos à disposição tudo em um mesmo local. O paciente não precisa ficar transitando de uma clínica para outra para fazer o tratamento. Aqui fazemos a quimioterapia, cirurgia, internação e exames em um mesmo ambiente”.
Leia a notícia completa em G1 Atendimento multidisciplinar é aliado na luta contra o câncer

O que você pensa sobre isso?