Até onde vai Silas Malafaia no governo Bolsonaro


Aos 60 anos, o eloquente, assertivo, rusguento e patusco Silas Lima Malafaia vem sendo visto como um interlocutor-chave entre Bolsonaro e o meio evangélico. De acordo com pesquisas, o candidato do PSL foi eleito com mais de 70% de votos apenas nesse segmento religioso. Durante a campanha eleitoral, o pastor aparecia semanalmente ao seu lado em lives (transmissões ao vivo por meio da internet), ganhando espaço e mais fama junto ao eleitorado.Em corridas presidenciais passadas, o pastor já apoiou camaleonicamente Lula, Marina Silva, José Serra e Aécio Neves(“Todos eles que apoiei fizeram cagada, e meti o pau. Não estou nem aí. Não devo nada.”). Pela primeira vez, contudo, foi protagonista de um projeto vitorioso rumo ao Palácio do Planalto. É um dos pilares da bancada evangélica, com mais de cem integrantes eleitos, e um dos grandes mobilizadores da opinião pública por meio das redes sociais. E por isso tem sido ouvido pelo presidente eleito sobre indicações políticas, relação com a imprensa, bastidores do que anda sendo falado por aí.Malafaia conta a ÉPOCA como essa relação com Bolsonaro foi construída – incluindo o rompimento em 2016 e a reconciliação no período pré-eleitoral. O pastor, que nunca se candidatou a nada e afirma que ser filiado a um partido já seria “o maior absurdo” para ele, comenta a formação do futuro governo, os núcleos de poder e as articulações políticas para governar. “São milhares de cargos e, meu filho, isso é política. Isso é em todo lugar do mundo. Dizer que não vai dar nada para ninguém, ele não vai governar.”capa – 1066 O que você vai ler em ÉPOCA desta semanaPERSONAGENS DA SEMANAOS GENERAISCom a indicação de Carlos Alberto dos Santos Cruz para a Secretaria de Governo, já são quatro os generais no alto escalão do presidente eleito Jair BolsonaroGLOSSOLALIALÁ EM CIMACom Jair Bolsonaro, o pastor Silas Malafaia chega ao topo do poder9 PERGUNTAS PARA…MARK LILLAHistoriador americano aponta a despolitização provocada por lutas identitáriasCONCORDAMOS EM DISCORDARFELICIANO × PASTOREA polêmica da carteira de trabalho verde-amarela, com menos direitos trabalhistasA HORA DA MORTEAO PÓ VOLTARÁSMorrer já não é mais a mesma coisa — e custa caroDIÁRIO DA DOR EUTANÁSIA SIM, MAS NÃO HOJEOrelato da senhora Verbeek, de 79 anos, que vive sozinha nos Países BaixosVIVI PARA CONTARSOBREVIVENDO NO CARAQUISTÃOA primeira deputada transgênero da Venezuela conta por que entrou na políticaREFLEXÕES ARQUITETÔNICASCIDADES SÁBIASO arquiteto Michael Sorkin afirma que a beleza de um edifício é tão importante quanto seu impacto socialREFLEXÕES ARQUITETÔNICAS250 CONSELHOS PARA ARQUITETOSSaber como as pessoas fazem xixi; a distância alcançada por um grito e a por um sussurro; a diferença entre um gueto e um bairroDEPOIS DO PESADELOAS ÁGUAS RADIOATIVAS DE MARÇOAs imagens de Fukushima sete anos depois do acidente nuclearCOLUNISTASMONICA DE BOLLENão fossem o gogó e os pés…HELIO GUROVITZ Como Trump reagiria a uma nova crise financeira?VENES CAITANOCONRADO HÜBNER MENDESOs Chicago Boys e os Cruzados NovosAssinantes: como ler a revista digitalOs assinantes de ÉPOCA podem ler a versão digital da revista baixando o aplicativo Globo+ na loja de apps do celular (App Store ou Android). Para ver o conteúdo restrito é necessário cadastrar-se, utilizando o mesmo CPF ou CNPJ da assinatura. Em caso de dúvidas, acesse a Central de Ajuda.
Leia a notícia completa em O Globo Até onde vai Silas Malafaia no governo Bolsonaro

O que você pensa sobre isso?